Girassol – Helianthus annuus

O girassol é uma planta espetacular, seja pela sua beleza gigante, seja pela sua capacidade de produzir numerosas sementes de elevado valor nutricional. Como o próprio nome diz, as inflorescências do girassol realizam heliotropismo, isto é, seguem o sol. Por ser uma espécie que foi domesticada há milhares de anos, o homem acabou desenvolvendo um grande número de variedades, para duas principais finalidades: Plantas não ramificadas, com grandes capítulos únicos e numerosas sementes para uso alimentício e na produção de óleo; e plantas muito ramificadas, com mais de um capítulo floral para utilização ornamental.

A maioria dos girassóis são altos, podendo alcançar 4 metros em cultivo, com caule herbáceo e piloso. Suas folhas são ovais a cordiformes, muito pilosas também o que lhe confere uma coloração acinzentada. As inflorescências do tipo capítulo são muito grandes podendo atingir 30 cm de diâmetro. Nelas se reúnem dois tipos de flores, as periféricas liguladas e as centrais, férteis e hermafroditas. No entanto os girassóis apenas realizam a autofecundação raramente, exigindo a polinização manual ou por insetos, com pólen de outros indivíduos. Os frutos formados são do tipo aquênio.

Os girassóis são muito úteis na paisagismo, as variedades gigantes e ramificadas podem ser plantadas em renques junto a cercas e muros, para escondê-los temporariamente. Deve-se ter cuidado ao utilizar os gigantes pois em espaços pequenos podem se tornar desproporcionais “reduzindo” as construções. As variedades anãs são adequadas para formação de maciços, bordaduras e canteiros e são muito comercializadas em vasos e jardineiras também. Podem ser de flores simples e dobradas e de cores diversas, mas principalmente amarelas, vermelhas, alaranjadas e marrons. São especialmente indicadas para as crianças cultivarem, devido ao rápido desenvolvimento e ciclo de vida, tornando-se muito educativas.

Não podemos esquecer de ressaltar a importância do girassol na alimentação de pessoas e animais, devido as suas sementes e forragem de elevado valor protéico e calórico, além de serem ricos em vitamina E. Atualmente também pode-se produzir biodiesel a partir do seu óleo, tornando-se uma excelente fonte de energia renovável.

Devem ser cultivados sob sol pleno, em solo fértil e enriquecido com matéria orgânica. Algumas variedades podem tolerar a meia-sombra, mas o caule que se desenvolve frágil corre o risco de tombar com o peso da planta. Aprecia as regas regulares, mas pode tolerar um curto período seco. Multiplica-se facilmente por sementes postas a germinar na primavera e no verão.

Se este artigo ajudou você. Então compartilhe este artigo e ajude a divulgar essa informação.

Conte-nos sua experiência sobre o assunto deste artigo

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.