Vetiver – Chrysopogon zizanioides

O vetiver é uma gramínea perene conhecida desde a antiguidade em todo mundo, pelo aroma que é extraído de suas raízes e por sua qualidade de demarcar áreas. É uma planta cespitosa, ou seja, forma touceiras e não apresenta estolões ou rizomas. Suas raízes são muito diferentes das raízes da maioria das gramíneas, pois elas são muito longas e atingem as camadas mais profundas do solo, chegando de 3 a 6 metros de profundidade. As touceiras são eretas, com hastes longas e fortes, e folhas longas, resistentes e lineares, que alçam 1,5 metros de comprimento com facilidade. As inflorescências são longas, do tipo panícula, com espiguetas com uma par de flores, sendo a superior hermafrodita e a inferior masculina. O conjunto da inflorescência é muito ornamental, surgindo acima da folhagem, com aspecto de pluma e cor arroxeada. Apesar das belas flores, o vetiver não produz sementes férteis.

No paisagismo é importante para o profissional saber combinar essa gramínea, de textura, porte e arquitetura interessantes, de forma que o jardim não fique com aspecto de abandonado. Ele pede espaços abertos e pode ser plantado isolado ou em linhas, formando densos renques. Como suas raízes são profundas, ela é muito tolerante à estiagem. Além disso elas são raízes agregantes, ou seja, estabilizam o solo e são ideais para segurar taludes e encostas, prevenindo a erosão por enxurradas. Para esta finalidade, deve ser plantada em cordões transversais à superfície inclinada. Como o vetiver não apresenta sementes férteis e não emite estolões ou rizomas, pode ser plantado em um local determinado que lá ficará, não correndo o risco de se tornar invasivo. Por este motivo, é comum dizer que o ele vive mais de 100 anos no mesmo local. É reconhecido também seu poder de conservar e despoluir a água e o solo. Curiosidade: das raízes do vetiver é extraído um óleo de cor âmbar, de perfume marcante, doce e amadeirado, com excelente capacidade de fixação e utilizado tradicionalmente em perfumaria, produtos de higiene, aromaterapia e até como repelente.

Deve ser cultivado sob sol pleno, em qualquer tipo de solo, preferencialmente enriquecido com fósforo e irrigado regularmente no primeiro ano após o plantio. Planta de extrema rusticidade, é tolerante a secas, alagamento, pastoreio, frio, poluição, salinidade, ventos, geadas e até mesmo queimadas. O vetiver demonstra também grande resistência a pragas e doenças. Seu ponto fraco é a luz. Ele não resiste ao sombreamento. Multiplica-se facilmente por separação dos afilhos formados entorno da planta mãe, além da divisão das touceiras.

Se este artigo ajudou você. Então compartilhe este artigo e ajude a divulgar essa informação.

Medicinal:

  • Indicações: Ansiedade, estresse, acne, cansaço, febre, dores musculares, sintomas da menopausa, gases intestinais e cefaléias. Muito utilizado em aromaterapia.
  • Propriedades: Anti-séptica, calmante, carminativa, diaforética, estimulante, febrífuga, relaxante muscular, sedativa e tônica
  • Partes Utilizadas: Óleo essencial, Raízes, Folhas

Conte-nos sua experiência sobre o assunto deste artigo

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *