9 Segredos para compôr um Jardins de Vasos

Foto de Zach Jarvis
Compor com vasos é sempre um desafio. Eles estão disponíveis em uma infinidade de formatos, cores, texturas e tamanhos. São tantas opções que fica difícil saber quais são as melhores escolhas para cada ambiente. E não é raro criar uma bagunça de vasos, como uma coleção desconexa, que não se integra ao jardim. Mas agora você tem ferramentas e não corre mais o risco de errar a mão! Aproveite estes nove segredinhos selecionados para compôr um jardim de vasos dos sonhos, para qualquer espaço.

1. Pense no conjunto de vasos como uma coisa só

Como em uma escultura ou em uma pintura, os diferentes elementos fazem parte da mesma obra. Veja os vasos como um conjunto, um organismo. Se parecem bem juntos e arranjados, você atingiu seu objetivo, mas se algo parece fora do lugar ou faltando talvez seja necessário repensar a composição.

2. Dê uma função aos vasos

A escada trata de “amarrar” vasos tão diferentes. Foto de Cynthia Myers
Vasos soltos, colocados em qualquer lugar vão parecer desconexos e estranhos. Ao adquirir seus vasos pense onde eles ficarão. Vasos podem suavizar muros e paredes altas, de uma forma útil e bonita. Eles também podem orientar caminhos sinuosos e adicionar perspectiva se colocados em ambos os lados de linhas retas. Neste caso certifique-se de que eles tenham algum padrão, para que haja coesão e fluidez no paisagismo. No caso de escadas, não é necessário tanto padrão, já que a própria escada se encarrega de “amarrar” os elementos. Vasos também pode servir como ponto focal, chamando a atenção para uma determinada vista do jardim.

3. Vasos e cachepôs necessitam de um padrão

Não é preciso que você utilize o mesmo tipo de vaso ou planta para que haja um padrão. Afinal, são as diferenças que fazem um jardim ser único e memorável. Ou seja, você pode ter diferentes vasos e plantas, desde que eles pertençam a um mesmo contexto e estilo. Este estilo deve combinar com a arquitetura do imóvel. De nada adianta usar vasos e cachepôs cheios de detalhes barrocos em um prédio contemporâneo, com linhas retas e minimalista. Apesar de lindos, eles vão destoar no local, vão parecer peixe fora d’água. Sem um padrão consistente seu jardim vai parecer confuso e bagunçado. Faça os vasos “conversarem entre si”, assim como com as plantas e com a arquitetura.

Na foto a cor e o estilo do vaso são um padrão. Foto de Pottery Patch

4. Vasos e plantas precisam combinar

Não pense que todos os vasos e plantas precisam ser os mesmos. Pelo contrário, é preciso que haja variação de tamanhos, formas, cores e texturas para que o jardim fique interessante. No entanto colocar uma planta com cores vibrantes em um vaso colorido, pode fazer com que o visual fique sobrecarregado. Cada qual vai brigar por atenção, o que pode não dar muito certo. Se a cores não combinarem por exemplo, você corre o risco que não valorizar a planta ou o vaso como deveria.

Assim, inicie seu estudo pelos padrões que já existem no jardim, como a arquitetura, as estruturas existentes e as plantas. Em seguida escolha as plantas, considerando estes padrões e somente depois escolha os vasos que vão se encaixar no local e realçar a beleza destas plantas. No final você vai ver que se torna muito mais simples enaltecer as flores e folhagens adquiridas.

5. Faça da diversidade uma regra

Vasos tão diferentes, em materiais, cores e texturas, mas harmonicamente posicionados. Foto de Scrappy Annie
Se o seu jardim tiver vasos todos com o mesmo tamanho, você pode acabar criando um visual que não se destaca, fica monótono. Quando as plantas são exibidas em níveis de altura diferentes, muito mais detalhes serão enaltecidos e notados, criando interesse.

Assim, invista em vasos grandes, eles tem um efeito impactante. Muitas vezes é melhor ter poucos vasos grandes e médios a ter numerosos vasos pequenos. Vasos e cachepôs grandes funcionam bem em qualquer lugar. Um pequeno vaso cheio de bolinhas em uma grande jardim tende a parecer perdido. Então como regra geral, mantenha-o próximo à casa em lugares onde se tenha a oportunidade de parar e admirar pequenos vasos. Use o truque de colocar seus vasos sobre pedestais, tijolos, ou até mesmo em um vaso de cabeça para baixo, para assim criar uma altura diferente.

6. Não esqueça dos detalhes

Vasos pequenos e cheios de detalhes são para serem observados de perto. Foto de Lynda
Às vezes queremos resolver logo o paisagismo e deixamos para traz os pequenos detalhes. Cada espaço do seu jardim conta uma história, isso significa que você pode usar vasos com detalhes interessantes para acrescentar complexidade e encanto ao seu jardim. Uma coleção de suculentas, de begônias, de ervas, de bulbosas, de samambaias, ou de orquídeas, em numerosos pequenos vasos, podem tornar um espaço muito atrativo, como uma varanda ou um cantinho sob a pérgola, e ainda assim, permanecer coeso com o restante do jardim, sem que estes vasos tenham que se repetir na paisagem.

7. Crie um visual cheio

Aproveite bem o espaços dos seus vasos. Você não tem que necessariamente plantar apenas uma espécie em cada um. Evite que o solo possa ser visto de longe. As plantas tem diferentes requerimentos de água, luz e nutrientes, utilize estas diferenças e combine as espécies.

Não esqueça que as plantas mais altas devem ficar ao fundo do vaso (ou ao centro), dependendo de como ele é visto, enquanto que plantas menores e pendentes podem ficar no entorno. Você pode criar lindas composições com plantas diferentes num vaso só, combinando texturas e cores de uma forma única.

8. De informal a formal

Estes buxinhos em vasos de terracota adicionam formalidade à paisagem. Foto de LovedayLemon
Para um visual mais informal, solto, você pode compor com vasos e plantas diferentes, com um número ímpar de elementos. Para um jardim formal, experimente um número par de vasos em linhas ou grupos simétricos. Use também com diferentes estilos. Você pode fazer uma linha de vasos idênticos, plantados com topiarias de buxinhos para adicionar formalidade em um jardim silvestre. O truque é ousado e não vai passar despercebido.

9. Crie um triângulo

Coloque um vaso grande no meio e adicione os dois ou mais vasos menores no entorno. Você cria um triângulo, onde o vaso maior se torna o ponto focal, captando o olhar, ao mesmo tempo em que o entorno oferece atratividade. Juntos assim, o vasos se combinam com elegância e equilíbrio. Não tem erro!

Se este artigo ajudou você. Então compartilhe este artigo e ajude a divulgar essa informação.