Dendróbio-de-Loddigesii – Dendrobium loddigesii

 Dendrobium loddigesii,

Foto: Orchi

O dendróbio-de-Loddigesii é uma orquídea oriental, caducifolia, com flores de uma beleza delicada, que contrasta com o emaranhado de pseudobulos. Ela é originária de florestas tropicais, de altitudes entre 1000 a 1500 metros, da China, Laos e Vietnam, onde vegeta como epífita ou rupícola, sempre em locais ricos em musgos e muita umidade. Foi descrita pela primeira vez em 1887, pelo botânico e orquidólogo inglês Robert Allen Rolfe, conhecido por ser o primeiro curador do orquidário e do herbário do famoso Royal Botanic Gardens, em Kew. O nome da planta é uma homenagem a Joachim Conrad Loddiges, renomado coletor, horticultor e botânico inglês.

De crescimento simpodial, esta orquídea possui rizoma compacto, emite muitas raízes aéreas e possui pseudobulbos finos, sulcados, caniformes, recurvados, pendentes, que com o crescimento da planta acabam formando um verdadeiro emaranhado. As folhas são pequenas, elípticas a lanceoladas e acompanham os bulbos novos. No outono e inverno, a planta perde boa parte ou mesmo a totalidade de suas folhas, para então florescer, já despida, no fim do inverno e início da primavera. As flores surgem nos nós dos pseudobulbos e são grandes, com cerca de 5 centímetros de diâmetro, róseas, com um labelo de tom mais intenso, de centro amarelo vibrante e bordas finamente franjadas. A floração tem duração aproximada de 15 dias. Após o florescimento a planta iniciará a brotação dos novos pseudobulbos que florescerão no próximo ano.

Foto de Orchi
Com suave perfume, e flores tão chamativas, essa orquídea é bastante desejada por colecionadores e orquidófilos. Por ser de rápido crescimento e fácil cultivo, é apropriada para jardineiros iniciantes aos mais avançados. O conjunto pendente dos pseudobulbos floridos forma verdadeiras cascatas de flores, que vão se sobrepondo nas plantas antigas, em um belíssimo conjunto. Pode ser plantada diretamente nas árvores, amarradas com ráfia ou outro material biodegradável; ou mesmo em placas e vasos, de fibra, barro ou plástico, preferencialmente próprios para orquídeas. Pelas flores duráveis, ela é utilizada também em arranjos florais, como centros de mesa e buquês.

Deve ser cultivada sob meia sombra, ou sombra telada, entre 40 e 50%, em substrato drenável e com boa capacidade de retenção de umidade, próprio para orquídeas epífitas, e irrigada regularmente. As regas devem ser reduzidas ou suspensas quando a planta estiver despida de folhas. Aprecia temperaturas amenas, com dias mais quentes e noites frescas. Fertilize a cada 15 dias durante o crescimento e floração com fertilizantes orgânicos ou químicos próprios para orquídeas e para o período. Faça o replantio antes que as brotações guias não tenham mais espaço para crescer e emitir raízes novas no substrato. Multiplica-se por separação dos pseudobulbos, permanecendo a nova planta com estrutura completa de 4 a 5 pseudobulbos ligados pelo rizoma, e uma brotação guia. Também multiplica-se por estaquia dos pseudobulbos maduros.

Se este artigo ajudou você. Então compartilhe este artigo e ajude a divulgar essa informação.