Sua dose diária de jardinagem no whatsapp - 100% Grátis Participar do Grupo

Como e porquê você deve decapitar suas suculentas

Raquel Patro

Atualizado em

Como decapitar suculentas
Como decapitar suculentas
Suculentas decapitadas

Calma, esse artigo não trata de como maltratar ou assassinar plantas inocentes. A decapitação das suculentas, como veremos a seguir é uma técnica benéfica, que traz muitas vantagens para as suas plantas se efetuada pelas razões corretas e com a técnica adequada. Apesar do nome aterrorizante, a decapitação das suculentas é uma técnica muito simples e fácil de realizar e com cuidados mínimos teremos bastante sucesso. Mas antes de irmos para o passo a passo de como decapitar suculentas, é importante que saibamos o porquê desta operação, assim saberemos qual o melhor momento de realizá-la.

Por que decapitar as suculentas?

Eu conheço pelo menos 8 razões diferentes para você decapitar suas suculentas. Veja como essa operação pode ser vantajosa com a lista abaixo:

  1. Controla pragas e doenças: Ao remover a parte inferior das plantas você elimina junto as pragas e doenças, como cochonilhas e nematoides que insistem em se esconder. E sim! Há pragas embaixo da terra. Muitas cochonilhas sugam a seiva das raízes e os nematoides costumam provocar engrossamentos que prejudicam a absorção.
  2. Renova o sistema radicular: Ao cortar fora as raízes da planta, ela se sente forçada a produzir novas raízes. Assim, as suculentas decapitadas desenvolvem um novo sistema radicular 100% eficiente em absorver água e nutrientes e fixar a planta no substrato.
  3. Devolve o aspecto compacto de plantas estioladas: Plantas que crescem sob iluminação insuficiente desenvolve uma condição de estiolamento, onde seu caule fica alongado e as folhas espaçadas. A planta estiolada perde completamente o aspecto compacto e simétrico de roseta, ficando descaracterizada e enfraquecida. Mas mesmo que mudemos as condições de luminosidade e a planta volte a crescer num ambiente saudável, seu caule e folhas alterados não se recuperam mais. Ou seja, a iluminação corrigida não traz sozinha o formato compacto de roseta das suculentas. É preciso decapitar para que ocorra um novo crescimento e voltar ao que era antes.
  4. Melhora a condução da seiva: Raízes novas e um caule curto e sadio ajudam a levar a seiva de uma forma desimpedida e fluida. Sem parte fibrosas, apodrecidas, cicatrizes ou estreitamentos que possam obstruir o fluxo adequado tanto no floema como no xilema.
  5. Promove a saúde das folhas: Ao decapitar, eliminamos as folhas secas e murchas da base, aumentando a ventilação do local, além de eliminar junto eventuais pragas que se escondam nesses locais. É uma excelente oportunidade para uma inspeção apurada nas plantas, que podem ser vistas de mais pertinho e por outros ângulos.
  6. Ajuda a controlar o crescimento: Suculentas mais antigas vão desenvolvendo um tronco comprido, que deixam-nas com aspecto pescoçudo, o que nem sempre é desejável. A decapitação devolve o aspecto de roseta da planta. Além disso, o encurtamento do caule promove o aumento gradual do diâmetro das rosetas.
  7. Evita quebras: Não é raro que plantas pescoçudas, com uma grande roseta pesada na ponta acabe pendendo para um dos lados e quebrando o caule. Ao efetuar a decapitação prevenimos o aparecimento desta situação alarmante. Isso permite também reposicionar a suculenta no centro do vaso e recuperar a simetria do conjunto.
  8. Produz mudas: Muitas pessoas tem dificuldade de produzir mudas a partir de folhas ou pedúnculos florais. Nem sempre a culpa é do jardineiro. Algumas espécies de suculentas são realmente mais difíceis de multiplicar por folhas. No entanto, ao decapitar, podemos produzir novas mudas que brotam do caule antigo. Ele pode ficar feito por uns tempos, até começar a brotar lindamente em diversos pontos, produzindo muitas mudas. Durante a decapitação, muitas folhas caem ou são removidas. Se ainda estiver gordinhas podem muito bem seguir para um berçário e produzir mudas até você não ter mais onde plantar. Consequentemente pode ser que você tenha que começar a doar e vender suas plantas.
  9. Salva plantas doentes: Ao realizar a decapitação, temos a chance de salvar uma planta que necessita urgente de intervenção, como quando as plantas são acometidas por algum tipo de doença. Ao decapitar conseguimos isolar as partes saudáveis das partes doentes, oferecendo uma segunda oportunidade para a planta viver. Se o topo da roseta estiver doente, prevenimos que alcance o caule todo, mas se o caule e raízes estiverem apodrecidos, remover a roseta e replantá-la será sua salvação. Mas atenção, a decapitação só funcionará nesse caso quando a doença for localizada e ainda não tiver se espalhado. Doenças que acometem a planta todo ao mesmo tempo não poderão ser tratadas com a decapitação.

Pronto, agora o medo não pode ser mais uma desculpa para decapitar sua suculenta. Afinal, as razões para decapitar são muito vantajosas, fazendo os riscos valerem à pena. Pois é, há mesmo algum risco em decapitar. Afinal, depois da decapitação as plantas podem ficar fragilizadas, pegar alguma doença, e até mesmo apodrecer e morrer. Mas não se assuste, com a técnica correta que você vai aprender em seguida, as chances disso acontecer são remotas.

Berçário de suculentas
Quando decapitamos as suculentas, obtemos muitas folhas para o nosso berçário produzir mudas.

Passo a passo da decapitação

O primeiro aspecto que devemos levar em consideração é sobre a época do ano. As suculentas costumam crescer mais na primavera e verão, e esse é o momento ideal para decapitá-las. Se a sua suculenta cresce mais no inverno, faça a decapitação nesse período. O importante é que a planta esteja durante o seu crescimento vegetativo. Jamais faça a decapitação de plantas durante a dormência, pois isso enfraquece elas e atrasa o enraizamento. Outro momento que é bom evitar, é o período chuvoso, pois favorece o aparecimento de doenças e apodrecimento.

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE

Antes de iniciar o processo, verifique se a sua suculenta está saudável e apta para a decapitação. Plantas já completamente murchas, cheias de pragas no topo da roseta devem ser tratadas antes da decapitação. É conveniente decapitar plantas que estejam bem nutridas e hidratadas, pois assim elas terão mais reservas de água e nutrientes para rebrotar e enraizar rapidamente. Assim, se há algo que possa ser feito antes, faça para preparar sua planta. Pense que ela ficará um bom tempo sem raízes para absorver água e nutrientes, e precisará se sustentar até lá. Se a planta estiver estiolada, é melhor colocá-la no local correto, com mais luminosidade, e esperar ela formar uma roseta saudável antes da decapitação. No entanto, se a razão para a decapitação seja para salvar uma planta doente, não hesite e corte logo. Não espere a planta melhorar, pois sua salvação pode estar justamente na decapitação.

Suculentas estioladas ficam com caules longos e folhas espalhadas.

Separe também alguns materiais que serão necessários. O mais importante é um instrumento de corte bem afiado para a decapitação. Pode ser um estilete, um canivete, tesoura de poda ou até mesmo uma faca. Evite faças de serra ou tesouras inapropriadas, que amassem os tecidos da planta, e prejudiquem a futura cicatrização. Nosso objetivo é um corte limpo e reto. Você vai perceber que umas suculentas são mais fáceis de cortar que outras. Enquanto algumas são tão fáceis quanto cortar um pepino, outras podem ser fibrosas e duras, dificultando o processo, por isso é tão importante ter a ferramenta certa.

Como muitas doenças podem ser transmitidas através do instrumento contaminado, esterilize sua tesoura ou estilete entre uma planta e outra, e muitas vezes até entre em um corte e outro se você estiver lidando com plantas doentes. Para isso há quem recomende passar a lâmina na chama, mas eu prefiro utilizar um pequeno pedaço de papel higiênico embebido em álcool. Acredito que interfere menos no metal e é igualmente eficiente.

  1. Com um estilete ou canivete bem afiado, corte a “cabeça” da sua suculenta, de forma que mantenha todas as folhas saudáveis e bem posicionadas da planta e ainda sobre uma pequena porção do caule, para o enraizamento. Podar excessivamente, sem deixar essa pequena porção, aumenta os riscos de apodrecimento e consequente perda da sua suculenta. Além disso, esse pequeno caule ajuda a fixar a roseta no novo substrato. Se você for aproveitar o caule remanescente para fazer as mudas, lembre-se de deixar o corte em diagonal, de forma que não acumule água da rega no local da cicatriz. Se o local do corte ficou um pouco mastigado, não tenha medo de arrumá-lo, para que fique o mais limpo e saudável possível.
  2. Depois de cortado, seque alguma eventual seiva que possa ter vasado do local do corte com um pequeno pedaço de papel higiênico.
  3. Remova todas as folhas secas, murchas e procure pela presença de pragas como cochonilhas e pulgões, eliminando os que aparecerem.
  4. Retire também inflorescências cortando-as na base. As flores utilizam boa parte da energia da planta que deve ser direcionada para o enraizamento após a decapitação.
  5. Opcional: Aplique algum tipo de cicatrizante. Suculentas aceitam bem a utilização de canela em pó, extrato de própolis ou cola instantânea. A cola instantânea, do tipo “Super Bonder”, veda rapidamente o local do corte, impedindo a contaminação.
  6. Deixe sua suculenta cicatrizando em local semi-sombreado e protegido da chuva por dois a três dias e observe a formação da cicatriz. Algumas suculentas cicatrizam rápido e podem ser replantadas com um dia, outras vão exigir um pouco mais de tempo, como uma semana. Jamais deixe a roseta removida no sol, pois ela é incapaz de absorver água e desidratará mais rápido que sua velocidade de enraizar. No caso do caule que será deixado para fazer novas mudas, não se preocupe com isso, e volte ele exatamente para o local em que estava anteriormente.
  7. Assim que cicatrizarem você pode proceder ao plantio das rosetas. Utilize sempre um substrato próprio para suculentas, bem drenável. Enterre uma pequena parte do caule que ficou bem no centro do vaso ou no local desejado, caso esteja fazendo alguma composição. Escolha sempre um vaso proporcional ao tamanho da roseta e com uma pequena margem para crescimento. Ao contrário do que pode parecer, vasos grandes não favorecem o crescimento das plantas.
  8.  Não se preocupe em regar as rosetas recém replantadas, afinal elas ainda não tem raízes para absorver a água e as regas podem mais prejudicar do que ajudar nesse momento. Um substrato levemente úmido já é o suficiente para estimular a formação de raízes. Após cerca de 15 dias, volte a regar suas rosetas replantadas sem medo e vá gradativamente levando elas ao sol novamente. Os caules que ficaram para produzir mudas podem ser regados normalmente, tomando-se apenas o cuidado de não molhar o local do corte.
  9. Lembre-se de retomar a adubação, de forma leve e com fertilizantes completos, próprios para suculentas.

E está pronta a decapitação! Aposto que você achou que seria mais complicado. Mas essa é a alegria de cultivar suculentas. Depois que você pega o jeitinho delas e entende como elas funcionam, você percebe que é muito fácil e gratificante colecionar e cuidar dessas gordinhas.

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE
Após a decapitação e replantio, nossas suculentas ficam renovadas, com rosetas bem densas.


Já pensou em abrir a porta de casa e dar de cara com um jardim espetacular que parece ter saído diretamente de uma revista? Seja sincero, quem não queria?

E aí, já tá imaginando o upgrade que seu jardim vai ganhar? Cada vez que você botar a mão na terra e ver o resultado crescendo e florindo, vai sentir aquela satisfação de "puxa, eu que fiz!". "101 Técnicas de Jardinagem Explicadas" não é só um livro, é tipo um melhor amigo pra quem ama plantar e cuidar.

Bom, com o eBook 101 Técnicas de Jardinagem Explicadas, esse desejo pode virar realidade, e acredite, mais fácil do que você imagina. Tá começando do zero ou já tem a mão meio verde? Não importa! Este guia foi feito pensando em todo mundo. Aqui dentro, você vai achar mais de 600 páginas cheias de ilustrações que falam por si só, com instruções detalhadas que vão desde o básico até o avançado. Já pensou em quanta coisa nova você vai aprender e aplicar aí no seu cantinho verde?

Quer ter a alegria de comer frutas que você mesmo plantou? Ou que tal ver flores que mais ninguém tem, colorindo seu jardim e perfumando sua casa? Pois é, esse eBook entrega isso e muito mais. Bora dar esse passo e transformar seu espaço ao ar livre num verdadeiro oásis particular? Pega seu exemplar agora e vamos nessa jornada juntos! E aí, preparado pra ver seu jardim virar capa de revista?

Oferta por tempo limitado!

DE R$ 59,90 POR APENAS

R$ 19,90 à vista

Sobre Raquel Patro

Raquel Patro é paisagista e fundadora do site Jardineiro.net. Desde 2006, ela desenvolve conteúdos especializados em plantas e jardins, pois acredita que todas as pessoas, sejam amadores ou profissionais, devem ter acesso a conteúdos de qualidade. Nerd de carteirinha, ela gosta de livros, ficção científica e tecnologia.