Cereja-do-rio-grande – Eugenia involucrata

 Eugenia involucrata, Cereja, Cerejeira, Cerejeira-da-terra, Cerejeira-do-mato, Cerejeira-do-rio-grande, Guaibajaí, Ibá-rapiroca, Ibajaí, Ibárapiroca, Ivaí, Ubajaí
Compartilhe:
A cerejeira-do-rio-grande é uma árvore frutífera e ornamental, bastante popular nos quintais e pomares do sul e sudeste do Brasil. Sua copa é colunar e seu porte é pequeno a médio, alcançando de 5 a 15 metros de altura. O tronco é reto, liso e descamante, com belas tonalidades de cinza, castanho, verde ou vermelho, dependendo da fase da casca. As folhas são simples, cartáceas, brilhantes, opostas, lanceoladas a elípticas e aromáticas.

As flores são axilares, longopedunculadas, solitárias, pentâmeras e brancas. O centro da flor é caracterizado por numerosos e longos estames, com anteras amarelas. Os frutos são bagas subglobosas a piriformes, de casca fina, cor vermelha a negra quando maduras, coroados pelo cálice persistente. Cada fruto pode conter de uma a três sementes de cor castanha, grandes e oblongas. Floresce e frutifica na primavera.

No jardim ou no pomar, a cerejeira-do-rio-grande se destaca pelo tronco elegante e copa decídua, que marca as estações e ainda fornece numerosos frutinhos. Além disso, é indispensável em áreas de reflorestamento, pois é muito atrativa para a vida silvestre. Os frutos são muito saborosos, doces e levemente ácidos, com polpa carnosa e suculenta. Eles podem ser consumidos in natura ou na forma de compotas, geléias, sorvetes, vinhos, licores, etc. Também pode ser plantada em vasos. A queda dos frutos produz um certo lixo e mancha calçadas e carros, por este motivo, deve se evitar seu uso em áreas de estacionamento.

Deve ser cultivada sob sol pleno ou meia sombra, em solo fértil, profundo, drenável e enriquecido com matéria orgânica. Aprecia sombreamento parcial e irrigação periódica nos primeiros anos após o plantio, sendo gradativamente descoberta. Tolerante ao frio. É importante a fertilização anual com adubos químicos ou orgânicos, aplicados na projeção da copa. Também deve se ter o cuidado de manter a árvore bem hidratada durante a floração. Uma irrigação complementar neste período, em caso de estiagem, pode garantir uma boa frutificação. Multiplica-se por sementes que germinam em até 2 meses. A frutificação é precoce, iniciando 4 anos após o plantio. O espaçamento ideal é de 6 metros entre as mudas.

Compartilhe:
2 comentários sobre “Cereja-do-rio-grande – Eugenia involucrata
  1. Daisy Moraes disse:
    Que mararavilhoso, finalmente achei um artigo sobre a cereja!!!
    Há muitas arvores assim aqui no interior de sao paulo (jundiai e regiao). Conheci esta arvore com o nome de Baúna.
    Alias estes frutos sao muito apreciados por papagaios e algumas especies de micos. Vale a pena ter em casa, facil de plantar e cultivar. Recentemente cultivo bonsais desta arvore, fica super elegante
  2. Jania disse:
    Incrível!!!Provei dessa fruta deliciosa em Campinas, mas ninguém sabia o nome. Tem duas árvores num espaço onde funciona uma ONG, tirei fotos, mostrei para tanta gente e ninguém sabia! Hoje pesquisando receitas de amoras me deparei com esse nome e por curiosidade cliquei no link, que felicidade descobrir “os nomes” de uma fruta tão maravilhoasa. Parabéns

Conte-nos sobre sua experiência com esta espécie

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

Publicado em Diretório de Plantas Marcado com:

Newsletter

Receba grátis as novidades
do Jardineiro.net no seu e-mail

Seja nosso fã

Visite o perfil de Jardineiro.net no Pinterest.