Palmeira-imperial-de-porto-rico – Roystonea borinquena

Também conhecida como palmeira-coca-cola, a palmeira-imperial-de-porto-rico é uma espécie imponente, com o tronco em formato de garrafa, originária de Porto Rico, Ilhas Virgens e São Domingos, no Caribe. Seu estipe (tronco) é único, liso, de cor cinza-claro e formato de garrafa, com a base mais larga e engrossando suavemente após uma certa altura. A área do palmito é longa e vistosa, de cor verde, e as folhas são pinadas, longas, com aspecto de pluma, arqueadas e pendentes. De grande porte, esta palmeira atinge de 12 a 30 metros de altura, e de 25 a 70 centímetros de diâmetro. As inflorescências surgem em indivíduos com idade superior a sete anos, e após, anualmente. Elas são panículas compostas por flores pequenas, masculinas e femininas, de cor amarelo creme, com anteras avermelhadas. As flores masculinas abrem-se todas e caem antes da abertura das flores femininas, prevenindo assim a autopolinização. Elas são ricas em néctar e atraem muitas abelhas. Os frutos formados são elipsóides, de cor preta quando maduros, atraindo passarinhos. Cada fruto contém uma única semente, rica em gordura, e aproveitada na fabricação de rações nos países de origem.

Uma palmeira com formato de garrafa, rápido crescimento (até um metro por ano) e o típico esplendor do gênero Roystonea, de palmeiras-imperiais. A palmeira-imperial-de-porto-rico é ideal para formar alamedas em grandes avenidas, ou acompanhar prédios suntuosos, como shoppings, monumentos, museus, condomínios de luxo, clubes, etc. Evite seu plantio em pequenos espaços, onde ficará provavelmente desproporcional. Devido às raízes em cabeleira, não agressivas, seu uso é interessante em calçadas, próximo a tubulações enterradas ou piscinas. A madeira pode ser utilizada na construção civil, mas é de pouca durabilidade, suscetível a cupins.

Deve ser cultivada sob sol pleno em solos arenosos a argilosos, neutros a levemente alcalinos, enriquecidos com matéria orgânica e irrigados regularmente. Essa palmeira aprecia umidade e prefere solos mais pesados, onde há mais água disponível. É resistente a salinidade marítima, poluição e ventos fortes, incluindo tornados e furacões. Muito resistente ao transplante. Evite o plantio desta espécie em locais com pouca disponibilidade hídrica. Multiplica-se por sementes, recém colhidas e despolpadas de frutos maduros, postas a germinar em substrato mantido úmido. Germina em cerca de 3 meses. As mudas jovens podem ser conduzidas desde cedo sob sol pleno, sem prejuízo à folhagem e crescimento.

Se este artigo ajudou você. Então compartilhe este artigo e ajude a divulgar essa informação.

Conte-nos sua experiência sobre o assunto deste artigo

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.