Arruda – Ruta graveolens

A arruda é uma planta subarbustiva muito popular por suas propriedades aromáticas e medicinais. Suas folhas são longas, glaucas e compostas, com folíolos oblongos a elípticos de cor verde-acinzentada a azulada. Os ramos são ramificados e herbáceos e com o passar do tempo se tornam lenhosos na base. Quando amassada a planta libera um aroma pungente, considerado desagradável por muitos. As inflorescências surgem no verão e apresentam pequenas e numerosas flores amarelas. O fruto é do tipo cápsula.

Esta planta é realmente muito versátil, visto que além de ser plantada em hortas, devido às suas propriedades fitoterápicas e condimentares, ela também é ornamental e cria excelentes contrastes com flores, forrações e folhagens devido à sua folhagem delicada, de cor azulada. Há inclusive variedades melhoradas para a função ornamental, como “Blue Beauty”, “Jackman’s Blue” ou “Variegata”, esta última também muito utilizada em arranjos florais. Sob podas de formação, a arruda adquire uma bela forma compacta e arredondada, podendo ser utilizada em bordaduras e maciços. Também pode ser plantada em vasos e jardineiras.

À arruda também são atribuídos poderes mágicos e religiosos. Ela é historicamente considerada por muitos povos como uma erva de proteção. Desde à antigüidade seus ramos e essências são utilizados para purificar ambientes e proteger as pessoas de espíritos malignos, doenças, mau-olhado, feitiçarias e até mesmo da tentação. Ainda diz-se que dá clareza aos pensamentos e atrai o amor e o sucesso. Não obstante todos estes místicos poderes, a arruda ainda repele insetos, ratos, cães e gatos.

Deve ser cultivada sob sol pleno, em solos leves, neutros a levemente alcalinos, bem drenáveis, irrigados periodicamente. Depois de bem estabelecida ela é capaz de tolerar períodos de estiagem. Não tolera encharcamentos. A arruda não é uma planta exigente, crescendo bem mesmo em solos muito pobres. Aprecia o calor, mas pode ser cultivada em locais de clima temperado ou subtropical se protegida no inverno. Multiplica-se facilmente por estaquia e por sementes, que germinam em boas condições de luminosidade. Cuidado: planta tóxica, não deve ser ingerida e deve ser manipulada com luvas para evitar irritações na pele.

Se este artigo ajudou você. Então compartilhe este artigo e ajude a divulgar essa informação.

Medicinal:

  • Indicações: varizes, dores, inflamações, asma, bronquite, insônia, reumatismo, flatulência, flebite, afecções do fígado, afecções da pele, afecções intestinais, parasitismo, sarna, piolhos, vermes, compulsão sexual
  • Propriedades: abortiva, adstringente, analgésica, antiasmática, anti-helmíntica, anafrodisíaca, anti-hemorrágica, antiinflamatória, antinevrálgica, anti-reumática, calmante, carminativa, diaforética, emenagoga, estimulante, febrífuga, repelente, sudorífica, tranquilizante
  • Partes Utilizadas: flores, folhas

Alerta:

Planta tóxica, pode causar aborto, fotossensibilização à luz, dor aguda intestinal, entre outros sintomas. Usar sempre sob orientação médica.

3 comments on “Arruda – Ruta graveolens

  1. Podei a arruda plantada em vaso e ela não rebente, ou seja, não floresce. Será que fiz mal? Não se pode podá-la? peço ajuda, pois gosto muito dela. Estava tão viçosa mas depois ficou amarela e seca e, resolvi podar. Não resultou. Que fazer para dar-lhe vida novamente?

  2. Felipa, talvez o problema tenha sido alguma doença, ou a planta não estava mais num solo equilibrado nutricionalmente, a época em que foi realizada a poda. A poda para as pantas é como uma cirurgia para os humanos. Se você não propiciar condições favoráveis para que ela se desenvolva a tendencia será a planta morrer.
    Caso ainda venha ser útil: lhe recomendo aplicar algum adubo na planta, caso não seja possível fazer o transplante da mesma para outro local, pois caso nunca tenha aplicado nenhum tipo de adubo no local onde fica a arruda e você a irrigar diariamente (ou mais ou menos isso) a tendencia é que o solo fique saturado de H+, o deixando ácido e sem nutrientes para que a planta absorva (isso considerando que sua planta é cultivada em vaso).
    Creio ter sido isso ocorrido, você podou a planta que se encontrava desequilibrada nutricionalmente, o que fez apenas agravar os efeito da deficiência nutricional.
    Obs.: falo isso considerando que você não aduba a planta

Conte-nos sua experiência sobre o assunto deste artigo

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.