Arbusto-borboleta – Polygala myrtifolia

O arbusto-borboleta é uma planta florífera e ornamental, de textura lenhosa, nativa do Cabo Oriental, na África do Sul. Sua ramagem é ereta e ramificada, e ela atinge até 1,8 metros de altura se deixada crescer livremente. Apresenta aspecto arredondado, com ramos enfolhados desde à base da planta. As folhas são alternas, coriáceas, oblongas, de cor verde clara, verde escura ou cinza-azulada, lembrando as folhas da murta. Em clima subtropical a temperado inicia sua floração na primavera, repetindo-se no outono. Já em clima quente, sua floração pode perdurar durante o ano todo. As inflorescências são o grande atrativo deste arbusto. Elas são terminais, em pequenos rácemos com flores de três pétalas, sendo duas laterais e uma central com um crista, o que dá ao conjunto a forma de uma borboleta. Podem ser róseas, roxas ou brancas, de acordo com a cultivar. A floração é bastante atrativa para insetos polinizadores. O fruto que se segue é uma cápsula marrom e ovóide, alada e com uma única semente.

Foto de Kousvet
No jardim, o arbusto-borboleta adiciona uma textura delicada, com um contraste interessante entre a folhagem e as flores. Não obstante, sua floração é bastante longa, tornando-a um arbusto de eleição para várias situações. Ela deve ser pensada como um arbusto informal, solto, e que pode funcionar em cercas-vivas, bordaduras, grupos, conjuntos com outras espécies e até mesmo isolada. Versátil, pode se encaixar em diferentes estilos de jardim, principalmente os de inspiração mediterrânea ou rochosos. Também pode ser plantada em vasos e jardineiras para decorar pátios, varandas, sacadas e terraços.

Deve ser cultivado sob sol pleno ou meia sombra, em solo fértil, bem drenável, enriquecido com matéria orgânica e irrigado nos primeiros meses de implantação. É uma planta muito rústica e de baixos requerimentos, tolerando estiagens pouco prolongadas e o frio subtropical, sujeito à geadas leves. É própria também para regiões litorâneas pois se adapta bem à maresia e salinidade no solo. Apesar de vegetar sob meia sombra, a espécie fica mais densa, enfolhada e florífera sob sol pleno. Evitar de sobremaneira locais sujeitos a alagamentos, que podem provocar o apodrecimento do arbusto-borboleta. Aceita podas leves, que devem ser realizadas após a floração e visam manter o formato e favorecer a iluminação no centro da planta. Multiplica-se facilmente por sementes e estacas de ponteiro, postas a enraizar no outono (em estufas), ou na primavera.

Se este artigo ajudou você. Então compartilhe este artigo e ajude a divulgar essa informação.