Palmeira-moinho-de-vento – Trachycarpus fortunei

A palmeira-moinho-de-vento é uma espécie dióica, ornamental, nativa de regiões temperadas e subtropicais da China, Japão, Birmânia e Índia. Ela se tornou conhecida em diversas partes do mundo, por sua preferência por climas subtropicais e resistência ao frio intenso, o que a torna uma palmeira de eleição para regiões mais frias, onde outras espécies pereceriam ao primeiro inverno. Apresenta estipe (tronco) único, mais engrossado em sua base, e recoberto por uma densa camada de fibras escuras e pela base dos pecíolos das folhas que já caíram. As folhas possuem o formato de leque, segmentadas a partir da metade, em longos e, muitas vezes pendentes, filamentos. As folhas possuem fortes pecíolos e são densamente arranjadas, formando uma coroa compacta, de aspecto arredondado. Floresce no verão, em densas panículas plumosas, com numerosas e pequenas flores amarelas, em sexos separados. As plantas fêmeas, se polinizadas, produzem frutos do tipo drupa, oblongos e de cor azul escuro.

Das palmeiras com tronco, esta é a espécie mais resistente ao frio, o que permite que paisagistas de países de clima temperado, possam trazer os ares tropicais para os jardins que projetam, pois não obstante o fato dela apreciar o frio, não deixa de ser uma palmeira, o que sempre nos dá a sensação de vistosa tropicalidade. Assim, regiões frias e montanhosas, como nas regiões serranas e do extremo sul do Brasil, onde geadas intensas são registradas anualmente, podemos cultivar esta bela palmeira em toda sua exuberância. Em ótimas condições, ela pode crescer cerca de um palmo por ano. Utilize-a isolada, em grupos ou linhas, servindo em jardins pequenos ou extensos e mesmo próximo a construções ou piscinas, visto que suas raízes não são agressivas. Quando jovens, as palmeiras-moinho-de-vento também podem ser plantadas em vasos e conduzidas como planta de interior, em ambientes bem iluminados. Uma curiosidade: na China, as fibras do caule são utilizadas na fabricação de capachos, esteiras, vassouras e mantas rústicos.

Deve ser cultivada sob sol pleno ou meia sombra, em solo levemente ácido e drenável, enriquecido com matéria orgânica e irrigado regularmente. Plantas bem estabelecidas resistem ao frio intenso, de até -20°C, assim como a geadas e neves. No entanto, é importante resguardá-la de ventos fortes, aos quais é bastante sensível. Não tolera solos muito úmidos, sujeitos a encharcamento, principalmente no inverno, no entanto é bastante resistente à períodos secos, com algum prejuízo na taxa de crescimento. Plantas cultivadas em climas mais quentes se desenvolvem melhor quando semi-sombreadas e com irrigação suplementar. Fertilize com adubos próprios para palmeiras durante os meses de primavera e verão. Suspenda as regas no inverno ou reduza ao mínimo necessário. Multiplica-se por sementes, que devem ser despolpadas de frutos maduros, e plantadas o mais breve possível, sob temperaturas entre 18°C e 21°C, com substrato arenoso e de boa capacidade de retenção de água, mas não encharcado. Germina em poucas semanas. Sementes férteis são obtidas apenas de plantas fêmeas cultivadas com ambos os sexos minimamente próximos. As mudas estarão prontas para o transplante após um ano do plantio.

Se este artigo ajudou você. Então compartilhe este artigo e ajude a divulgar essa informação.

One comment on “Palmeira-moinho-de-vento – Trachycarpus fortunei

  1. Acho que essa palmeira é a que tenho em casa-duas.Tô com uma praga de lagarta nela.As largartas comem as folhas todas.Não deixam nada.Só fica o caule que tem entre as folhas.Fica muito feio.E só tem essas palmeiras em minha rua.As maritacas vinham sempre comer os coquinhos que elas produzem.Mais esse ano não teve.Acho que foi por causa dessas lagartas.Todo ano minhas palmeiras dão muitos cocos(não sei como chama o fruto da palmeira).A impressão que se dá é que os coquinhos qd vão nascer não tem a proteção das folhas e o sol bate bem em cima ou a chuva e eles não se desenvolvem.A largarta é marron e vira mariposa.Só voa à noite.Alguém sabe o nome dessa lagarta e como exterminá-la?Qd elas tão bem gordas e grandes caem lá de cima e procuram um lugar pra fazer o casulo.Caem as montes.As vezes dá pra ver uma 20,30 lagartas procurando um lugar pra fazer o casulo.E a noite dá pra ver o barulhinho das fezes dela caindo nas folhas das minhas bananeiras que tenho embaixo.Dá uma agonia arretada vê que elas tão acabando com as folhas das palmeiras e eu sem poder fazer nada.De manhã tb o quintal tá embaixo das palmeiras tá todo sujo das fezes das lagartas.Se alguém poder me informar um remédio ou me indicar alguém que possa vir aqui pra olhar,ficarei muito grato.Obrigado.

Conte-nos sua experiência sobre o assunto deste artigo

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.