Rúcula – Eruca sativa

 Eruca sativa, Mostarda-persa, Agrião-da-terra, Arucula, Pinchão, Rugula, Agrião-mostarda

Foto: Kim Unertl

A rúcula é uma planta herbácea e de ciclo anual, originária das regiões mediterrâneas da Europa e leste da Ásia. De rico sabor pungente, ela se popularizou no mundo todo principalmente através da cozinha italiana, que a valoriza em diferentes preparações. É algumas vezes confundida com a rúcula da espécie Diplotaxis tenuifolia, de ciclo de vida perene e flores amarelas, também conhecida como oruga-brava.

Flor da Rúcula. Foto de Nesson Marshall
A rúcula apresenta folhas verde escuras, dispostas em roseta, pinadas em 4 a 10 profundos lobos laterais e um grande lobo terminal. Elas são tenras quando jovens, e gradativamente vão ficando mais firmes e fibrosas. As flores surgem em corimbos, inflorescências típicas da família Brassicaceae, e são brancas com veios liláses, tetrâmeras. Os frutos que se seguem são do tipo síliqua, finas vagens com sementes comestíveis. No Brasil, as variedades de rúcula mais cultivadas são a “Antonella”, “Cultivada”, “Donatella”, “Gigante de Folha Larga” e “Rokita”.

Uma deliciosa pizza de rúcula. Foto de Jeffrey Chiang
Nutritiva e saborosa, a rúcula não pode faltar na horta doméstica. Seu cultivo é simples e dispensa cuidados especiais, podendo ser plantada o ano todo. É rica nas vitaminas A, C e sais minerais, e pode ser consumida crua ou refogada em saladas, sanduíches, molhos para massas, pizzas, sopas, sendo uma excelente companhia para pratos com tomates, queijos, orégano, azeite de oliva, carnes, peixes, outras verduras e cogumelos frescos. Mais recentemente tem se popularizado a utilização em sucos do tipo detox, acompanhada de outros ingredientes, como agrião, gengibre e limão, que auxiliam na manutenção da saúde. Também possui qualidades como medicinal, veja quadro mais abaixo.

Deve ser cultivada sob sol pleno, em solo fértil, drenável, enriquecido com matéria orgânica e irrigado regularmente. Aprecia o clima ameno, podendo ser plantada o ano todo nas regiões sul e sudeste, e evitando-se os meses mais quentes no nordeste, norte e centro-oeste. Sensível ao excesso de umidade e ao calor, quando pode facilmente sucumbir ao ataques de fungos e bactérias. As pragas que mais perturbam as rúculas são as lagartas e os nematóides. Multiplica-se por sementes, postas a germinar diretamente no local definitivo, na profundidade de 0,5 cm e com espaçamento entre linhas de 20 cm. Germina em 4 dias e o desbaste deve ser feito quando as plantas atingirem 10 cm, permanecendo cerca de 15 cm entre as plantas restantes. Aproveite o desbaste para preparar deliciosas saladas “baby leaf”, com as folhas pequenas e tenras. A colheita se dá entre 40 a 65 dias, dependendo da variedade e da estação do ano. Pode-se arrancar a planta inteira, ou cortá-la próximo ao colo, incentivando o rebrote. Frutifica em cerca de 110 dias após o plantio. Após sementar, vai gradativamente enfraquecendo e perdendo o vigor.

Se este artigo ajudou você. Então compartilhe este artigo e ajude a divulgar essa informação.

Medicinal:

  • Indicações: Fraqueza, Escorbuto, Afecções respiratórias, Asma, Tosse, Falta de apetite, Gases intestinais, Desintoxicação, Anemia, Falta de libido, Gengivite, Bronquite, Diarréia
  • Propriedades: Afrodisíaco, Estimulante, Revigorante, Digestivo, Antianêmica, Antiasmática, Antiescorbútica, Antitussígena, Diurética, Aperiente, Carminativa, Depurativa, Emética
  • Partes Utilizadas: Folhas

Conte-nos sua experiência sobre o assunto deste artigo