Uva-do-japão – Hovenia dulcis

A uva-do-japão é uma árvore caduca, de porte médio, muito utilizada na arborização urbana. Sua copa é aberta, de formato globoso a oval. O caule apresenta rápido crescimento e pequeno diâmetro. Sua casca é escura, de textura lisa a levemente fissurada. As folhas são ovais, verdes, brilhantes, de disposição alterna e caem no outono e inverno. As flores numerosas, surgem no verão. Elas são pequenas, hermafroditas, perfumadas, branco-esverdeadas e atraem muitas abelhas. Os frutos são cápsulas secas, marrons, sustentadas por pedúnculos carnosos, doces e de cor castanha. Cada fruto contém de 2 a 4 sementes amarronzadas. A dispersão das sementes é zoocórica (por animais).

Os frutos da uva-do-japão têm sabor aprazível, mas devem ser colhidos maduros. Quando verdes, têm sabor adstringente e quando passados, fermentam e ficam com gosto alcoólico. Eles podem ser consumidos in natura ou na forma de geléias. É uma árvore apropriada para o paisagismo urbano, em estacionamentos, rodovias, praças e parques. Devido ao seu tamanho um pouco avantajado (atinge cerca de 25 metros), a uva-do-japão não é indicada para arborização de calçadas sob fiação elétrica.

Por ser uma árvore que frutifica em abundância, ela têm sido amplamente utilizada na recuperação de áreas degradadas, com o objetivo de atrair a fauna (aves e mamíferos). No entanto têm se revelado uma espécie perigosamente invasora, que reduz a diversidade das matas nativas e se multiplica rapidamente com a ajuda dos animais.

Deve ser cultivada sob sol pleno ou meia-sombra, em solo fértil, bem drenável e leve, com regas regulares no primeiro ano após o plantio. Não tolera encharcamento ou inundações. Multiplica-se por sementes e estacas. As sementes podem ser escarificadas para quebrar a dormência. A frutificação inicia-se de 3 a 4 anos após o plantio.

Se este artigo ajudou você. Então compartilhe este artigo e ajude a divulgar essa informação.

5 comments on “Uva-do-japão – Hovenia dulcis

  1. Olá Raquel,sempre tive muita curiosidade sobre essa árvore,pois aqui em meu bairro tem muitas uma a cada 10 metros.Como seus frutos são tão doces resolvi estudá-las um pouco.Agora que sei um pouco vou aproveitar e fazer uso pois as ruas ficam cobertas com elas.

  2. na minha infância em BH, na casa de meu avô tinha uma destas.
    Sempre apreciamos seus frutinhos.
    Muita saudade daqueles idos felizes.
    Continue seu bom trabalho, pois esta arvore é totalmente benéfica.

  3. Perde-se muito ao secar as folhas e frutos para infusões?
    Penso em guardar uma quantidade em casa pois o pé da Uvinha mora longe de mim (:

  4. Oi, Raquel.
    Que alegria em ler sobre a Uva japonesa.
    Conheço e já comi dos seus frutos. Porém, atualmente não sei onde encontrar.
    Estou precisando das folhas para ajudar no tratamento de alcoolismo. Saberia informar-me onde posso conseguir?
    Agradeço antecipadamente.
    No aguardo.
    Abraço
    Liége Qhz

  5. Olá pessoal.
    Conheço a uva-do-japão desde 1954.
    Observei-a mais de perto quando 2016 meu irmão cortou uma árvore em seu sítio. Reservei alguns pedaços para queima em fogão à lenha. O resultado:
    é melhor de serrar, partir, manuear; produz mais calor que o melhor eucalipto, acácia e outras similares -é próxima à do angico, arueira, camboim, maricá; os galhos quebradiços, os mais finos podem ser partidos com as mãos quando verdes; seu crescimento vegetativo é melhor que todos os citados, é de mais fácil plantiu que a maioria. Logo, é a melhor alternativa para produção de madeira para combustão e aquecimento -sua brasa é ótima e tem longa duração. Se alguém tem espaço para plantiu, está aí a dica: PLANTE -e plante perto para colher mais cedo, raleando e aumentando os espaços aos que ficarem para os outros anos.

Conte-nos sua experiência sobre o assunto deste artigo

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.