Lespedeza – Lespedeza thunbergii

Lespedeza é um arbusto florífero de ramagem arqueada e textura semi-lenhosa, nativo da China e Japão. Ele pode ser decíduo ou perenifólio, dependendo do clima onde esteja sendo conduzido. Em locais de clima temperado, onde o frio invernal é intenso, ele perde suas folhas na estação, voltando a brotar das raízes na primavera. Em alguns casos a planta pode vir a morrer, e será necessário fazer um novo plantio. Já em clima subtropical, ela é perene, e apenas reduz seu crescimento vegetativo no inverno. De rápido crescimento, atinge cerca de 2 metros de altura, com diâmetro de 3 metros. Seus ramos são longos e arqueados, dando ao conjunto com um aspecto de cascata. As folhas são trifoliadas e alternas, arranjadas de forma espiralada sobre os ramos, com folíolos verde-azulados, elípticos a lanceolados.

Floresce no fim do verão e início do outono, salpicando os ramos de numerosas flores cor-de-rosa escuro. As inflorescências são panículas de rácemos, com flores semelhantes às de ervilhas. Dentre as cultivares podemos citar a ‘Edo Shibori‘, de flores bicolores, a ‘VA-70‘ e ‘Amquail‘, selecionadas por sua resistência e para servir de abrigo e alimento à vida silvestre, a ‘White Fountain‘, de flores brancas, e ‘Gibraltar‘, de flores cor-de-rosa. As flores produzem abundante néctar e são bastante atrativas para abelhas e borboletas. O fruto é do tipo legume, com sementes pretas.

Lespedeza_thunbergii_bush
Aspecto geral do arbusto. Foto de Wolfgang Meinhart
No jardim, a lespedeza é ideal para ser utilizada isolada ou em renques, de forma que seu formato de cascata seja valorizado. Assim, ela se torna um grande destaque isolada em gramados bem cuidados, coroando muros ou pérgolas, ou em composição com outras espécies, principalmente em jardins de estilo inglês ou cottage. A textura fina da folhagem, a forma incomum e as flores em profusão, que surgem depois que a maioria das espécies já floresceu, tornam essa espécie bastante interessante no paisagismo. Ela também é apropriada para coroar muros e taludes, assim como para embelezar canteiros centrais de avenidas. Devido ao porte, é apropriada para amplos espaços. Exige pouca manutenção, que se resume a podas drásticas no final do inverno e adubação no período de crescimento e floração.

Deve ser cultivada sob sol pleno ou meia sombra, em solos férteis, bem drenáveis, enriquecidos com matéria orgânica e irrigados regularmente no primeiro ano de implantação. Após bem estabelecida, torna-se resistente a curtos períodos de estiagem. Tolera o frio e geadas leves. Resistente a pragas e doenças. Multiplica-se por sementes, estaquia, mergulhia e por separação das mudas naturalmente formadas entorno da planta mãe, devido aos ramos que tocam no solo e enraizam.

Se este artigo ajudou você. Então compartilhe este artigo e ajude a divulgar essa informação.

Alerta:

Esta espécie pode se tornar invasiva em determinadas situações.

Conte-nos sua experiência sobre o assunto deste artigo

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.