Tipuana – Tipuana tipu

 Tipuana tipu, Amendoim-acácia

Foto: Jan Smith

A tipuana é uma árvore decídua e florífera, de copa ampla e densa, que já foi largamente utilizada na arborização urbana tanto no Brasil como em outros países. Algumas cidades, como São Paulo e Porto Alegre, com certeza teriam uma paisagem bem diferente sem suas tão características tipuanas ladeando as ruas e parques. No entanto, atualmente tem sido preterida em favor de outras espécies devido ao seu porte avantajado, raízes agressivas e à fragilidade de sua madeira, que é mais propícia a quebras e cupins, principalmente nos indivíduos mais velhos e sem manutenção adequada.

Seu tronco apresenta casca cinzenta escura, de superfície rugosa e fissurada, que é excelente para a fixação de plantas epífitas como orquídeas, bromélias e samambaias. As folhas são grandes, opostas, imparipinadas, compostas por numerosos folíolos oblongos e verdes. A floração ocorre no final do inverno e na primavera, despontando inflorescências em rácemos pendentes, axilares ou terminais, com numerosas flores alaranjadas com uma pequena mancha marrom na base, que lembram também as flores do pau-brasil, entre outras fabáceas. Os frutos são do tipo vagem, indeiscentes e alados.

No paisagismo, a tipuana é ideal para cultivar em grandes espaços, por ser uma árvore bela e frondosa. Seu crescimento é considerado rápido e admite podas. É interessante deixar a primeira bifurcação da planta o mais alta possível, evitando assim que os ramos terminais, pendentes, toquem o chão, salvo quando essa característica for desejada. Não convém utilizá-la na arborização de calçadas, estacionamentos, residências e canteiros centrais, devido às características especificadas no primeiro parágrafo. No entanto, é possível e interessante seu plantio em amplos parques e praças, à uma distância segura de construções e pavimentações.

Deve ser cultivada sob sol pleno, preferencialmente em solo fértil, profundo, enriquecido com matéria orgânica e irrigado regularmente no primeiro ano de implantação. Aprecia o calor e a umidade tropicais, mas é capaz de tolerar o frio. Multiplica-se facilmente por sementes, que não necessitam tratamento especial para germinar.

Se este artigo ajudou você. Então compartilhe este artigo e ajude a divulgar essa informação.

Conte-nos sua experiência sobre o assunto deste artigo

  • Claudio Massayuki Hagi

    Temos algumas ruas aqui em Curitiba com Tipuanas. A rua onde moro inclusive. É uma árvore que cresce muito, chegando a 20 metros. Os troncos não crescem retos, e os galhos também pendem para os lados. Ficam gigantes, disformes, avançam sobre a rua e baús de caminhões batem nela. As mais antigas, de 35 a 40 anos, ficam tão grandes que as raízes não suportam o seu peso. Acabam caindo por ocasião de vendavais e tempestades. Alguns galhos gigantes também caem, e um deles caiu em cima do meu carro, danificando-o. Não serve para fazer sombra pois as folhas começam a cair em junho e ficam peladas até a época de brota, que é mais ou menos setembro. Ficam com aspecto horrível, peladas, sem folhas. E quando as folhas caem, são toneladas. Precisa então varrer a rua, quase todos os dias ! As raízes sobressaltam para fora, danificando calçada. Esta árvore, pelo menos para arborização urbana, não é recomendada. Não sei quem foi o infeliz que teve a ideia de usar elas para arborização de ruas aqui em Curitiba. Há um projeto para substitui-las.