Íris-da-praia – Neomarica candida

A íris-da-praia é uma planta rizomatosa, herbácea, de folhagem e florescimento decorativos. Dos fortes rizoma saem folhas de cor verde-brilhante, glabras, laminares, em disposição de leque. Com o tempo, a planta vai adquirindo um aspecto cheio e entouceirado. Na primavera e verão, despontam hastes eretas e altas, que surgem do meio da folhagem e sustentam as delicadas flores. Cada flor da íris-da-praia tem três sépalas brancas, horizontais, com rajados de marrom na base e três pélatas azuis, recurvadas, elevadas e também rajadas. Por estas pétalas diferenciadas, muitas pessoas confundem a íris-da-praia com orquídeas. As flores são efêmeras, durando apenas um dia. Após a floração, as hastes florais pendem e podem tocar o solo, enraizando e formando novas mudas. Por este motivo a planta recebe o nome de Íris-caminhante também.

No paisagismo a íris-da-praia é uma opção recorrente, visto que é rústica, exigindo pouca ou nenhuma manutenção, além de ser perene e acima de tudo muito ornamental. Mesmo quando está sem flores, suas folhas brilhantes e a textura cheia cumprem bem o seu papel, embelezando o jardim. Assim ela pode ser utilizada em maciços e bordaduras, preferencialmente sob meia-sombra. Também pode ser plantada em vasos e jardineiras.

Deve ser cultivada sob sol pleno, meia sombra ou sombra clara, em solo fértil, enriquecido com matéria orgânica e irrigado regularmente. Floresce melhor quando recebe luz solar direta ao menos algumas horas por dia. Aprecia a umidade tropical. Resiste ao frio e geadas. Tolerante à salinidade e ventos litorâneos. Por ocasião do plantio, deve evitar enterrar demais os rizomas, pois assim eles tendem a adoecer e produzem menos flores. Multiplica-se por divisão dos rizomas, das touceiras, por separação das mudas que se formam nas hastes florais ou por sementes.

Se este artigo ajudou você. Então compartilhe este artigo e ajude a divulgar essa informação.