Tuia-jacaré – Juniperus horizontalis

A tuia-jacaré é uma planta arbustiva, dióica, lenhosa e prostrada, da família das coníferas. Ela chama a atenção pela sua disposição horizontal e folhagem azulada, com fina textura. Seu tronco é liso e brilhante, na maioria das vezes retorcido e ramificado. A ramagem é prostrada e rasteira, espalhando-se no solo e caindo em cascata quando há declives. As folhas são escamosas e diminutas, aromáticas e densamente arranjadas em pares opostos sobres os ramos. Os cones formados nas plantas fêmeas são pequenos e globosos, sem importância ornamental e levam cerca de dois anos para amadurecer. Há muitas variedades desta tuia, que se diferenciam no porte, hábito mais ou menos prostrado e principalmente por diferentes tonalidades de cor, que vão do mais glauco até o verde-limão, incluindo opções variegadas de branco creme. Entre estas cultivares podemos citar a ‘Wiltonni’, ‘Blue Chip’, ‘Bar Harbor’, ‘Blue Acres’, ‘Emerald Spreader’, ‘Glacier’, ‘Green Acres’ e ‘Golden Carpet’.

Foto de Cliff
Bonsai de Tuia-jacaré – Foto de Cliff
No paisagismo a tuia-jacaré se destaca como uma forração bastante escultórica e diferente, que combina muito bem com outras coníferas e em jardins rochosos, complementando a textura de plantas floríferas e fornecendo um pano de fundo bastante neutro de cor. Ele ajuda a dar mais naturalidade aos arranjos das pedras, unindo e suavizando as formas com seus ramos azulados. Esta tuia é utilizada ainda para áreas arenosas de jardins litorâneos e taludes, onde é útil na contenção da erosão. Também é uma opção muito interessante para a arte do bonsai, por suas folhas densas e pequenas e crescimento baixo e horizontal.

Deve ser cultivado sob sol pleno em solo bem drenável, enriquecido com matéria orgânica e irrigado regularmente no primeiro ano de implantação. Depois de bem instalada no solo, ela se torna uma planta bastante resistente à estiagem. No entanto, ela não é uma planta que suporte solos úmidos ou encharcados. Adapta-se a uma ampla variedade climática, indo bem no frio ou calor, desde que não sejam muito extremos. No inverno frio tende a adquirir uma tonalidade amarronzada nas folhas. Tolera podas para a contenção ou formação. Multiplica-se por sementes, mas mais comumente por estaquia de ponteiros, para preservação das características da cultivar.

Se este artigo ajudou você. Então compartilhe este artigo e ajude a divulgar essa informação.

Conte-nos sua experiência sobre o assunto deste artigo