Arenga – Arenga pinnata

A arenga é uma palmeira monóica, bastante ornamental e útil, originária da Malásia. Ela é largamente cultivada no sudeste asiático por ser uma importante fonte de açúcar e fibras. Apresenta estipe (tronco) alto e retilíneo, recoberto com espinhos e longas fibras negras, que são resquícios da queda as folhas. As folhas são pinadas, levemente curvadas e alcançam 8,5 metros de comprimento. Elas também são brilhantes, de cor verde-escura na superfície e esbranquiçadas na página inferior. Floresce em longos cachos pendentes e subsequentes, entre as folhas, com numerosas flores amarelas e pequenas. As inflorescências surgem inicialmente no topo, depois vão descendo ao longo do tronco, de acordo com o crescimento da planta, e tem de dois a três metros de comprimento. Após o florescimento a planta morre (espécie monocárpica). No entanto, ela leva de 10 a 14 anos para iniciar a floração e esta dura de 4 a 6 anos. Os frutos são drupas subglobosas, marrons ou pretas quando maduras e contêm de 2 a 3 sementes cada.

A arenga é uma palmeira belíssima, com um interessante tronco fibroso, mas boa para ser apreciada à distância, devido aos espinhos. Seu plantio deve levar em consideração o crescimento moderado e o curto período de vida de planta. Não obstante, é uma planta de efeito impactante, mesmo quando jovem, ideal para grandes áreas e jardins tropicais. Pode ser plantada isolada ou em grupos.

Da seiva da arenga é produzido um delicioso açúcar de cor amarronzada. Dela também faz-se vinho, licor e vinagre. As fibras são utilizadas em artesanato, fabricação de cordas e como telhado natural. Os frutos são muito adstringentes, até mesmo tóxicos, mas podem ser consumidos após tratamentos específicos na forma de compotas.

Deve ser cultivada sob meia sombra ou a pleno sol, em uma ampla variedade de solos, irrigados regularmente nos primeiros anos após o plantio. Como muitas espécies de palmeiras, o ideal é que as arengas jovens sejam protegidas do sol forte nas horas mais quentes do dia, mas a medida que crescem, elas buscam por uma maior luminosidade. Tem baixa tolerância à salinidade do solo e ventos fortes, por isso não é muito recomendada para áreas litorâneas. Após bem estabelecida, é resistente a curtos períodos de estiagem. Multiplica-se facilmente por sementes recém colhidas de frutos maduros, postas a germinar em substrato úmido. A germinação ocorre em 2 a 6 semanas.

Se este artigo ajudou você. Então compartilhe este artigo e ajude a divulgar essa informação.

Alerta:

Planta com espinhos, manuseie com cuidado e mantenha longe do alcance de crianças pequenas. Frutos tóxicos, não consumir in natura.

Conte-nos sua experiência sobre o assunto deste artigo

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *