Planta-jade – Crassula ovata

A planta-jade é uma espécie suculenta, perene, com folhagem e florescimento ornamentais. Ela é uma das suculentas mais fáceis de cultivar, tanto para jardineiros iniciantes como para aqueles de final de semana. Seu caule é ramificado, verde e suculento quando jovem, e vai gradativamente lignificando, adquirindo uma tonalidade parda. Os ramos e o caule são robustos, curtos e retorcidos, conferindo à planta um aspecto envelhecido. As folhas são ovaladas a elípticas, opostas, suculentas e de uma bela cor verde-jade. Sob sol pleno, algumas variedades desenvolvem margens avermelhadas, enquanto outras adquirem tonalidades amarelas, laranjas ou vermelhas em toda a folha. Floresce no inverno e primavera, despontando inflorescências terminais, com numerosas flores estreladas, perfumadas, de cor branca ou rosa. Os frutos que se seguem são do tipo cápsula, com pequenas e numerosas sementes. Há diferentes cultivares da planta-jade, as mais populares atualmente são a ‘Gollun’, de folhas modificadas que lembram velas – alguns poderiam dizer que lembram as orelhas do Shrek, e a ‘Hobbit’, com folhas curvas e alongadas, semelhantes a orelhas de coelho ou colheres. Ocorrem ainda formas de folhas variegadas de branco ou amarelo.

Quando plantada em vasos, a planta-jade torna-se uma árvore em miniatura, formando um bonsai praticamente natural. No entanto, nesta espécie é um tanto difícil modificar a posição dos ramos, que quebram-se com facilidade. Ela pode ornamentar tanto ambientes internos como externos, pois se adapta a uma grande variação de luminosidade. Tenha cuidado, no entanto, de expor gradativamente uma planta que estava na sombra ao sol, para não provocar queimaduras nas folhas. No jardim, adapta-se bem a locais bem drenados, podendo formar renques formais ou informais, topiarias, ou grupos com outras plantas. É uma espécie de escolha para jardins de inspiração desértica, combinando com outras suculentas e cactáceas.

Deve ser cultivada sob sol pleno, meia sombra ou luz difusa, em solo arenoso, enriquecido com matéria orgânica e irrigado a intervalos esparsos e regulares. Não tolera encharcamentos, o que provoca um rápido apodrecimento do sistema radicular e da base do caule. Por este motivo, jamais deixar um pratinho sob o vaso da planta e reduzir consideravelmente as regas no inverno. Resistente a curtos períodos de estiagem. Adapta-se bem às regiões litorâneas. Tolera o frio e os ventos, mas deve ser protegida de geadas durante a floração. Necessita adubação leve. O florescimento só ocorre em plantas expostas à luz direta do sol. Multiplica-se facilmente por estaquia de ramos ou folhas, que devem ser postos a cicatrizar à sombra antes de colocar no substrato.

Se este artigo ajudou você. Então compartilhe este artigo e ajude a divulgar essa informação.

Medicinal:

  • Indicações: Diarréia, Calos, Epilepsia
  • Propriedades: Purgativa
  • Partes Utilizadas: Folhas

Conte-nos sua experiência sobre o assunto deste artigo

  • Marcio Batista de Oliveira

    Tudo Bem? Comprei um vasinho dessa suculenta e a transplantei para um vidro na intenção de fazer um “terrário” aberto. Como não sabia nada sobre a mesma comecei a pesquisar na internet e para minha felicidade encontrei aqui no jardineiro.net todas as informações que precisava.