Liríope – Liriope spicata

 Liriope spicata,

Foto: Elf

A Liríope é uma planta herbácea, perene, rizomatosa e florífera, com aspecto de grama e popularmente utilizada como forração. Sua folhagem surge em tufos compostos por folhas estreitas, arqueadas, brilhantes e de cor verde escura. No final do verão e outono, produz inflorescências do tipo espiga, eretas, com pequenas flores de cor lilás. Os frutos que se seguem são do tipo baga, negros, com uma única semente cada e persistem durante o inverno. Ocorre também uma variedade variegada de branco, muito comum em cultivo.

No jardim, principalmente a forma variegada da espécie, é ideal para ser aproveitada como forração, com um belo contraste de cores e texturas. Também pode ser usada como bordadura, mas desde que se tenha uma forte maneira de contê-la em seu caminho, ou não se tenha a preocupação com o desenho estritamente formal, pois tende a se espalhar de forma agressiva. É especialmente indicada para forrar áreas semi-sombreadas, sob a copa das árvores, onde o gramado não prospera. Por seus rizomas fortes e fechamento denso é uma excelente escolha para controlar a erosão em taludes e encostas íngremes. Não é indicada para áreas de pisoteio.

Deve ser cultivada sob sol pleno ou meia sombra, em solo fértil, de textura média, bem drenável, enriquecido com matéria orgânica e irrigado regularmente. Após bem estabelecida, é capaz de tolerar por períodos de estiagem. Apesar de ser originária de clima temperado, a liríope tolera o calor e umidade tropicais. Em invernos rigorosos, sua folhagem pode se queimar, tornando-se amarronzada. Neste caso, esta parte avariada pode ser podada, estimulando a renovação da folhagem na primavera. Multiplica-se facilmente por sementes e por divisão das touceiras, permanecendo cada muda com a estrutura completa da planta, com folhas, raízes e rizoma. O melhor período para a divisão da planta é o inverno ou o período seco, enquanto ela está em dormência.

Se este artigo ajudou você. Então compartilhe este artigo e ajude a divulgar essa informação.

Conte-nos sua experiência sobre o assunto deste artigo

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *