Bulbophyllum rothschildianum

 Bulbophyllum rothschildianum,

Foto: Faatura

O Bulbophyllum rothschildianum é uma orquídea epífita, que ocorre em florestas de baixa e média altitude, no sul de Yunnan, na China, em Assam, no nordeste da Índia e ainda na Birmânia. É uma orquídea rizomatosa, com pseudobulbos ovóides a achatados, que sustentam uma única folha apical cada. As folhas são firmes, carnosas e de cor verde-brilhante. Tende a emitir raízes aéreas para fora do substrato, que contribuem para seu aspecto curioso. A inflorescência é basal e surge com um longa haste floral que por vezes é ereta e outras vezes decumbente. Ela é do tipo umbela, com poucas flores que parecem infladas, de cor amarelo creme, mas largamente pintalgadas de vermelho carne. Suas pétalas superiores são fimbriadas e as inferiores se unem formando um balão, que se assemelha a um sapato com a ponta afilada. Seu labelo é curto e vermelho. O florescimento ocorre na primavera e ou no outono. Elas são fragrantes, embora não agradem a todos os gostos. Diz-se que seu aroma não é tão desagradável se comparado com as outras plantas do mesmo gênero.

Foto de Faatura
Definitivamente uma orquídea para se ter na coleção. Pode ser cultivada em vasos de barro ou cestas, de forma pendente, ou fazendo o tutoramento das hastes florais para que fiquem bem eretas. O aspecto selvagem e exótico desta espécie despertam interesse nos admiradores. Ela é utilizada também na produção de híbridos, sendo cruzada com outras espécies de orquídeas, onde comumente acrescenta exotismo e suas formas diferenciadas.

Deve ser cultivada sob meia sombra ou luz difusa, em substrato de drenagem rápida, próprio para orquídeas epífitas, e irrigada com regularidade. Aprecia o constante calor e umidade dos trópicos, sendo imprescindível o cultivo em estufas climatizadas no sul do país, onde o clima é subtropical. Aprecia faixas de temperatura entre 12 e 33º Celsius. Apesar das suas necessidades constantes de umidade e calor, é imprescindível que lhe seja fornecida boa ventilação para que efetue as trocas gasosas com eficiência. O replantio bianual é importante para a troca do substrato, principalmente quando este for composto por materiais de rápida decomposição. Irrigue com frequência, mantendo o substrato úmido, principalmente durante o verão. No inverno é possível deixar o substrato secar entre as regas. Fertilize regularmente no período vegetativo e durante a floração com adubos próprios para orquídeas, mas em doses um pouco mais brandas, pois trata-se de uma planta sensível. Suspenda a adubação durante o inverno.

Se este artigo ajudou você. Então compartilhe este artigo e ajude a divulgar essa informação.