Madressilva-do-himalaia – Leycesteria formosa

 Leycesteria formosa, Madressilva-do-himalaia

Foto: Llez

A madressilva-do-himalaia é um arbusto decíduo, florífero e ornamental, nativo das florestas do sudoeste da China. Ela apresenta múltiplos caules, ocos e tubulares, não muito ramificados, que formam uma ramagem esparsa. Estes caules crescem por 2 a 5 anos, quando então a planta perece, voltando a rebrotar de sua base. As folhas são simples, opostas, acuminadas, papiráceas e com margens bronzeadas, inteiras ou onduladas. Floresce no final do verão, despontando inflorescências pêndulas, do tipo rácemo, terminais, com flores brancas, hermafroditas e delicadas, que se abrem da base em direção ao ápice e são protegidas por brácteas de um vermelho vinho, duráveis e atrativas. Apesar de ser uma madressilva, suas flores não são muito fragrantes, mas apresentam um perfume suave e delicado. O fruto é do tipo baga, de cor vermelho escuro. Durante a floração, ela atrai muitos beija-flores e abelhas, que dão lugar a outros pássaros que vem se se deliciar com seus frutinhos, no outono.

De florescimento longo, essa madressilva é uma opção bastante interessante para compor conjuntos, renques ou maciços no jardim, principalmente em locais sob meia-sombra. O colorido delicado de suas folhas combina-se lindamente com outras plantas de folhagem colorida e ela serve como pano de fundo para outras espécies. Suas inflorescências pendentes são um charme à parte e fizeram muito sucesso nos jardins ingleses na era vitoriana, tendo voltado à popularidade recentemente.

Pode ser cultivada sob sol pleno ou meia-sombra, em uma ampla variedade de solos, preferencialmente humosos ou enriquecidos com matéria orgânica e irrigados regularmente. Apesar de não ser muito exigente em água, ela pode enfraquecer e se tornar suscetível a pragas durante períodos de estiagem. É interessante podar drasticamente a madressilva-do-himalaia, bem próximo a base, no final do inverno, de forma a encorajar um novo crescimento e renovar o vigor. Em locais com inverno bastante frio, sujeito a geadas ou neves, deve-se adicionar bastante cobertura morta sobre a base da planta, para protegê-la das intempéries. É capaz de tolerar a salinidade marítima de regiões litorâneas, mas evite plantá-la em locais muito expostos, sujeitos a ventos fortes. Multiplica-se divisão da touceira, por estaquia dos ramos semilenhosos e por sementes colhidas de frutos maduros e semeados em seguida.

Se este artigo ajudou você. Então compartilhe este artigo e ajude a divulgar essa informação.

Alerta:

Por sua fácil dispersão, esta planta é considerada invasiva em determinadas situações.

Conte-nos sua experiência sobre o assunto deste artigo

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.