Planta-vaso – Aechmea distichantha

A planta-vaso é uma bromélia nativa e de porte médio, considerada de sombra. Seu florescimento exuberante, atrai colecionadores do mundo todo. A folhagem é disposta em roseta, formando um característico “copo” central, onde a planta acumula água e recebe nutrientes vindos com ventos e chuvas. Este “copo” é muito importante, pois é através dele que a planta se hidrata e se alimenta. As folhas são arqueadas, verdes no comprimento e avermelhadas na base, com pequenos espinhos marrons nas margens. Elas são recobertas por escamas, que dão um aspecto acinzentado e fosco característico do gênero Aechmea. As raízes são fortes e duras e, assim como em outras bromélias, tem como principal papel a fixação da planta ao substrato. A inflorescência surge geralmente na primavera e somente uma vez nas plantas maduras. Ela é ereta, composta por brácteas cor-de-rosa, muito vistosas e duráveis, permanecendo incólume por semanas. As flores aparecem entre as brácteas e são tubulares, com pétalas azuis, brancas ou róseas. Depois da floração a planta morre, não sem antes deixar algumas novas mudas que surgem da base da planta.

Esta bela bromélia pode ser fixada em árvores, plantada em vasos ou diretamente em canteiros, formando maciços ou bordaduras em locais com luz indireta. Ela confere um ar tropical ao jardim, com suas cores românticas e incomuns. Na composição dos atuais jardins verticais, a planta-vaso é uma espécie de eleição. Em vasos ou jardineiras, cultive a planta-vaso na varanda ou até mesmo dentro de casa, em local bem iluminado. Ela é muito rústica e resistente as pragas e doenças. Mesmo após o florescimento, mantenha os cuidados até que os brotos estejam grandes o suficiente para serem separados da planta mãe.

Deve ser cultivada sob meia-sombra em substrato próprio para epífitas ou afixada no tronco de árvores não decíduas. Aprecia umidade, portanto deve ser irrigada frequentemente, mantendo o copo sempre cheio. No entanto evite o encharcamento das raízes, pois favorece o apodrecimento. Assim como outras bromélias, a planta-vaso é muito sensível à defensivos e fertilizantes químicos, preferindo assim adubações orgânicas. Não utilizar calda bordalesa ou outros produtos à base de cobre em bromélias. Multiplica-se por sementes frescas e por separação das mudas laterais que se formam após o florescimento.

Se este artigo ajudou você. Então compartilhe este artigo e ajude a divulgar essa informação.

Alerta:

Atenção ao manusear a planta, os espinhos nas bordas das folhas podem arranhar. O ideal é usar luvas.

Conte-nos sua experiência sobre o assunto deste artigo

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *