Sua dose diária de jardinagem no whatsapp - 100% Grátis Participar do Grupo

Suculentas: O Guia Completo para Iniciantes

Raquel Patro

Atualizado em

Plantando Suculentas - Como cuidar de suculentas

Você acabou de ganhar sua primeira suculenta? Ou se apaixonou à primeira vista por essas plantas na floricultura?

Mas agora não sabe como cuidar dessas plantas tão fascinantes, gordinhas e geométricas?

Bem-vindo ao mundo maravilhoso das suculentas, onde, acredite, é mais difícil pronunciar os nomes complicados de algumas espécies, do que matar uma delas. Já tentou dizer “Echeveria elegans” sem tropeçar nas palavras? Se sim, você está no caminho certo para se tornar um mestre suculento! E não se preocupe… você não vai precisar falar esses nomes complicados.

Mas, se você está se perguntando, “Como posso cuidar dessas plantinhas, sem matá-las?”, então você está no lugar certo.

Encantado(a) com as suculentas mas não sabe por onde começar?
Encantado(a) com as suculentas mas não sabe por onde começar?

Por que suculentas, você pergunta? Bem, além de serem a resposta da natureza para os esquecidos que esquecem de regar as plantas, elas são como pequenos troféus vivos de sobrevivência. Elas prosperam na negligência, crescem onde poucas plantas ousam crescer, e ainda nos brindam com uma variedade estonteante de formas, cores e tamanhos. É como se a natureza dissesse: “Aqui, tenha esta planta quase indestrutível para compensar todas as vezes que você se esqueceu de alimentar seu peixe dourado.”

Agora, antes de você correr para o Garden Center mais próximo ou começar a encher seu carrinho de mercado com todas as suculentas que puder encontrar, vamos dar um passo atrás. Você já se perguntou por que algumas suculentas prosperam e outras… bem, vamos apenas dizer que se transformam em uma salada murcha? Será que é só jogar água e esperar o melhor? Ou existe um segredo milenar para o sucesso dessas plantas resistentes?

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE

Prepare-se para embarcar em uma deliciosa jornada através do universo das suculentas. Este guia não é apenas um manual; é um passaporte para o sucesso no cultivo de suas próprias suculentas, evitando as armadilhas comuns que fazem até os jardineiros mais promissores desistirem.

Então, você está pronto para se tornar o próximo guru das suculentas? Vamos lá, pegue seu regador (ou talvez guarde-o, você vai descobrir por quê) e prepare-se para mergulhar no fascinante mundo de “como cuidar de suculentas”. Quem sabe, talvez até o final deste guia, você esteja dando nomes às suas suculentas e conversando com elas como velhos amigos. Não se preocupe, eu não vou te julgar por isso.

1. O que são Suculentas?

Você já se perguntou por que as suculentas têm esse nome? Será que elas frequentam a academia regularmente para manter essa aparência robusta e cheia de saúde? Ou será que são de comer? Brincadeiras à parte, as suculentas são o tipo de planta que até quem jura não ter o dedo verde consegue cuidar (e amar). Mas antes de mergulharmos nas dicas de como cuidar dessas belas plantas, vamos entender o que, de fato, elas são.

Suculentas: As Camelos do Reino Vegetal

Imagine plantas que armazenam água em suas folhas, caules ou raízes, como se estivessem preparando sua própria reserva para uma longa jornada pelo deserto. Essa é a essência das suculentas! Elas são os camelos do reino vegetal, adaptadas para sobreviver em ambientes áridos onde a água é um bem valioso que deve ser poupado. E não é somente nas folhas que as suculentas podem armazenar reservas de água e nutrientes.

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE

Para ser considerada uma suculenta, uma planta precisa ter um órgão de reserva de água, que pode ser um caule, as folhas ou até mesmo as raízes. As rosas-do-deserto, por exemplo, do gênero Adenium, são consideradas suculentas pois armazenam água em um caule especial chamado de caudex, que fica gordinho e escultural, embora suas folhas não sejam suculentas.

Adenium obesum e seus caudex suculentos.
Adenium obesum e seus caudex suculentos.

Então não se engane, apesar de sua resistência, elas podem ser tão delicadas, diferentes e estilosas quanto qualquer outra planta ornamental.

Características Principais:

A maior parte das suculentas são conhecidas por suas folhas grossas e carnudas, uma característica que as ajuda a reter água. Mas você sabia que nem todas as suculentas são iguais? Algumas têm folhas em forma de roseta, outras parecem pedras pequenas camufladas no solo, e há aquelas que se estendem como lindas plantas pendentes. A diversidade é tão grande que é praticamente impossível não encontrar uma que conquiste seu coração.

Principais Grupos e Exemplos:

Muitas famílias de plantas tem representantes suculentos. Algumas delas são inteiramente formadas por espécies suculentas. Para você ter uma ideia da variedade, vamos citar alguns dos principais tipos de suculentas:

Famílias de Suculentas
Famílias de Suculentas
  • Cactaceae (Cactos): Sim, todos os cactos são suculentas, mas nem todas as suculentas são cactos. Todos os cactos são suculentas especializadas em armazenar água, permitindo-lhes prosperar em condições extremamente áridas. Eles são famosos por sua capacidade de resistir a longos períodos sem chuva.
  • Crassulaceae: Aqui encontramos a famosa Echeveria, que parece uma rosa de pedra, e o Sedum, perfeito para aqueles que esquecem de regar as plantas (quem nunca?).
  • Aizoaceae: Já ouviu falar em Lithops, também conhecidos como pedras vivas? Eles são tão bons em se camuflar que você pode até confundi-los com seixos decorativos.
  • Euphorbiaceae: Embora nem todas as espécies desta família sejam suculentas, muitas adotam formas rechonchudas e espinhosas, semelhantes aos cactos, como o cacto-candelabro. Contudo, cuidado: muitas Euphorbiáceas são tóxicas e devem ser manuseadas com precaução.
  • Asparagaceae: Esta família inclui a popular Sansevieria, também conhecida como espadinha, além dos belos Agaves, que são renomados por sua resistência. Suas folhas rígidas e pontiagudas, e os padrões marcantes fazem delas as queridinhas de muitos entusiastas de suculentas.
  • Asteraceae: Surpreendentemente, esta grande família de plantas floríferas, como margaridas e crisântemos, também tem seus representantes suculentos, como o gênero Senecio, com espécies que variam de formas pendentes a arbustivas, todas adaptadas para armazenar água.
  • Apocynaceae: Inclui algumas suculentas notáveis, como as do gênero Adenium e Pachypodium, ambas conhecidas por seus caules inchados e belas flores. Elas combinam a estética suculenta com flores vistosas de maneira única.
  • Asphodelaceae: Família do bem-conhecido Aloe, além de outras suculentas como Haworthia e Gasteria. Estas plantas são valorizadas tanto por suas propriedades medicinais quanto por sua beleza e facilidade de cultivo.

E aí, qual desses tipos de suculentas já ganhou seu coração? Ou você é como eu, que acha impossível escolher apenas um favorito?

Famílias de suculentas

Então, por que as suculentas são tão populares?

É claro elas são lindas e diferentes! Mas não é só pela sua aparência singular ou pela facilidade de cuidados. As suculentas trazem um pedacinho da natureza para dentro de casa, criando um ambiente mais alegre e relaxante. Além disso, são uma ótima maneira de iniciar no mundo do paisagismo, mesmo para aqueles que pensam que não tem o menor jeito para jardinagem.

Pronto para adentrar o fascinante mundo das suculentas e descobrir como cuidar delas para que floresçam e prosperem em seu lar? Continue conosco, e vamos desvendar todos os segredos dessas plantas incrivelmente rústicas e, claro, encantadoras!

2. Como Cuidar de Suculentas

Agora que você já sabe quem é quem no mundo das suculentas, já está pronto para ir ao próximo passo. Cuidar de suculentas pode parecer um desafio intrigante. No entanto, com algumas dicas essenciais e um pouco de atenção aos detalhes, você pode transformar seu lar em um oásis para essas belas plantas.

O substrato é fundamental para ter sucesso com suculentas.
O substrato é fundamental para ter sucesso com suculentas.

Requerimentos Básicos

  1. Luz Solar: A luz é fundamental para a saúde das suculentas, proporcionando a energia necessária para a fotossíntese (alimentação dessas plantinhas). A maioria das suculentas prefere luz solar direta e brilhante por 4 horas ou mais. Uma varanda ou um local próximo a uma janela voltada para o leste, norte ou oeste é ideal, onde a luz do sol é abundante em algum momento do dia, ou o dia todo. Mas atenção: nem todas as suculentas gostam de tanta luz, e é legal você ir se acostumando a identificá-las e verificar se gostam de sol direto ou se preferem uma luz mais filtrada. Colocar uma suculenta de sombra no sol é a receita para queimaduras solares nas folhas. Perceber a necessidade de luz da sua planta pode ser um pouco como interpretar sinais, mas com observação, você encontrará o local perfeito.
  2. Rega: O equilíbrio na rega é crucial. O método “regar profundamente, mas com pouca frequência” é o mais recomendado. Isso significa esperar até que o solo esteja completamente seco antes de regar novamente. E a cada rega seja generoso com as suas plantas, molhando bem a terra por cima, até que escorra pelos furos de drenagem. A frequência de rega varia de acordo com o clima e as condições ambientais, mas um bom ponto de partida é uma a cada semana. Verifique sempre se o vaso está leve ou se substrato está sequinho com os dedos mesmo. Lembre-se, é mais fácil recuperar uma suculenta da seca do que do excesso de água.
  3. Terra: Suculentas exigem solo bem arejado e drenável para evitar o apodrecimento das raízes. Um substrato próprio para cactos e suculentas, vendido pronto, que geralmente inclui areia grossa ou perlita, é o ideal e a opção mais fácil e segura. Isso facilita a drenagem da água, evitando que a terra fique encharcada. Pense no substrato como o lar de sua suculenta; ele precisa ser confortável e adequado para seu crescimento. Ou seja, nada de água empoçada. Suculentas gostam de uma terra soltinha que permite às raízes respirarem.
  4. Temperatura e Clima: Você sabia que a maior parte das suculentas vêm do México ou do Sul da África? As suculentas são bastante resistentes e podem tolerar uma ampla faixa de temperaturas, mas preferem um clima mais ameno. Sim, elas resistem ao calor e muitas resistem ao frio (principalmente aquelas que vem da África do Sul), mas elas se desenvolvem melhor em temperaturas medianas. Além disso, a maioria das suculentas não resiste a geadas e deve ser mantida em ambientes onde a temperatura não caia drasticamente. Se você vive em uma área com invernos frios, abaixo de 0ºC, considere trazer suas suculentas para dentro durante este período.
Cactos em vasos de cerâmica.
Vasos de cerâmica podem ser rústicos ou elegantes, dependendo do contexto. Além disso são respiráveis.

Plantio e Transplante

Escolha do Vaso: Vasos com buracos de drenagem são essenciais para evitar o acúmulo de água. Vasos de cerâmica ou terracota são particularmente bons porque permitem que o solo respire, mas você pode usar qualquer material, até mesmo aqueles vasinhos de plástico, desde que tenha boa drenagem. Escolha sempre vasos um pouco maiores que o anterior para efetuar o plantio. Suculentas não gostam de muito espaço sobrando no vaso.  Não utilize pratinho embaixo dos vasos de suculentas, pois é o mesmo que convidar a água para empoçar ali e promover o apodrecimento das raízes.

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE

Como Plantar Suculentas: Ao plantar, certifique-se de que o solo esteja seco. Remova cuidadosamente a suculenta do vaso atual, elimine o excesso de terra antiga das raízes e coloque-a no novo vaso com substrato fresco. Isso proporciona um novo começo saudável para a planta. Se o seu vaso tiver até 5 litros não precisa se preocupar com camadas de drenagem. Um punhado de pedras irregulares sobre os furos, já é o bastante para evitar que o substrato se perca. Além disso, depois que a planta enraizar bem, as próprias raízes serão responsáveis por manter tudo no lugar. Tenha o cuidado de não apertar demais o substrato no vaso, para não compactá-lo. Aperte suavemente apenas para firmar sua planta no lugar.

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE

Quando e Como Transplantar: Suculentas geralmente precisam ser transplantadas quando começam a superar seu vaso, o que pode ser notado pelo crescimento excessivo ou pelas raízes aparecendo pelo fundo do vaso. Escolha um vaso ligeiramente maior e repita o processo de plantio, cuidando para não danificar as raízes.

Considere a Decapitação: Não se assuste! A decapitação das suculentas é uma técnica intermediária a avançada, que renova as plantas e ainda permite sua multiplicação. Utilize essa técnica, que remove a ponta da roseta da planta, quando suas suculentas estiverem pernaltas, com poucas folhas embaixo, ou quando forem acometidas por problemas nas raízes. Leia mais sobre essa técnica no artigo sobre decapitação de suculentas.

Plantar suculentas é uma delícia!
Plantar suculentas é uma delícia!

Nutrição e Adubação

Tipos de Fertilizantes: Embora as suculentas não sejam exigentes quanto à fertilização, um adubo balanceado durante a estação de crescimento pode encorajar flores mais vibrantes e um crescimento saudável. Use um fertilizante balanceado com uma formulação de liberação lenta, como os adubos do tipo cote (Osmocote ou Basacote). Outra opção é utilizar adubos próprios para cactos e suculentas, que são bem suaves e mais completos, incluindo os micronutrientes que elas precisam na medida certa. Quando falamos em fertilização, lembre-se que menos é mais. Essas plantas são originárias de locais com pouquíssima matéria orgânica e baixa fertilidade natural, então a grande maioria sabe aproveitar bem os nutrientes disponíveis e gostam de solos mais pobres.

Corra para longe dos adubos orgânicos quando pensar em suculentas. Húmus de minhoca, torta-de-mamona ou estercos podem parecer uma boa ideia a princípio, mas a longo prazo eles reduzem a capacidade de aeração dos substrato, reduzindo sua porosidade, além de correrem o risco de apodrecer e atrair pragas e doenças indesejadas.

Frequência de Adubação: Via de regra, a adubação deve ser limitada à primavera e ao verão, a cada quatro a seis semanas, enquanto sua planta estiver crescendo ou florescendo. Evite fertilizar no inverno, quando muitas suculentas estão em um estado de dormência. Adubar nessa fase, além de prejudicial é um desperdício, uma vez que as plantas não serão capazes de absorver os nutrientes disponibilizados.

Com essas orientações, cuidar de suculentas se torna menos um mistério e mais uma jornada gratificante de descobertas e sucesso no cultivo. Mantendo esses princípios básicos em mente, você estará bem equipado para proporcionar um ambiente perfeito para suas suculentas, celebrando a beleza e a diversidade dessas incríveis plantas.

3. Propagação de Suculentas

Ah, a propagação de suculentas! Aquele momento mágico em que você se torna não apenas um jardineiro, mas um verdadeiro criador de plantas. Porque, vamos ser sinceros, ver uma nova vida brotar de uma simples folhinha é um verdadeiro milagre da natureza, não é mesmo? E o melhor de tudo? É surpreendentemente fácil!

Propagação por Folha

Você já olhou para uma folha de suculenta e pensou: “E se…?” Bem, as chances são de que sim, ela pode se transformar em uma nova planta! Tudo o que você precisa é de uma folha saudável que caiu graciosamente ou foi removida com um toque leve. Coloque-a sobre terra para suculentas e espere. Sim, é um teste de paciência, mas quem sabe o que aquela pequena folha está tramando sobre o solo, certo?

E você leu direito. Não tem que regar, não tem que adubar, não tem que fazer nada… As suculentas conseguem brotar novas plantas apenas com a água reserva que tem dentro daquela folhinha. Assim que ela emitir as primeiras raízes, aí sim, você pode borrifar um pouco de água para estimular o enraizamento. E fique de olho. Da base da folhinha vão surgir novas rosetinhas minúsculas que podem depois ser remanejadas e plantas em um vasinho individualizado.

Propagação por Estacas (decapitação):

Agora, se você é mais do tipo que gosta de uma abordagem direta, a propagação por estaca é para você. Além disso, muitas espécie preferem esse método de propagação. Corte o topo ou uma galho lateral de sua suculenta (com permissão dela, claro) e deixe a parte cortada cicatrizar por alguns dias. Depois, é só plantar em substrato levemente úmido e esperar a mágica acontecer. Simples, né?

Através desses dois primeiros métodos, muitos viveiristas produzem aquelas mudas pequenas próprias para lembrancinhas, que fazem tanto sucesso por aí. Já pensou começar um negócio com seu novo dom de multiplicar suculentas?

Propagar suculentas é mais fácil do que parece.
Propagar suculentas é mais fácil do que parece.

Propagação por Semente:

Para os bravos, avançados e pacientes, a propagação por semente pode ser a aventura que você estava procurando. É um pouco como jogar na loteria, mas a sensação de ver aquelas primeiríssimas sementes minúsculas germinando é indescritível. Prepare-se para um teste de paciência, pois isso pode levar de algumas semanas a vários meses. Mas a recompensa vale a espera!

Colha as sementes de frutos maduros. Muitos dão a dica, se abrindo sozinhos para liberar as sementes. Coloque um pouco de substrato próprio para germinação em um pote transparente de plástico (serve até uma garrafa pet ou um pote de sorvete), espalhe as minúsculas sementes sobre o substrato, umedeça levemente com borrifador (não pode encharcar!) e tampe o pote. Coloque em local com luminosidade indireta. Observe a evolução da sua sementeira a cada 15 dias, renovando a umidade caso seja necessário.

E aí está, amigos jardineiros, a magia da propagação de suculentas. Seja por folha, estaca ou semente, cada método tem seu próprio encanto (e desafios). Mas lembre-se, no mundo da jardinagem, cada fracasso é apenas um degrau no seu aprendizado. Ou, no mínimo, uma história divertida para contar.

Pronto para começar sua própria operação de propagação? Pegue suas ferramentas de jardim e vamos dar vida a novas suculentas!

4. Dicas Avançadas para o Cultivo de Suculentas

Quer elevar seu jogo no mundo das suculentas e deixar todos os seus amigos de queixo caído com suas habilidades de jardinagem? Quem sabe até fazer do seu novo hobby um negócio lucrativo? Então, você está no lugar certo! Vamos mergulhar em algumas técnicas de paisagismo com suculentas, criar composições de cair o queixo, e dar aquela espiadinha em como cuidar de suculentas raras. Ah, e para os fãs de DIY (faça você mesmo), temos algumas ideias incríveis para lembrancinhas e mini jardins. Preparado? Então, respire fundo, e vamos nessa!

Técnicas de Paisagismo com Suculentas

O paisagismo com suculentas ainda é pouco explorado, mas os resultados são impactantes e coloridos.
O paisagismo com suculentas ainda é pouco explorado, mas os resultados são impactantes e coloridos.

Você já se perguntou como transformar aquele cantinho esquecido do jardim em um oásis de suculentas? As suculentas são as artistas da resistência e da beleza. Elas não pedem muito, só um solzinho, pouca água e muita admiração. Use diferentes alturas, texturas e cores para criar um efeito visual dinâmico. Experimente agrupar suculentas de crescimento baixo, como sedum, com espécies mais altas e chamativas, como Echeveria gibbiflora, bálsamo e por fim diferentes tipos de cactos colunares. Quem diria que combinar o baixinho com o altão daria um par perfeito, não é mesmo? Coloque as plantas mais altas ao fundo para emoldurar o cenário, e vá plantando as mais baixas em camadas até terminar com uma bela forração de pedriscos. E está pronto seu jardim sustentável, com inspiração desértica, que economiza água, atrai olhares admirados e foi você que fez!

Como Criar Composições Atrativas

A beleza está nos detalhes. Misturar suculentas com diferentes formas, texturas e cores pode transformar um simples vaso em uma obra de arte viva. Já pensou em um Echeveria azul-esverdeado fazendo par com um Sedum rubro-escuro? E não se esqueça de brincar com a composição dos vasos. Um vaso vintage ou uma xícara de chá antiga podem ser o palco perfeito para a sua nova composição suculenta. Só não esqueça de fazer furos de drenagem, caso eles não existam.

Dicas para o Cultivo de Suculentas Raras

As suculentas raras são como as celebridades entre os colecionadores. Quer ser o privilegiado a cultivá-las? Primeiro, lembre-se de que elas podem precisar de um pouco mais de cuidado. Antes de ampliar sua coleção e adquirir plantas mais raras (e caras!), pesquise sobre suas necessidades específicas de luz, substrato e água. O ideal é adquirir um pouco mais de experiência com suculentas mais populares antes. Para comprar essas belezinhas, visite sites especializados (e confiáveis) em vendas de suculentas, visite exposições e feiras de plantas na sua cidade. E, como qualquer bom guarda-costas de celebridade, fique de olho nas pragas e doenças. Criar um ambiente estável é chave; reproduzir de forma o mais fiel possível o habitat dessas plantas incomuns. Pense nisso como preparar o camarim para a estrela do show.

Como Trabalhar com a Produção de Lembrancinhas

Produzir lembrancinhas de suculentas pode se tornar um negócio bastante lucrativo.

Procurando por um hobby que pode se transformar em um pequeno negócio? Por que não começar a criar lembrancinhas suculentas? Elas são perfeitas para casamentos, chás de bebê ou qualquer evento que mereça um toque de verde. É simples: escolha pequenos vasos ou recipientes reciclados, plante pequenas mudas de suculentas e voilà! Você tem uma lembrancinha viva que seus convidados poderão apreciar por muito tempo. Quem sabe você não se torna o(a) fornecedor(a) oficial de verde para todos os eventos dos seus amigos?

Lembre-se que o capricho importa muito nesse tipo de negócio e dê atenção a todos os detalhes. Desde a beleza e saúde das plantas, passando pela apresentação dos vasinhos, incluindo qualidade e rótulos personalizados, até um atendimento impecável. Essa é a receita de um negócio que prospera e atrai muitos clientes no boca a boca. Não esqueça de precificar de forma justa, remunerando todo o seu trabalho, incluindo o tempo que você gastou para preparar cada lote de lembrancinhas. Conheça o nosso e-book sobre 60 ideias de negócios para quem ama jardinagem para mais opções.

Como Montar Mini Jardins em Vasos

E para aqueles que adoram um projeto de fim de semana, que tal montar um mini jardim de suculentas? Escolha um vaso amplo e imagine-o como sua pequena tela em branco. Você pode criar cenários, como um deserto em miniatura ou um jardim rochoso. Monte o vaso da mesma forma que no plantio, e vá acomodando as suculentas criando composições como ruas, árvores, flores, uma casa de campo, uma praia, uma escadaria e o que mais a sua imaginação pedir. As suculentas são as estrelas, mas sinta-se à vontade para adicionar pedras, areia colorida, conchas, galhos secos ou miniaturas para dar aquele toque especial. Fuja do comum e crie morros e outros planos no seu mini jardim, quem sabe fazendo uma mini montanha ou um vale rochoso.

Então, o que você acha? Pronto para mergulhar de cabeça no universo fascinante das suculentas e deixar a sua marca (verde) no mundo? Lembre-se, a jornada com plantas suculentas é cheia de experimentação, diversão e, às vezes, algumas folhas perdidas pelo caminho. Mas, com essas dicas, você está mais do que preparado para fazer suas suculentas brilharem. Vamos nessa!?

Libere a sua criatividade e crie lindos arranjos com suculentas.
Libere a sua criatividade e crie lindos arranjos com suculentas.

Perguntas Frequentes

1. Quão frequentemente devo regar minhas suculentas para que elas não apodreçam ou virem uvas-passas?

Regar suculentas é mais uma arte do que ciência. Em geral, permita que o solo seque completamente entre as regas. Dependendo do clima, isso pode significar regar uma vez por semana ou a cada duas semanas. Se suas suculentas começarem a parecer muito enrugadas, talvez já tenha passado da hora de dar-lhes um gole. Evite colocar só um pouquinho de água. Coloque água o suficiente para que escorra generosamente pelos furos de drenagem e então dê tempo para o vaso secar completamente antes da próxima rega.

2. Minha suculenta precisa de sol, mas quanto é demais? Ela vai pegar um bronzeado?

Suculentas adoram luz solar, mas não são fãs de queimaduras solares. A maioria prefere o sol da manhã ou do final da tarde, o que é considerado meia sombra, mas muitas podem se adaptar ao sol pleno em temperaturas mais amenas. Plantas sob muito sol, podem adquirir lindos tons coloridos, mas isso significa que elas estão um pouco estressadas. Se a sua planta está com manchas secas e descoloridas sobre as folhas ou caules, provavelmente está recebendo luz demais e ganhando queimaduras.

3. O solo do meu jardim serve para plantar suculentas ou preciso de algo mais especial, tipo um tapete vermelho?

Suculentas preferem substratos soltinhos, drenáveis e arejados. Não arrisque e utilize substratos específicos para cactos e suculentas, que incluem areia ou perlita. A terra do seu jardim pode ser muito densa e compactada para elas, com pouca drenagem, deixando-as presas na lama. Se quiser fazer um paisagismo direto no jardim, adicione uma boa camada de areia, revolvendo bem para incorporar e eleve os canteiros para facilitar a drenagem.

4. Qual é o melhor potinho para minha suculenta, cerâmica ou plástico? Estilo ou funcionalidade?

O ideal é optar por vasos de cerâmica ou terracota com furos de drenagem. Eles são como roupas respiráveis para as raízes, evitando o excesso de umidade. O plástico pode funcionar, mas acaba retendo muita água às vezes, o que não é ideal. Vale à pena experimentar, pois pode funcionar para você. Uma dica de estilo é combinar vasos com formatos diferentes mas com a mesma cor. Ou dois padrões diferentes de cor e textura. Se for se jogar nos vasos plásticos, fuja dos pretos, eles podem funcionar para a comercialização, mas esquentam muito.

5. Por que minhas suculentas estão esticadas e parecendo procurar algo perdido?

Isso se chama estiolamento, acontece quando elas não recebem luz suficiente e começam a se esticar em busca de sol. Elas perdem o característico formado de roseta, suas cores se tornam pálidas e podemos ver o caule entre uma folha e outra. É como se elas estivessem tentando pegar o wifi do vizinho. Dê mais luz para elas, mas de forma gradual, ao longo de algumas semanas, para não queimá-las. Elas precisam de tempo para produzir a proteção solar necessária.

6. Como posso propagar suculentas sem sentir que estou fazendo uma cirurgia delicada?

Propagar suculentas é surpreendentemente fácil. Basta pegar uma folha saudável, colocá-la sobre terra para suculentas e esperar. Com paciência, você verá surgir pequenas raízes e eventualmente uma nova planta. Muitas vezes podemos aproveitar folhas que se desprenderam por que alguém encostou sem querer. Elas se destacam facilmente. Lembre-se, paciência é a chave; não é necessária uma técnica avançada para multiplicá-las.

7. E se eu acidentalmente quebrar uma parte da minha suculenta, ela tem seguro de vida?

Não se preocupe, apesar de quebrarem por uma queda ou esbarrão, suculentas são bastante resilientes. Muitas vezes, partes quebradas podem ser usadas para propagar novas plantas. É como se elas tivessem seu próprio sistema de regeneração. Previna quedas utilizando vasos de terracota, que são mais pesados, ao invés de vasos de plástico.

8. Como faço para lidar com pragas?

Combater pragas em suculentas não requer habilidades avançadas, mas sim vigilância e intervenção precoce. Com elas, é fácil que seja “tarde demais”, por isso é importante ficar de olho. Álcool isopropílico ou sabão inseticida podem ser seus aliados na luta contra invasores como pulgões e cochonilhas. Ataque rapidamente e com precisão para manter suas plantas saudáveis. Se notar apodrecimento ou amolecimento de partes da planta. Suspenda as regas imediatamente e considere a decapitação.

9. Minha suculenta pode sobreviver no inverno ou devo preparar um abrigo para ela?

Muitas suculentas são sensíveis ao frio e precisam ser trazidas para dentro de casa ou para um ambiente protegido durante o inverno, principalmente se na sua região há ocorrência de geadas. Verifique a tolerância ao frio de suas espécies, mas, em geral, mantenha-as longe de temperaturas congelantes. Na dúvida leve seus vasinhos para dentro de casa, perto de uma janela bem ensolarada para elas passarem o inverno seguras.

10. Posso deixar minhas suculentas na chuva?

Deixar suas suculentas na chuva não é um problema, mas é preciso cautela. Embora uma chuvarada ocasional possa ajudar a limpar a poeira das folhas e derrubar pragas, muita água pode levar ao apodrecimento das raízes. Então se você mora em uma área onde os períodos chuvosos são longos e sem tréguas, é melhor mantê-las sob cobertura. Pense nisso como oferecer a elas um guarda-chuva; elas apreciam a água, mas preferem não ficar encharcadas. Além disso, capriche ainda mais na drenagem dos vasos e substratos, evitando a chance das suas plantas encharcarem.


Já pensou em abrir a porta de casa e dar de cara com um jardim espetacular que parece ter saído diretamente de uma revista? Seja sincero, quem não queria?

E aí, já tá imaginando o upgrade que seu jardim vai ganhar? Cada vez que você botar a mão na terra e ver o resultado crescendo e florindo, vai sentir aquela satisfação de "puxa, eu que fiz!". "101 Técnicas de Jardinagem Explicadas" não é só um livro, é tipo um melhor amigo pra quem ama plantar e cuidar.

Bom, com o eBook 101 Técnicas de Jardinagem Explicadas, esse desejo pode virar realidade, e acredite, mais fácil do que você imagina. Tá começando do zero ou já tem a mão meio verde? Não importa! Este guia foi feito pensando em todo mundo. Aqui dentro, você vai achar mais de 600 páginas cheias de ilustrações que falam por si só, com instruções detalhadas que vão desde o básico até o avançado. Já pensou em quanta coisa nova você vai aprender e aplicar aí no seu cantinho verde?

Quer ter a alegria de comer frutas que você mesmo plantou? Ou que tal ver flores que mais ninguém tem, colorindo seu jardim e perfumando sua casa? Pois é, esse eBook entrega isso e muito mais. Bora dar esse passo e transformar seu espaço ao ar livre num verdadeiro oásis particular? Pega seu exemplar agora e vamos nessa jornada juntos! E aí, preparado pra ver seu jardim virar capa de revista?

Oferta por tempo limitado!

DE R$ 59,90 POR APENAS

R$ 19,90 à vista

Sobre Raquel Patro

Raquel Patro é paisagista e fundadora do site Jardineiro.net. Desde 2006, ela desenvolve conteúdos especializados em plantas e jardins, pois acredita que todas as pessoas, sejam amadores ou profissionais, devem ter acesso a conteúdos de qualidade. Nerd de carteirinha, ela gosta de livros, ficção científica e tecnologia.