Begônia-rex – Begonia rex

 Begonia rex,

Foto: GCornelis

A begônia-rex é uma planta herbácea, perenifólia e rizomatosa, nativa de bosques e vales, com altitudes entre 400 e 1.100 metros, da China, Índia e Vietnã. Ela se tornou difundida no mundo todo pelo colorido impactante de suas folhas. Os rizomas são largos e carnudos, e as folhas surgem diretamente dele, com pecíolos longos e suculentos, densamente hirsutos. As folhas são caracteristicamente assimétricas, além de serem ovadas, alternas e membranáceas, podendo ser inteiras, lobadas ou recortadas. Elas apresentam cores muito distintas em diferentes padrões e tonalidades, de verde escuro, manchado de prata, a vermelho vinho pintalgado de rosa, passando por amarelo limão e marrom. A variedade de híbridos e cultivares é enorme. Floresce em qualquer época do ano, produzindo flores brancas ou róseas, de acordo com a variedade, de pouca importância ornamental. Os frutos que se seguem são do tipo cápsula.

Begonia rex ‘Escargot’. Foto de Jerzy Opioła
Própria para o clima tropical, a begônia-rex é uma folhagem de beleza impar, que não necessita florescer para causar deslumbramento. Com suas folhas cuidadosamente desenhadas e pintadas pela natureza, podemos adicionar interesse em áreas inimaginadas do jardim, onde a luz direta do sol não alcança, como em densos bosques por exemplo. A textura e as cores da begônia-rex são próprias também para acrescentar contraste com outras espécies, ou até mesmo com diferentes variedades e cultivares da mesma. Em interiores plante a begônia-rex em belos vasos vietnamitas, adornando assim, mesas de escritório, aparadores, etc ou em jardins de inverno, fazendo às vezes de forração. Seu exotismo irá encantar os expectadores.

Deve ser cultivada sob luz difusa ou sombra clara, em solo humoso, com boa capacidade de retenção, mas drenável. Aprecia o calor e a umidade tropicais, mas apodrece rapidamente em condições de estagnação e encharcamento. A irrigação adequada é o principal segredo do seu cultivo. É importante que se utilizem regadores de bico fino e longo, que alcancem o solo, sem molhar as folhas. Da mesma forma deve-se evitar água excessivamente dura, calcárea, preferindo-se água bem descansada. Apesar de ser própria para interiores, há que se lhe prover boa ventilação, sem excessos. Teme o frio intenso ou geadas, tornando-se anual sob clima subtropical ou temperado. Neste caso, convém cultivá-la em interiores ou estufas protegidas durante o inverno para manter sua beleza o ano todo. Multiplica-se facilmente por estacas de folhas e divisão da planta.

Se este artigo ajudou você. Então compartilhe este artigo e ajude a divulgar essa informação.