Sua dose diária de jardinagem no whatsapp - 100% Grátis Participar do Grupo

Palmeira-de-madagascar

Pachypodium lamerei

Raquel Patro

Atualizado em

Apesar do nome, a palmeira-de-madagascar (Pachypodium lamerei) não é uma palmeira. Trata-se de uma planta semi-suculenta, florífera e ornamental, de porte arbustivo a arbóreo, da mesma família das rosas-do-deserto e do jasmim-manga. O nome do gênero, ‘Pachypodium‘, vem da união das palavras gregas ‘pachy‘ que significa ‘grosso’, e ‘podium‘, que significa ‘pé’, uma alusão ao tronco engrossado das plantas desse gênero. Como o próprio nome popular já diz, trata-se de uma planta nativa da Ilha de Madagascar, na costa da África.

Foto de Alejandro Linares Garcia

A palmeira-de-madagascar geralmente possui um tronco único, engrossado desde a base, típico do gênero, o paquicaule. Ele é uma adaptação para sobreviver por períodos de estiagem, e estoca água em seu interior. A casca é de cor cinza-prateada, brilhante e recoberto por pontiagudos espinhos reunidos em tubérculos. Na natureza e quando cultivado em condições favoráveis atinge de 2,5 a 6 metros de altura ou mais. Geralmente seu tronco cresce colunar até a primeira floração, o que ocorre quando ela alcança de 1,5 a 1,8 metros de altura e tem aproximadamente 10 anos, quando então pode se ramificar. Ocorrem ainda variedades diferentes da espécie, como a ‘ramosum’, ‘compactum’, ‘cristata’, ‘crested’ e a ‘monstruosum’

Suas folhas são simples, verdes-escuras, brilhantes, pecioladas, lanceoladas e com a face abaxial tomentosa. Elas tem cerca de 30 cm de comprimento e ficam dispostas de forma espiral no topo da planta, à semelhança de uma palmeira. Na primavera e começo do verão as plantas maduras e que crescem sob sol pleno florescem. As inflorescências são terminais, com pedúnculos fortes e ramificados, e flores muito vistosas, pentâmeras, brancas com o centro amarelo e bastante perfumadas. Se polinizada produz frutos semelhante a bananas, deiscentes, com numerosas sementes aladas.

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE

De efeito escultural e exótico, a palmeira-de-madagascar torna-se facilmente uma planta de destaque no paisagismo. Com ela podemos brincar em diferentes estilos, desde tropicais, desérticos a contemporâneos. Lembre-se de valorizar o tronco da planta, cultivando ela com bom espaçamento e cobrindo o solo com pedriscos ou outra forração morta. Em jardins com tendência ao acúmulo de umidade, o local de escolha para o plantio da espécie deve ser elevado, aproveitando o relevo natural do terreno ou criando elevações artificialmente se necessário. Plante a palmeira-de-madagascar isolada, em grupos espaçados ou misturada com outras espécies, como agaves, crótons, cactos e suculentas.

Foto de Bach01

Infelizmente, o cultivo diretamente no jardim é restrito às regiões tropicais e semi-áridas. Em regiões frias, como no sul do país, a planta pode ser cultivada em vasos, da mesma forma que outros cactos e suculentas, ou mesmo fazendo parte da sua coleção de rosas-do-deserto. O importante aqui é proteger a planta durante o frio, trazendo-a para estufas ou ambientes internos nesse período, e posicionando ela de forma que pegue a luz solar direta através de uma janela ou clarabóia.

Deve ser cultivada sob sol pleno ou meia sombra, em solo arenoso ou substrato próprio para cactos e suculentas. A irrigação deve ser esparsa, molhando as plantas envasadas apenas quando o substrato se apresentar completamente seco. Se plantada em vasos, deve-se atentar que os mesmos tenham bons furos de drenagem. A palmeira-de-madagascar é muito sensível ao encharcamento, que leva ao rápido apodrecimento da planta, então cuide para não regar em excesso. Reenvase anualmente para troca do substrato compactado. Não tolera o frio invernal intenso (menos que 12ºC) ou geadas. Assim, em locais de clima temperado ou subtropical deve ser levada para interiores bem iluminados durante o inverno. No inverno, muitas plantas perdem as folhas e entram em dormência, para retomar o crescimento na primavera. É uma espécie bastante resistente a pragas e doenças, no entanto, plantas cultivadas em ambientes internos por longos períodos acabam suscetíveis a pulgões. Multiplica se por sementes ou estaquia do ramos jovens que surgem no topo da planta postas a enraizar na primavera.


Já pensou em abrir a porta de casa e dar de cara com um jardim espetacular que parece ter saído diretamente de uma revista? Seja sincero, quem não queria?

E aí, já tá imaginando o upgrade que seu jardim vai ganhar? Cada vez que você botar a mão na terra e ver o resultado crescendo e florindo, vai sentir aquela satisfação de "puxa, eu que fiz!". "101 Técnicas de Jardinagem Explicadas" não é só um livro, é tipo um melhor amigo pra quem ama plantar e cuidar.

Bom, com o eBook 101 Técnicas de Jardinagem Explicadas, esse desejo pode virar realidade, e acredite, mais fácil do que você imagina. Tá começando do zero ou já tem a mão meio verde? Não importa! Este guia foi feito pensando em todo mundo. Aqui dentro, você vai achar mais de 600 páginas cheias de ilustrações que falam por si só, com instruções detalhadas que vão desde o básico até o avançado. Já pensou em quanta coisa nova você vai aprender e aplicar aí no seu cantinho verde?

Quer ter a alegria de comer frutas que você mesmo plantou? Ou que tal ver flores que mais ninguém tem, colorindo seu jardim e perfumando sua casa? Pois é, esse eBook entrega isso e muito mais. Bora dar esse passo e transformar seu espaço ao ar livre num verdadeiro oásis particular? Pega seu exemplar agora e vamos nessa jornada juntos! E aí, preparado pra ver seu jardim virar capa de revista?

Oferta por tempo limitado!

DE R$ 59,90 POR APENAS

R$ 19,90 à vista

Sobre Raquel Patro

Raquel Patro é paisagista e fundadora do site Jardineiro.net. Desde 2006, ela desenvolve conteúdos especializados em plantas e jardins, pois acredita que todas as pessoas, sejam amadores ou profissionais, devem ter acesso a conteúdos de qualidade. Nerd de carteirinha, ela gosta de livros, ficção científica e tecnologia.