Chincherinchee-gigante – Ornithogalum saundersiae

A chincherinchee-gigante é uma planta bulbosa, herbácea e florífera, encontrada originalmente em clareiras rochosas nos países da África-do-sul, Suazilândia, Província-de-natal e Mpumalanga, no subtrópico do Continente Africano. Ela se destaca por suas qualidades como ornamental, tanto nos jardins como em arranjos florais, onde se presta como flor-de-corte. Do bulbo subterrâneo, emerge uma folhagem ereta em roseta, com folhas largas, lineares, de cerca de 60 centímetros de altura, macias e de cor verde-escura e brilhante. Floresce no verão, despontando longas hastes florais, com mais que o dobro da altura da folhagem (até 1,5 metros), destacando uma inflorescência do tipo umbela, de formato entre o globoso e o plano. As flores são numerosas, brancas, delicadas, com formato estrelado e um ovário negro ou verde, que se sobressai pelo contraste. Elas se abrem das bordas em direção ao centro da inflorescência, gradativamente, e são atrativas para abelhas e borboletas.

Detalhe da flor. Foto de 澎湖小雲雀
Uma planta bulbosa para um efeito surpreendente nos canteiros do jardim. Por ser ainda incomum, a chincherinchee-gigante traz um certo exotismo, ao mesmo tempo em que confere um ar elegante e campestre, próprio das bulbosas de flores miúdas. Plante em canteiros bem fertilizados e não sujeitos a encharcamentos, em número de 20 ou mais para um efeito mais interessante. Os bulbos podem também ser plantados em vasos e jardineiras e misturados com outras espécies. No outono, ela inicia o período de dormência, e as folhas murcham e caem, para então reiniciar o ciclo vegetativo na primavera. Os bulbos podem ser deixados no solo, ou removidos, limpos e guardados para o replantio. As inflorescências apresentam grande durabilidade, e podem compor belíssimos arranjos florais e buquês.

Deve ser cultivado sob meia sombra, recebendo preferencialmente o sol da manhã, em solo fértil, bem drenável, enriquecido com matéria orgânica e irrigado regularmente, sem excessos. Reduza as regas paulatinamente no outono, favorecendo o período de dormência da planta. No inverno, suspenda as regas ou regue minimamente, evitando a desidratação do bulbo. Fertilize no plantio com adubos de liberação lenta e suplemente durante o crescimento e floração com fertilizantes líquidos. Plante os bulbos com uma profundidade de 3 a 5 centímetros e espaçados em cerca de 15 cm para um melhor desenvolvimento. Com o tempo, forma densas touceiras, pela propagação dos bulbos, assim é interessante efetuar uma reforma nos canteiros e replantio, com separação das plantas a cada 3 ou 4 anos. Multiplica-se por divisão dos bulbilhos formados em torno da planta mãe e por sementes.

Se este artigo ajudou você. Então compartilhe este artigo e ajude a divulgar essa informação.

Alerta:

Todas as partes da planta são consideradas tóxicas. Manter longe do alcance de crianças pequenas e animais domésticos, principalmente os herbívoros como coelhos, hamsters, ovelhas, etc. Os sintomas de intoxicação podem incluir cegueira temporária, alteração do ritmo cardíaco e até mesmo a morte quando consumido em grandes quantidades.