Cássia-rosa – Cassia grandis

A cássia-rosa é uma árvore decídua e florífera, bastante utilizada na arborização urbana pela sua beleza, rápido crescimento e rusticidade. O porte é considerado médio a grande, sendo que os maiores indivíduos alcançam 30 metros de altura, porém na média não passam dos 20 metros. O tronco pode ser único ou múltiplo, é tortuoso, curto (cerca de 8 metros de altura), cilíndrico e pode chegar a um diâmetro de 100 cm. A casca é de cor marrom, fissurada e com textura áspera, apresentando pouca descamação.

A copa é ampla, com cerca de 8 metros de diâmetro e uma distribuição irregular dos ramos. As folhas são compostas, paripinadas, com 8 a 20 pares de folíolos oblongos e pilosos, que caem em sua maioria no período seco ou inverno. A floração ocorre entre Agosto e Novembro, com a árvore ainda quase que totalmente despida de folhas. As inflorescências são axilares, do tipo rácemo, com flores róseas-amareladas, hermafroditas e muito vistosas. O fruto que se segue é uma vagem grande, lenhosa, marrom, indeiscente e cilíndrica, de 11 a 60 cm de comprimento, contendo numerosas sementes de cor castanha, ovais.

No paisagismo, a cássia-rosa é ideal para grandes espaços, como parques, praças, sítios, etc. O florescimento exuberante se destaca na paisagem, chamando a atenção daqueles que a observam. Seu crescimento é considerado de moderado a rápido e admite podas. Não convém utilizá-la na arborização de calçadas sob a fiação elétrica ou pequenos jardins residênciais, devido ao elevado porte da espécie. Interessante também manter a uma distância segura de construções, tubulações subterrâneas e pavimentações, pelo dano que as raízes podem provocar. É uma espécie melífera e que atrai a fauna silvestre devido à polpa adocidada das vagens. Pela sua grande capacidade de rebrote, com múltiplos troncos, também pode ser utilizada como cerca-viva, principalmente em áreas de pastagem.

Deve ser cultivada sob sol pleno, em solo preferencialmente fértil, profundo, enriquecido com matéria orgânica e irrigado regularmente nos primeiros anos após o plantio. Resistente a curtos períodos de estiagem, desde que esta não ultrapasse 4 meses. Não tolera o frio intenso ou geadas. Multiplica-se por sementes, que devem ser escarificadas para quebra de dormência e plantadas em solo mantido úmido. Desta forma germinam em até 60 dias. As mudas de nove meses podem ser transplantadas ao local definitivo. No momento do transplante manter espaçamento de pelo menos 4 metros entre árvores. O primeiro florescimento poderá ser notado cerca de 10 anos após o plantio.

Se este artigo ajudou você. Então compartilhe este artigo e ajude a divulgar essa informação.

Conte-nos sua experiência sobre o assunto deste artigo

  • Ester Giordano

    Tenho uma árvore dessa espécie. Só perde a folha nos galhos que vai florescer. Infelizmente a minha não produz sementes. É nativa da Mata Atlântica e muito disseminada na Argentina. Na minha cidade é o único exemplar que conheço. Não tem nada a ver com Canafístula e o espaçamento sugerido é muito pouco.Seus galhos na fase adulta irão se amontoar.Sugiro não menos de 10 metros até mesmo para prevenir sobreposição de raízas e concorrência.