Budléia – Buddleja davidii

A budléia é uma planta arbustiva, de textura lenhosa, hermafrodita e bastante florífera, difundida principalmente em países com clima mais temperado ou subtropical. Seus ramos são quadrangulares, arqueados, recobertos de pelos finos e curtos e ramificados, mas o aspecto da planta é solto, irregular, mesmo com podas. Ela pode ser decídua ou semi-decídua, de acordo com frio invernal e com a variedade. Suas folhas são lanceoladas, inteiras, verde-acinzentadas, opostas e tomentosas quando jovens. ,Recobertos de pelos curtos e finos. Floresce do fim da primavera ao fim do outono, despontando longas, densas e cônicas inflorescências do tipo panícula, terminais, com numerosas flores que vão se abrindo da base em direção ao topo. As flores são tubulares, diminutas e ricas em néctar, tornando-as irresistíveis às borboletas, mariposas e beija-flores. Elas são de cor lilás com o centro cor de laranja na espécie típica, mas podem ser brancas, róseas, vermelhas, roxas ou amarelas, em diferentes tonalidades, de acordo com a variedade.

Nos jardins brasileiros a budléia tem lugar no sul e sudeste do país e em regiões serranas, onde o clima é ameno e faz frio invernal. Cultive como pano de fundo para um jardim atrativo para borboletas, como ao longo de muros e misturado a outros arbustos, com folhagens de cores contrastantes. Com sua longa floração, movimento constante de polinizadores e delicioso perfume de mel, a budléia é ideal para jardins delicados, no estilo “Cottage”. Ela é um arbusto vigoroso, de rápido crescimento e baixa manutenção. As variedades de menor porte também podem ser plantadas em vasos e jardineiras.

Deve ser cultivado sob sol pleno, em solo fértil, leve, drenável, enriquecido com matéria orgânica e irrigado regularmente durante a implantação. Pode ser plantado em áreas litorâneas, tolerando bem os ventos e solos com sal. Sua manutenção é simples. Resiste também a curtos períodos de estiagem, depois de bem estabelecido, mas não aprecia encharcamentos, que rapidamente apodrece suas raízes. Estimule novas florações removendo as velhas inflorescências. No fim do inverno, faça uma poda mais profunda para renovar o vigor e a beleza da planta. Não utilize inseticidas na planta durante a floração. Multiplica-se por sementes e estaquia de ramos semi-lenhosos, postos a enraizar na primavera.

Se este artigo ajudou você. Então compartilhe este artigo e ajude a divulgar essa informação.

Alerta:

Esta espécie pode se tornar invasiva em determinadas situações.

Conte-nos sua experiência sobre o assunto deste artigo

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.