Vime-unha-de-gato – Salix discolor

 Salix discolor, Loza, Salgueiro-gato, Salgueiro-americano

Foto: Tom Brandt

O vime-unha-de-gato é um arbusto ou arvoreta decídua, dióica e da mesma família dos salgueiros. O nome unha-de-gato é uma alusão às felpudas flores que surgem nos ramos. Elas lembram as fofas patas ou rabinhos de gato. Sua ramagem é ramificada, ereta e lenhosa. A casca é geralmente lisa, e pode ter diferentes tonalidades de castanho, do mais claro, passando pelo marrom, até o vermelho. As folhas são elípticas a ovais, alternas e com nervuras claras e bem marcadas. As inflorescências são do tipo amento, sendo que as masculinas são como pequenos pompons, macias, brilhantes e sedosas, devido ao longos e numerosos estames. As femininas não tem o mesmo apelo ornamental, sendo mais longas e não felpudas. As flores surgem na primavera, antes mesmo do surgimento das folhas. Elas são muito atrativas para abelhas e borboletas. Há muitas variedades deste salgueiro, que variam principalmente no porte, cor dos ramos, assim como no tamanho, forma e cor das flores.

No Brasil, este salgueiro é mais conhecido como uma planta de corte. Seus ramos, adornados com as flores prateadas e globosas são utilizados com frequência em arranjos florais, oferecendo um efeito bastante dramático e belo. Aqui, esta árvore peculiar é geralmente cultivada em regiões com frio invernal, em fazendas que visam a produção dos ramos para corte. Ela pode, no entanto, oferecer suas qualidade ornamentais também no paisagismo, podendo ser conduzidas como árvore ou arbusto. No outono e inverno, suas folhas adquirem belos tons de amarelo, antes de cair. O fato de ser uma árvore caduca, a torna interessante em locais em que se deseja sombra no verão e luz no inverno.

Deve ser cultivado sob sol pleno, em solo fértil, profundo, enriquecido com matéria orgânica e irrigado regularmente nos primeiros anos após a implantação e sempre que ocorrer estiagem. É bastante exigente em água, preferindo locais úmidos e pantanosos, como à beira de cursos d’água. O vime-unha-de-gato pode crescer livremente, sem podas, mas podemos estimular uma forma mais compacta e o porte arbustivo ao efetuar podas após a floração. Podas drásticas a cada três anos, irão resultar em ramos mais longos e flores maiores. Multiplica-se facilmente por sementes e estacas, que podem ser colocadas a enraizar em substrato mantido úmido ou mesmo em vasos com água trocada regularmente. Para reprodução por estacas, escolha os ramos novos, semi-lenhosas e com ao menos duas gemas. O inconveniente da propagação por sementes é obter também indivíduos fêmeas, que não são muito ornamentais.

Se este artigo ajudou você. Então compartilhe este artigo e ajude a divulgar essa informação.

Conte-nos sua experiência sobre o assunto deste artigo

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *