Angélica – Polianthes tuberosa

A angélica é uma planta bulbosa de flores brancas e perfumadas que simboliza a pureza. Suas folhas são longas, estreitas e de cor verde, formando moitas semelhantes a capim. O florescimento ocorre no final do verão e outono, com inflorescências do tipo espiga, em hastes eretas e altas, sobressaindo sobre a folhagem e com numerosas flores. As flores são cerosas, pequenas, de cor branca ou levemente rosada e liberam um delicioso e intenso perfume à noite. Elas se abrem gradativamente da base da inflorescência ao topo. Também podem ser simples ou dobradas, de acordo com a variedade.

Esta bela e singela florzinha é venerada no mundo todo, com destaque para a Índia e o México, principalmente quando o assunto é casamento. Na Índia, ela participa de diversos rituais, simbolizando a pureza e a cura. No Hawai elas também enfeitam os noivos, a cerimônia e a festa de casamento, entrando na confecção de arranjos florais, buquês e de coroas para as noivas, os hakus, além dos famosos leis, os típicos colares havaianos, para os noivos. Os antigos aztecas usavam o óleo essencial da flor para aromatizar o chocolate. Atualmente ele entra na formulação de perfumes e essências.

Tradições à parte, a angélica é um mimo no jardim. Ela é apropriada para compor pequenos maciços, bordaduras e plantios intercalados com outras plantas, além de fornecer uma ótima opção de flor-de-corte. Com seu perfume envolvente e beleza, é indicada para adornar caminhos e áreas de convivência, como varandas, pátios ou simplesmente próximo a portas e janelas. Também pode ser plantada em vasos e jardineiras.

Deve ser cultivada sob sol pleno, em solo fértil, drenável, enriquecido com matéria orgânica e irrigado regularmente. Convém arrancar os bulbos após o secamento da folhagem, para que repousem durante o inverno em ambiente fresco e seco. Os bulbos devem ser plantados no local definitivo, no início da primavera, em canteiros ou vasos bem preparados e fertilizados. Multiplica-se por separação dos bulbos.

Se este artigo ajudou você. Então compartilhe este artigo e ajude a divulgar essa informação.

5 comments on “Angélica – Polianthes tuberosa

  1. a minha angélica floresceu de outubro para novembro, antes do verao, ganhei pequenas mudas de um vizinho e cultivei pra mim foi uma surpresa o seu florescimento um encanto, sempre quando chego em casa vou cheirar para sentir o seu perfume encantador.

  2. Há cinco anos venho tentando cultivar mas só da folhas depois secam e novamente na primavera brotam mas flores não dão…

  3. com as minhas acontece a mesma coisa. talvez gostem mais de clima quente…
    esta semana reguei as angélicas com chorume, espero que se animem a dar flor, pois não sei mais o q fazer.

  4. A minha ainda é uma mudinha, mas está se desenvolvendo muito bem tomando apenas 2/3 horas de sol por dia e o resto só iluminação indireta. Recebi de uma amiga de São Paulo, e parece que ela está gostando do clima do Rio. Já veio com algum fungo que não tirei, hoje vi três cochonilhas nela e rapidamente tirei. Se aparecerem novamente, lavarei as raízes e farei rega com fumo, que é ótimo contra as pragas. Galera, não sei qual é o adubo certo para ajudar na floração, mas eu arriscaria, com muito dó, o 10-10-10.

  5. Eu encontrei aqui no Japão a venda das batatinhas da angélica. Eu plantei, nasceu, cresceu e esta cheio carregadinha de botões e flores. obrigado deus pela tão bela natureza que fizestes.

Conte-nos sua experiência sobre o assunto deste artigo

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *