Cerejeira-ornamental – Prunus serrulata

 Prunus serrulata, Cerejeira, Cerejeira-branca, Cerejeira-do-japão, Cerejeira-japonesa, Cerejeira-ornamental-do-japão, Sakura

Foto: Kanko

A cerejeira-ornamental é uma árvore decídua, de médio porte e floração decorativa, largamente utilizada no paisagismo. Seu tronco é cilíndrico, delgado, simples e curto, com casca rugosa, de cor marrom-acinzentada e lenticelas horizontais proeminentes. A árvore apresenta altura de 4 a 10 metros, com copa mais ou menos densa, em forma de vaso e 3 a 4 metros de diâmetro. As folhas são alternas, ovaladas, acuminadas, com margens serrilhadas e nervuras bem marcadas. Elas surgem com uma tonalidade bronzeada, se tornam verdes e mudam para o amarelo ou vermelho no outono, antes de cair.

As flores desabrocham no fim do inverno e primavera, unidas em grupos de duas a cinco em inflorescências do tipo rácemo. Elas não têm perfume e podem ser simples ou dobradas, de cor branca ou em diversas tonalidades de rosa, de acordo com a cultivar. As cerejas surgem no verão atraindo muitos passarinhos. Elas são frutos do tipo drupa, com forma globosa a ovóide, casca brilhante, de cor vermelha escura a preta, polpa carnosa e adocicada, envolvendo uma única semente. As cultivares desta espécie raramente frutificam.

A cerejeira-ornamental é uma árvore de beleza incomparável, que se modifica a cada estação. O melhor efeito se obtém com a planta isolada, em destaque, mas também pode ser utilizada em renques, ao longo de alamedas ou em grupos, formando pequenos bosques. De baixa manutenção, praticamente não requer podas, necessitando apenas a remoção de ramos doentes, mal-formados e secos. É a árvore símbolo do Japão, onde anualmente atrai milhares de pessoas às praças e parques durante sua floração. Os frutos são comestíveis quando maduros e de suas flores se faz chá. Entre as cultivares mais importantes podemos citar: ‘Amonogawa’, ‘Kwanzan’, ‘Kiku-shidare’, ‘Shirofugen’, ‘Shirotae’, ‘Tai Haku’, ‘Royal Burgundy’, ‘Shogetsu’, ‘Ukon’ e ‘Snowgoose’. Presta-se ainda para o plantio em vasos e para a formação de Bonsai.

Deve ser cultivada sob sol pleno ou meia-sombra, em solo fértil, neutro, bem drenável, enriquecido com matéria orgânica e irrigado regularmente. Planta de clima temperado, necessita de estações bem marcadas para florescer de forma satisfatória. Por este motivo não é indicada para regiões equatoriais e tropicais, salvo em regiões de altitude elevada. Seu crescimento é moderado e a floração é precoce. Não tolera encharcamento e podas drásticas. Resiste ao frio, geadas e curtos períodos de estiagem. Multiplica-se por enxertia, estaquia e mais facilmente por sementes.

Categorias: Diretório de Plantas

Raquel Patro é editora do site Jardineiro.net e uma pessoa totalmente fascinada pela natureza, principalmente por plantas e jardins. Criou o site Jardineiro.net para disseminar sua paixão, contagiando novos adeptos e entusiasmando os antigos.

Receba o Jardineiro.net no seu e-mail!


Ajude este site. Vote!
Eventos
  • XXII Exposição de Orquídeas do Círculo Potiguar de Orquidofilia

    Nos dias 5, 6 e 7 de setembro será realizada o XXII Exposição de Orquídeas do Círculo Potiguar de Orquidofilia. O evento, que acontecerá no Sam's Club, contará com belas orquídeas expostas, palestras e oficinas, além de comercialização de orquídeas (Orquidário Flores do Lago), bem como produtos relacionados o cultivo.
  • 23ª ExpoAflord

    Emoções sem limites na festa das flores de Arujá A Associação dos Floricultores da Região da Via Dutra (Aflord) realiza em 2014 a 23ª edição da Expo Aflord nas seguintes datas: Dias: 23, 24, 30 e 31 de agosto / 6 e 7 de setembro Horário: 8:30h às 18h Durante três finais de semana as pessoas que comparecerem a Expo Aflord terão oportunidade de conhecer a grande variedade de flores…