Sua dose diária de jardinagem no whatsapp - 100% Grátis Participar do Grupo

O Papel dos Adubos na Saúde do seu Gramado

Raquel Patro

Publicado em

Qual adubo escolher?

Você já se perguntou por que alguns gramados são mais deslumbrantes, densos e saudáveis do que outros? Ou por que sempre achamos que a grama do vizinho é mais verde que a nossa?

A resposta pode estar na fertilidade do solo e, mais precisamente, nos adubos utilizados. Este artigo explorará a importância crucial dos adubos na promoção da saúde do seu gramado, destacando estratégias específicas e atuais para garantir um crescimento vibrante e sustentável. Prepare-se para mergulhar num conhecimento amplo de adubação, com o objetivo principal de melhorar a saúde do seu gramado, reduzindo gastos com irrigação, defensivos e podas desnecessárias.

grama verde
Um gramado nutrido e verdinho é convidativo a atividades de lazer, contemplação e esporte. Foto Canva

Poucas pessoas sabem que os nossos gramados residenciais precisam de reposição de nutrientes. Mas a verdade, é que os nutrientes do solo não são infinitos, e precisamos repor tudo aquilo que a grama constrói através do seu crescimento e levamos embora durante os cortes da grama.

Mas como saber se um gramado precisa de nutrientes?

Essa é fácil! Um gramado que apresenta um tom de verde muito claro, falhas, manchas, crescimento lento, ataque de pragas ou doenças, ou até mesmo infestação de plantas daninhas, está dando claros sinais de que precisa se alimentar melhor. Assim como nós, que quando falta alguma coisa em nossa alimentação logo surgem problemas de saúde relacionados, o gramado também dá sinais, nos mostrando que ele precisa de um reforço nutricional.

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE

Mas como podemos vitaminar nosso gramado? Através da utilização de nutrientes, que vem através dos adubos.

Macro e Micronutrientes: A Base para um Gramado Próspero

Entender a distinção entre macronutrientes e micronutrientes é fundamental para a saúde do seu gramado. Enquanto nitrogênio (N), fósforo (P) e potássio (K) são macronutrientes bastante comuns nos fertilizantes de jardim, outros macronutrientes importantes como cálcio (Ca), magnésio (Mg) e enxofre (S) geralmente são esquecidos e negligenciados. Isso, sem falar dos micronutrientes como ferro (Fe), boro (B) e zinco (Zn) que desempenham papéis igualmente cruciais, embora sejam necessários em quantidades menores.

1. Nitrogênio (N)

O nitrogênio é amplamente reconhecido como o combustível do crescimento foliar. Sua deficiência pode resultar em sintomas visíveis, como amarelamento das folhas, conhecido como clorose. O gramado pode apresentar um aspecto pálido e sem vida, comprometendo a estética desejada. A falta de nitrogênio também afeta diretamente a taxa de crescimento, levando a um gramado mais lento e menos exuberante.

2. Fósforo (P)

O fósforo desempenha um papel crucial no desenvolvimento das raízes, na formação de flores e sementes, e na transferência de energia nas plantas. A deficiência de fósforo pode se manifestar através de um crescimento raquítico e uma falta de florescimento. O gramado pode exibir uma coloração mais escura, indicando uma limitação no desenvolvimento das raízes, o que, por sua vez, afeta a saúde geral da grama.

3. Potássio (K)

O potássio é essencial para a resistência do gramado a doenças, estresses ambientais e também desempenha um papel fundamental na regulação da água. A falta de potássio pode resultar em uma grama mais suscetível a pragas e doenças, bem como em sintomas de desidratação, como margens das folhas secas e enrolamento das bordas. Manter níveis adequados de potássio é vital para garantir a robustez do seu gramado.

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE

4. Cálcio (Ca)

Embora o cálcio seja frequentemente subestimado em sua importância, desempenha um papel essencial na estrutura celular e no desenvolvimento geral das plantas. A deficiência de cálcio pode se manifestar através de sintomas como folhas distorcidas, manchas necróticas e, em casos mais graves, pode comprometer a integridade estrutural das folhas. Assegurar uma oferta adequada de cálcio é crucial para manter a saúde e a resistência do gramado.

5. Magnésio (Mg)

O magnésio é um componente vital da clorofila, a molécula responsável pela fotossíntese. A deficiência de magnésio pode levar a um amarelamento entre as veias das folhas, uma condição conhecida como interveinal chlorosis. Este é um sinal claro de que o gramado está enfrentando dificuldades na produção de clorofila, afetando diretamente sua capacidade de realizar a fotossíntese de maneira eficiente.

6. Enxofre (S)

O enxofre desempenha um papel essencial na síntese de aminoácidos e proteínas. A falta de enxofre pode se manifestar através de sintomas como o amarelamento das folhas, semelhante ao causado pela deficiência de nitrogênio. No entanto, a falta de enxofre é mais evidente nas folhas mais jovens, enquanto a deficiência de nitrogênio afeta as folhas mais antigas. Assegurar uma oferta adequada de enxofre é vital para garantir o desenvolvimento saudável do gramado.

Na tabela abaixo, você pode ter uma visão abrangente também dos micronutrientes essenciais para a saúde do gramado ornamental, destacando suas funções fisiológicas e os sintomas que podem surgir em caso de deficiência. A atenção adequada a esses micronutrientes é crucial para garantir um gramado exuberante e resistente ao longo do tempo.

Micronutriente Importância na Fisiologia do Gramado Principais Sintomas de Deficiência
Boro (B) Participa na formação da parede celular e regula o metabolismo. Folhas distorcidas, morte de brotos e desenvolvimento irregular.
Cloro (Cl) Contribui para a fotossíntese e regula a abertura dos estômatos. Murchamento, amarelamento e necrose nas margens das folhas.
Cobalto (Co) Componente de enzimas essenciais na fixação de nitrogênio. Retardo no crescimento, especialmente em leguminosas.
Cobre (Cu) Participa em processos enzimáticos e na síntese de clorofila. Amarelamento das folhas, especialmente entre as nervuras.
Ferro (Fe) Essencial para a síntese de clorofila e transporte de elétrons. Clorose, amarelamento das folhas, principalmente nas partes mais novas.
Manganês (Mn) Atua na fotossíntese, respiração e metabolismo do nitrogênio. Manchas amareladas ou brancas entre as nervuras, especialmente em folhas mais velhas.
Molibdênio (Mo) Importante para a fixação de nitrogênio e ativação de enzimas. Murchamento, amarelamento e torção das folhas.
Zinco (Zn) Envolvido na síntese de proteínas e regulação hormonal. Clorose intervenal, folhas mais pequenas e enrolamento das folhas.
Silício (Si) Reforça a estrutura celular, aumentando a resistência a doenças e estresses. Redução na resistência, susceptibilidade a doenças e pragas.
Selênio (Se) Atua como antioxidante e na regulação de processos metabólicos. Redução do crescimento, amarelamento das folhas e distúrbios no desenvolvimento.

Mas atenção: essa é uma visão ampla sobre nutrientes e não é o objetivo desse artigo se aprofundar nos macro e micronutrientes. Mas se você trabalha com implantação e manutenção de gramados ou simplesmente quer obter o melhor das suas plantas, recomendo fortemente que procure saber mais sobre o assunto. Se você tiver interesse em se aprofundar, recomendo o e-book Adubos Avançados, que é dividido em dois volumes e explica em detalhes a nutrição das plantas, de uma forma fácil de compreender, e onde você vai descobrir a melhor forma de fornecer esses nutrientes na forma dos adubos de alta qualidade, adaptados à realidade brasileira.

E-book Adubos Avançados
E-book Adubos Avançados

Adubação no Brasil: Um Equilíbrio Delicado

No Brasil, a adubação de gramados ornamentais enfrenta desafios únicos devido ao clima tropical e subtropical. A escolha da grama e as práticas de adubação precisam levar em consideração essas condições climáticas específicas. Apesar de ser comum o uso de adubos orgânicos e adubos NPK para jardinagem amadora, é crucial compreender que a aplicação excessiva pode ser tão prejudicial quanto a falta de nutrientes. Encontrar o equilíbrio certo requer conhecimento e atenção cuidadosa.

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE

O primeiro aspecto a considerar é que os fertilizantes químicos primordiais foram desenvolvidos para o clima temperado. No clima frio, eles não eram tão rapidamente absorvidos pelas plantas, pouco se perdia por evaporação e lixiviação, de forma que os adubos, embora solúveis, ficavam um bom tempo no solo. Mas em nosso clima tropical, os nutrientes passam pelos ciclos naturais de uma forma muito mais rápida, promovendo facilmente desequilíbrios nutricionais no gramado. À primeira vista, o gramado fica mais verde e viçoso, com o aporte de nitrogênio. Mas esse crescimento geralmente torna as plantas fracas e suscetíveis a pragas e doenças oportunistas.

Imagine que, embora a grama precise de uma série de nutrientes, ela receba apenas nitrogênio, fósforo e potássio, enquanto os outros nutrientes continuam faltando. Isso se você considerar que ela receba uma formulação NPK balanceada, ao invés de um punhado de uréia. Em um comparativo com um prédio em construção, é como se utilizássemos um concreto com pouco cimento e muita areia, ou pior, com uma quantidade menor de alicerces do que o necessário. Ou seja, o prédio até sai do chão e é finalizado rapidamente, mas tem baixa qualidade e é suscetível a trincas, fissuras e quem sabe até a desmoronar.

Com o gramado acontece o mesmo. Devemos refletir e objetivar um gramado bem estruturado, com raízes fortes e profundas (para aguentar a estiagem), com folhas robustas e abundantes que tolerem o pisoteio e o ataque de pragas, ao mesmo tempo em que cobrem bem o solo, diminuindo a chance de aparecerem ervas daninhas. Pra completar o quadro, esse gramado bem nutrido tem uma linda cor verde brilhante e consistente ao longo do tempo (e não somente quando você aplica o adubo!).

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE

Leve em consideração também que nem sempre o nosso objetivo ao cultivar qualquer tipo de planta é de que ela cresça rápido. Um crescimento moderado, porém equilibrado e forte é mais desejável quando pensamos em gramados. Para que, além de fortalecidos, eles não precisem de cortes tão frequentes. Dessa forma, ao invés de forçar um crescimento e um verde intenso com altas doses de nitrogênio, pode fazer mais sentido fornecer uma nutrição mais completa, segurando um pouco a adubação nitrogenada, com a ideia de obter um gramado mais saudável.

Além disso, a saúde do gramado não depende apenas dos nutrientes aplicados, mas também de como esses nutrientes são absorvidos. Aqui entra em cena o pH do solo. Muitos solos brasileiros são naturalmente ácidos, exigindo a calagem para ajustar o pH e permitir a absorção eficiente de nutrientes. Fora da faixa de pH ideal, poucos adubos são absorvidos, e você estará literalmente jogando dinheiro fora. A calagem, com calcário dolomítico (o mais comum e fácil de encontrar), além de trazer o pH para a neutralidade, ainda fornece Cálcio e Magnésio, dois importantes macronutrientes para as plantas que já citamos. Se o pH do solo do seu jardim está em dia, a gessagem pode ser uma excelente aliada, fornecendo Cálcio e Enxofre, ao mesmo tempo em que promove um enraizamento amplo e profundo das gramíneas, reduzindo a toxicidade do Alumínio e Manganês, sem alterar o pH.

O Futuro é Agora: Adubos Inteligentes

Quer dizer que eu não devo mais utilizar o velho e bom NPK 10.10.10?

Os tradicionais NPK 10.10.10, assim como a uréia, ainda tem o seu lugar. A diferença é que agora temos novas ferramentas para usar estrategicamente no gramado. Não precisamos mais ficar limitados aos fertilizantes simples, e podemos sim utilizá-los de forma complementar para que o gramado receba uma nutrição completa ao longo do ano. Mas o fato é que o cuidado com gramados evoluiu significativamente ao longo dos anos, e o futuro da jardinagem está cada vez mais ancorado em práticas inovadoras.

Nesse cenário, destacam-se os adubos inteligentes, que oferecem soluções avançadas para promover a saúde e a vitalidade dos gramados. E ao contrário do que você pode pensar, eles são fáceis de encontrar e utilizar. Neste artigo, exploraremos três vertentes bastante interessantes: adubos de liberação lenta ou controlada, adubos organo-mineirais ricos em nutrientes e substâncias benéficas, e condicionadores de solo que promovem a estruturação e proteção do solo.

Adubos de Liberação Lenta ou Controlada: Eficiência ao Longo do Tempo

Uma das tendências mais promissoras na fertilização de gramados é a utilização de adubos de liberação lenta ou controlada. Os famosos adubos do tipo Cote não precisam ficar restritos aos vasinhos de plantas. Esses adubos inovadores proporcionam uma liberação gradual de nutrientes, garantindo uma nutrição constante ao longo de semanas ou até meses. Esse método não apenas simplifica a manutenção do gramado, mas também minimiza o risco de lixiviação de nutrientes em solos mais arenosos.

Além de fornecer uma nutrição consistente, os adubos de liberação lenta ou controlada contribuem para a sustentabilidade, reduzindo a necessidade de aplicações frequentes e minimizando o impacto ambiental. Apesar de serem mais caros, eles se pagam ao longo do tempo, pois são precisas menos fertilizações para obter um gramado deslumbrante. Basta fazer as contas. Essa abordagem eficiente está transformando a maneira como encaramos a adubação, proporcionando resultados duradouros e visíveis.

Adubos Orgânomineirais: Nutrição Completa e Além

Os adubos orgânomineirais apesar de ainda pouco utilizados representam um avanço significativo na fertilização de gramados. Esses produtos inovadores combinam o melhor dos adubos orgânicos e minerais, proporcionando uma nutrição completa que abrange tanto os macronutrientes quanto os micronutrientes essenciais para o crescimento saudável do gramado.

O diferencial dos adubos orgânomineirais vai além da simples oferta de nutrientes. Eles incorporam aminoácidos, extratos de algas, probióticos e outras substâncias benéficas que têm efeitos positivos na saúde das plantas. Os aminoácidos, por exemplo, desempenham um papel crucial na síntese de proteínas, promovendo um desenvolvimento robusto das plantas. Os extratos de algas, ricos em hormônios vegetais naturais, estimulam o crescimento e fortalecem a resistência a estresses ambientais como a seca ou geada.

Essa abordagem holística não apenas atende às necessidades nutricionais do gramado, mas também promove uma saúde geral. Os adubos orgânomineirais estão se tornando a escolha preferida para aqueles que buscam uma fertilização eficaz e sustentável. Mas é preciso bastante critério na escolha. Assim como podemos comprar um organomineral de boa qualidade, também podemos cair no conto do vigário e escolher um produto com poucos ativos e nutrientes. Sempre confira a embalagem dos produtos, procurando pelos níveis de garantia. Os melhores organominerais tem além do famigerado trio NPK, os outros macronutrientes e os micronutrientes, e pelo menos uma substância que favorece a saúde das plantas, como extrato de algas, ácidos húmicos, aminoácidos, etc.

Qual adubo escolher?
Qual adubo escolher? Foto Canva

Condicionadores de Solo: Promovendo a Estruturação e Proteção

Além da nutrição direta, a saúde do gramado depende significativamente da qualidade do solo. Nesse sentido, os condicionadores de solo estão emergindo como aliados cruciais na manutenção de um solo estruturado e protegido de problemas comuns, como compactação. Esqueça a cobertura do gramado com terra preta. Essa técnica ultrapassada pode até fornecer alguns nutrientes que estão em falta, mas geralmente faz mais mal do que bem ao gramado no longo prazo.

A terra preta costuma ter além de estercos, terra de barranco e muita argila natural. Os estercos e a terra de barranco, apesar de férteis, contém milhares de sementes de ervas daninhas que vão infestar seu gramado em pouco tempo. A argila presente no solo que geralmente acompanha esses materiais vai favorecer a compactação do gramado, impedindo que o ar, a água e os nutrientes cheguem às raízes. O resultado é um gramado que tem sua qualidade reduzida com o passar do tempo.

Mas o que utilizar então?

A melhor maneira de estruturar o solo é com a utilização de condicionadores de solo e a simples areia. Em misturas, eles são a dobradinha perfeita para um solo estruturado e raízes que respiram.

Os condicionadores de solo geralmente são compostos com fibras de matéria orgânica de lenta decomposição. Um desses materiais é a turfa, proveniente de material vegetal parcialmente decomposto, possui a capacidade única de reter água e nutrientes, promovendo um ambiente ideal para o crescimento das raízes. Outras opções são a casca de pinus decomposta, resíduo de ácacia, ou até mesmo fibra de côco. Esses materiais orgânicos de lenta decomposição contribuem para a melhoria da estrutura do solo, prevenindo a compactação e permitindo uma melhor circulação de ar e água.

Ao adicionar condicionadores de solo ao gramado, os jardineiros não apenas fornecem nutrientes adicionais, mas também criam um ambiente propício para o desenvolvimento radicular saudável e resistente. Essa abordagem proativa não apenas melhora a aparência do gramado, mas também contribui para a resiliência do ecossistema do solo.

Adubação Estratégica ao Longo das Estações:

Mas adubação do gramado não é apenas sobre escolher os nutrientes e adubos certos, mas também sobre o timing adequado para garantir um crescimento robusto e uma saúde duradoura. Vamos explorar qual fertilizante utilizar em cada época do ano para gramados ornamentais, levando em consideração os principais nutrientes.

Primavera: O Início do Ciclo de Crescimento

Na primavera, o gramado está se recuperando do inverno e se preparando para um período de crescimento intenso. O fertilizante ideal deve ser rico em nitrogênio (N) para estimular o crescimento foliar exuberante. Além disso, adubos com fósforo (P) promovem o desenvolvimento radicular, preparando o gramado para enfrentar as condições adversas do verão. Micronutrientes como ferro (Fe) e manganês (Mn) também desempenham um papel vital nessa fase.

Verão: Fortalecendo a Resistência

Durante o verão, é crucial manter a resistência do gramado diante do calor e estresse ambiental. Fertilizantes com uma proporção equilibrada de nitrogênio (N) e potássio (K) são ideais. O nitrogênio mantém a cor verde vibrante das folhas, enquanto o potássio fortalece a resistência à seca e doenças. A presença de micronutrientes como zinco (Zn) e boro (B) é especialmente benéfica para promover uma resposta de defesa eficaz.

Outono: Preparação para o Inverno

No outono, a ênfase muda para fortalecer as raízes e preparar o gramado para o inverno. Fertilizantes com fósforo (P) e potássio (K) em uma concentração balanceada são recomendados. O fósforo estimula o desenvolvimento radicular, enquanto o potássio melhora a resistência às condições frias. Micronutrientes como cobre (Cu) e molibdênio (Mo) podem ser adicionados para garantir uma base sólida antes do período de dormência.

Inverno: Descanso e Recuperação

Durante o inverno, o gramado entra em um período de dormência. Embora a adubação seja reduzida, fertilizantes com uma formulação balanceada de nutrientes, incluindo potássio (K) para fortalecer a resistência ao frio, podem ser aplicados no início da estação.

Calagem, Gessagem e Condicionador de Solo

A calagem, geralmente realizada na época de dormência do gramado, é crucial para ajustar o pH do solo. Em solos naturalmente ácidos, a calagem eleva o pH, promovendo uma absorção eficiente de nutrientes. Aplique o calcário a cada um ou dois anos, durante o outono. A gessagem, se necessária, pode ser feita a qualquer tempo como um complemento nos problemas de compactação do solo.

Quanto aos condicionadores de solo, sua aplicação pode ser estratégica. No início da primavera, antes do período de crescimento ativo, é ideal incorporar condicionadores orgânicos para melhorar a estrutura do solo e promover a retenção de água, estimulando o crescimento de novas raízes. Na transição para o outono, condicionadores ricos em matéria orgânica podem ser aplicados para fortalecer as raízes antes do inverno. Lembre-se de colocar a aeração do gramado no seu cronograma também.

O que vem por aí?

A revolução tecnológica na adubação de gramados ornamentais está moldando o futuro do cuidado com espaços verdes. A incorporação de sensores, inteligência artificial e drones está redefinindo as práticas tradicionais, oferecendo abordagens mais precisas e eficientes. Sensores avançados mapeiam a saúde do gramado, permitindo estratégias personalizadas para atender às necessidades específicas de cada área. A inteligência artificial, por sua vez, utiliza algoritmos avançados para prever com precisão as demandas nutricionais, promovendo uma adubação sustentável e eficiente.

Drones proporcionam uma visão aérea detalhada, permitindo uma aplicação direcionada de adubos e minimizando o impacto ambiental. O monitoramento em tempo real completa esse cenário, possibilitando ajustes imediatos às estratégias de adubação em resposta a mudanças climáticas e variações nas condições do solo. Essas tecnologias representam não apenas um avanço na estética dos gramados, mas também uma abordagem consciente e sustentável para o manejo de espaços verdes, estabelecendo um novo padrão de excelência na adubação de gramados ornamentais.

Nutrir o gramado vai além de simplesmente jogar adubo. É um processo complexo que requer uma abordagem equilibrada, desde entender os nutrientes essenciais até escolher os adubos certos. A saúde do solo desempenha um papel crucial, garantindo que as plantas absorvam os nutrientes de forma eficaz.

A tecnologia está transformando a maneira como cuidamos dos gramados. Sensores, inteligência artificial e drones oferecem uma visão detalhada, permitindo estratégias personalizadas e sustentáveis. A adubação agora é uma ciência que evolui para atender às necessidades específicas de cada gramado. Adubos de liberação lenta, adubos orgânomineirais e condicionadores de solo são ferramentas valiosas para alcançar um gramado exuberante e resistente. O cuidado com os gramados está evoluindo, e adotar práticas inovadoras é o caminho para alcançar resultados excepcionais.

Você está pronto para levar a nutrição do seu gramado para o próximo nível?


Já pensou em abrir a porta de casa e dar de cara com um jardim espetacular que parece ter saído diretamente de uma revista? Seja sincero, quem não queria?

E aí, já tá imaginando o upgrade que seu jardim vai ganhar? Cada vez que você botar a mão na terra e ver o resultado crescendo e florindo, vai sentir aquela satisfação de "puxa, eu que fiz!". "101 Técnicas de Jardinagem Explicadas" não é só um livro, é tipo um melhor amigo pra quem ama plantar e cuidar.

Bom, com o eBook 101 Técnicas de Jardinagem Explicadas, esse desejo pode virar realidade, e acredite, mais fácil do que você imagina. Tá começando do zero ou já tem a mão meio verde? Não importa! Este guia foi feito pensando em todo mundo. Aqui dentro, você vai achar mais de 600 páginas cheias de ilustrações que falam por si só, com instruções detalhadas que vão desde o básico até o avançado. Já pensou em quanta coisa nova você vai aprender e aplicar aí no seu cantinho verde?

Quer ter a alegria de comer frutas que você mesmo plantou? Ou que tal ver flores que mais ninguém tem, colorindo seu jardim e perfumando sua casa? Pois é, esse eBook entrega isso e muito mais. Bora dar esse passo e transformar seu espaço ao ar livre num verdadeiro oásis particular? Pega seu exemplar agora e vamos nessa jornada juntos! E aí, preparado pra ver seu jardim virar capa de revista?

Oferta por tempo limitado!

DE R$ 59,90 POR APENAS

R$ 19,90 à vista

Sobre Raquel Patro

Raquel Patro é paisagista e fundadora do site Jardineiro.net. Desde 2006, ela desenvolve conteúdos especializados em plantas e jardins, pois acredita que todas as pessoas, sejam amadores ou profissionais, devem ter acesso a conteúdos de qualidade. Nerd de carteirinha, ela gosta de livros, ficção científica e tecnologia.