Palmeira-leque – Licuala grandis

A palmeira-leque é uma espécie de pequeno porte, que dificilmente ultrapassa os três metros de altura. Seu estipe (tronco) é único e de pouco diâmetro. Ela chama atenção, no entanto, por suas folhas tão singulares. Elas são grandes, redondas a triangulares, coriáceas, de cor verde-brilhante, plissadas e com margem denteada. Estas folhas são sustentadas por pecíolos fortes, longos e espinhentos. Apenas os indivíduos já com tamanho considerável de tronco florescem e frutificam. As flores são de cor creme, diminutas e surgem em inflorescências ramificadas que despontam em longos cachos. Os frutos são vermelho-alaranjados, esféricos e bastante decorativos. Ocorre ainda uma forma variegada da planta com belas folhas listradas de branco.

É uma espécie de crescimento lento, sendo mais utilizada e conhecida decorando ambientes internos bem iluminados, envasada, como uma folhagem estonteante. Há que se tomar o cuidado de colocá-la em ambientes bastante amplos, pois pode facilmente ficar desproporcional ao local. É possível também utilizá-la no jardim, inclusive sob sol pleno, ao contrário do que muitos podem falar. O importante é que neste caso se atenda a um principal requisito, o local de plantio deve ser tipicamente tropical, ou seja, quente e úmido. Desta forma, pode ser aproveitada isolada, como destaque, ou formar fileiras, grupos e pequenos conjuntos. Exige pouca manutenção, que consiste na remoção das folhas velhas e secas e fertilizações regulares durante as estações quentes. O reenvase bienal também faz parte da rotina de manutenção das palmeiras-leque cultivadas em vasos. Suas folhas se prestam ainda para inusitados arranjos florais, podendo ser utilizadas inteiras ou recortadas.

Deve ser cultivada sob sol pleno ou meia sombra, em solo fértil, drenável, enriquecido com matéria orgânica e irrigado regularmente. Aprecia o calor e umidade tropicais. Não resiste às geadas, estiagem ou frio intenso. Em locais de clima quente e seco, é primordial conduzi-las sob meia sombra. Resguarde as plantas envasadas de ambientes com ar condicionado. Pode ser cultivada em regiões litorâneas, mas é interessante protegê-la dos ventos fortes, que rasgam suas folhas, estragando seu magnífico aspecto. Multiplica-se por sementes recém colhidas, despolpadas e escarificadas, postas a germinar em substrato arenoso, mantido úmido. Germina em cerca de 120 dias. Como outras espécies de palmeiras, é importante manter os indivíduos jovens protegidos do sol direto por alguns anos após o plantio e posteriormente efetuar uma exposição gradual ao sol, para que a planta possa se adaptar.

Se este artigo ajudou você. Então compartilhe este artigo e ajude a divulgar essa informação.

Alerta:

Esta planta tem espinhos na base de suas folhas. Manuseie com luvas grossas.

5 comments on “Palmeira-leque – Licuala grandis

  1. Planta fantástica, com desenho especial para uma sala de estar! Seu verde proporciona diversidade de cores no ambiente sem ser extravagante. Enfim, é uma planta de classe!

  2. Moro num prédio perto da praia que tem uma garagem no sub solo que tem um canteiro com pouquíssima luz e vento…acha que a licuala sobreviveria nesse local? Por favor me ajude !
    Patricia

  3. Tenho uma planta desta em minha casa,mas está ficando com as folhas secas e queimadas,
    como posso posso salvá-las?
    rego dia sim dia não,está em um vaso com argila,lá comprei assim.
    mas está ficando feia,por favor me ajude a salvar minha licuala.

  4. Olá tenho vários vasos de clorofito e agora apareceu umas largadas miúdas e as folhas cheias de pontinhos pretos ,o que será? Pode contaminar as outras plantas? VC pode me ajudar,? Obrigado

Conte-nos sua experiência sobre o assunto deste artigo

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.