Rambutão – Nephelium lappaceum

Raros frutos amarelos Foto de Challiyil Eswaramangalath
O rambutão é o fruto da rambuteira, árvore perenifólia e dióica, originária do arquipélago malásio e cultivada em diferentes regiões tropicais por seus frutos exóticos no aspecto, perfumados e saborosos. Da família das Sapindáceas, ele é aparentado com a Lichia (Litchi chinensis) e com o Pitomba (Talisia esculenta). Apresenta porte elevado, podendo alcançar de 12 a 20 metros de altura, com uma copa ampla e espalhada. Suas folhas são alternas, pinadas, com três a onze folíolos brilhantes e elípticos. A rambuteira pode ser macho, apresentando flores exclusivamente masculinas, hermafrodita, com flores femininas e uma pequena porcentagem de flores masculinas, ou fêmea, com flores funcionalmente femininas apenas. As inflorescências são do tipo panícula, com numerosas flores pequenas e esverdeadas, de pouca importância ornamental. Abelhas, formigas e moscas são os principais responsáveis pela polinização da espécie, que em alguns locais a planta frutifica até duas vezes por ano, uma no final do outono e outra no início do verão.
Pomar de Rambotão Scot Nelson
Os frutos são drupas carnosas, formados em cachos e tem polpa branca e translúcida, com casca que pode variar de diferentes tonalidades entre o amarelo e o vermelho-escuro. A casca é recoberta por espículas macias, de forma que o conjunto se assemelha a um pequeno ouriço. Essa casca contém ainda uma saponina tóxica, devendo ser totalmente removida ao se apreciar o fruto. Os frutos devem ser colhidos maduros, pois não amadurecem após a colheita. A polpa é doce, suculenta, aromática e levemente ácida. Rica em vitamina C. Geralmente é consumida crua, in natura, mas pode ser cozida para conservas. A semente, única por fruto, é marrom e achatada. Tostada, ela também é comestível e rica em ácido graxos saturados e insaturados.

A rambuteira é uma árvore muito interessante para o pomar doméstico de regiões quentes. É rústica, necessitando pouca manutenção, além de produzir sombra farta o ano todo. Dos frutos não há o que se falar: bonitos e saborosos, vão enriquecer qualquer menu. No mercado brasileiro, devido à pouca oferta ainda, alcançam preços elevados nos principais centros consumidores. Não obstante, uma rambuteira carregada de frutos, é de elevado valor como ornamental, valorizando projetos paisagístico de áreas amplas. Necessita de podas de formação apenas, para evitar que cresça em altura e estimular a ramagem lateral. Não aprecia o transplante, de forma que é melhor plantar as mudas em local definitivo, do que ir mudando de vaso conforme o crescimento.

Flores do Rambotão Dxlinh
Deve ser cultivado sob sol pleno, em solo fértil, drenável, profundo, levemente ácido e enriquecido com matéria orgânica. Árvore tipicamente tropical, aprecia o calor e a umidade. Não se desenvolve bem em regiões com climas sujeitos a temperaturas menores de 10°C. Após bem estabelecida, pode tolerar curtos períodos de estiagem, embora prefira chuvas constantes. Aprecia fertilizações durante o crescimento e frutificação. Multiplica-se por sementes, estaquia, alporquia, borbulhia e enxertia. A germinação das sementes é simples, basta despolpar os frutos maduros, lavar em água corrente e semear logo em seguida, em substrato arenoso e mantido úmido. As sementes de rambutão perdem a capacidade de germinar se armazenadas. A germinação pode levar de 7 a 30 dias. As plantas oriundas de sementes são maiores, mais longevas, tardias na frutificação e não é possível prever a qualidade dos frutos. Além disso, metade das plantas serão masculinas, ou seja, não produzirão frutos. Os métodos vegetativos de propagação permitem obter plantas uniformes, de qualidade conhecida, porte reduzido e precoces. A estaquia obtém sucesso quando são utilizados hormônios enraizadores, com taxa de pegamento de 30 a 70%. O método mais interessante para os pomares comerciais é, no entanto, a enxertia, podendo ser por borbulhia. Plantas assim produzidas podem iniciar a frutificação em cerca de dois a três anos após o plantio, enquanto que as produzidas por semeadura podem levar 5 a 6 anos. O espaçamento recomendado entre as mudas varia de 6 a 10 metros entre plantas e entre linhas.

Se este artigo ajudou você. Então compartilhe este artigo e ajude a divulgar essa informação.

Medicinal:

  • Indicações: Febre, Verminose, Diarréia, Dor de cabeça,
  • Propriedades: Adstringente, Estomáquico, Antihelmíntico
  • Partes Utilizadas: Frutos, Folhas, Raízes, Casca do tronco,

Alerta:

A casca dos frutos contém saponinas que podem ser tóxicas se ingeridas.