Saritéia – Saritaea magnifica

A saritéia é uma trepadeira semilenhosa, perenifólia, originária da Colômbia e Equador na América do Sul. A ramagem é escandente, com galhos cilíndricos marcados com estrias longitudinais. A folhas são compostas por dois folíolos opostos e ovalados, e mais dois apêndices junto à inserção no caule, que possui uma gavinha na ponta. Essa folha é característica da espécie e permite sua identificação mesmo que esteja sem flores. Os folíolos são verde-escuros, coriáceos e brilhantes, com venações bem marcadas. Floresce o ano todo, mas com mais intensidade na primavera e verão, despontando flores em formato de trompete, de cor rósea a lilás, com o centro branco amarelado e piloso. A polinização é feita por abelhas do gênero Euglossa, abelhas solitárias de cor metálica geralmente verdes. O fruto formado é uma cápsula achatada, contendo duas sementes aladas.

Foto de sclereid0309

Uma trepadeira vigorosa e de rápido crescimento, ideal para o cultivo em grandes suportes, desde cercas, até pérgolas ou caramanchões. No Brasil, sua popularização se deu principalmente pelo trabalho do paisagista Roberto Burle Marx. É uma espécie muito florífera e de grande sucesso em regiões tropicais, sendo largamente cultivada na Índia e no sul dos Estados Unidos como ornamental. Não requer muita manutenção que se resume a podas para controlar seu crescimento e adubações semestrais.

Deve ser cultivada sempre sob sol pleno, em solo fértil, drenável, enriquecido com matéria orgânica e irrigado nos primeiros anos após o plantio. Após bem estabelecida, podemos regar apenas durante os períodos de estiagem. Tolera a salinidade de regiões litorâneas. É suscetível ao frio intenso ou geadas. Aprecia o clima quente e úmido. Multiplica-se por sementes, alporques ou estacas postas a enraizar no início da primavera.

Se este artigo ajudou você. Então compartilhe este artigo e ajude a divulgar essa informação.