Marmelinho-ornamental – Chaenomeles speciosa

O marmelinho-oriental é um arbusto decíduo, que passa os meses quentes despercebido, mas que no outono perde todas as suas folhas e inicia um bela e abundante floração, que se estende por todo inverno, destacando-se no jardim, enquanto a maioria das outras plantas estão no período de repouso vegetativo. Seu porte é médio, cerca de 1,5 metros de altura, podendo alcançar até 3 metros, como uma arvoreta. Suas folhas são ovaladas, simples, brilhantes, alternas, com bordos serrilhados e bronzeadas.

As flores do marmelinho-ornamental são cerosas, dispostas ao longos dos ramos, podem ser simples ou dobradas, de cores e tonalidades variadas, entre o vermelho, o rosa, o branco e o limão. Os frutos que seguem a floração são verde-amarelados, muito aromáticos, mas tem sabor adstringente demais para serem consumidos in natura. No entanto podem ser utilizados na preparação de geléias, compotas, marmeladas e licores. Os japoneses apreciam muito esta espécie e são os principais responsáveis por seu melhoramento e hibridizações com Chaenomeles japonica que acabou resultando no conhecido híbrido Chaenomeles x superba.

A rusticidade e o florescimento no inverno tornam o marmelinho-ornamental uma planta muito interessante para plantarmos no jardim. Ele pode ser utilizado isolado, em renques junto a muros ou como cerca-viva. É uma florífera ideal para jardins de inspiração japonesa. Os bonsaístas também apreciam muito o marmelinho-ornamental na sua arte. Adapta-se ao plantio em vasos.

Deve ser cultivado sob sol pleno, em solo fértil, bem drenado e preparado com esterco de curral curtido, húmus de minhoca e farinha de ossos. O marmelinho-ornamental tolera muito bem o solo seco e deve ser regado apenas nos primeiros meses de implantação. Para florações intensas, ele deve ser cultivado em climas temperados ou subtropicais, pois aprecia o frio. Podas de formação e de floração também são adequados e estimulam o florescimento. Multiplica-se por estaquia, mergulhia e alporquia.

Se este artigo ajudou você. Então compartilhe este artigo e ajude a divulgar essa informação.

Conte-nos sua experiência sobre o assunto deste artigo

  • Katia Suzuki

    Há 20 anos, quando estava estudando no Japão, tive minha primeira filha. Na Páscoa, sentindo saudades do Brasil, vi uma muda de Marmelinho oriental numa floricultura. Era um bonsai, e fiquei encantada com o enxerto feito, pois apresentava galhos com flores vermelhas e outros com brancas. Minha Páscoa ficou alegre com as flores na janela da cozinha.
    Logo depois voltamos ao Brasil – tínhamos ido como casal, e agora voltávamos como família! Mas não pude trazer a minha planta.
    Hoje, visitando uma exposição de bonsais em São Paulo, encontrei um vaso que cabia financeiramente no meu bolso. Embora a Páscoa tenha sido há 2 semanas, o marmelinho me fez sorrir pelo renascimento de lembranças queridas de um tempo que ficou lá atrás…