Pimenta – Capsicum spp

O gênero Capsicum inclui plantas de frutos picantes, conhecidos como pimentas, assim como plantas de frutos “doces”, os pimentões. As diferentes espécies de pimenta conhecidas podem ser classificadas como domésticas, semi-domesticadas e selvagens. As espécies domésticas e mais cultivadas são a C. annuum var. annuum, C. baccatum var. pendulum, C. chinense, C. frutescens e C. pubescens. As pimentas deste gênero não apresentam relação botânica com outras pimentas comumente utilizadas como tempero, como a pimenta-do-reino (Piper nigrum), pimenta-da-jamaica (Pimenta dioica ou pimenta-rosa (Schinus sp).

As pimentas são cultivadas principalmente com fins alimentares, medicinais, condimentares e ornamentais. Elas apresentam caule lenhoso ou semi-lenhoso, ramificado, ereto ou recurvado, e folhas lanceoladas, verdes e brilhantes, com nervuras bem marcadas. O porte é variável, sendo que algumas cultivares são anãs e outras podem atingir 1,5 metros de altura. As flores são em sua maioria brancas, mas algumas variedades apresentam flores arroxeadas. O fruto é uma baga de tamanho variável, que pode ter formato esférico, cônico, campanulado, entre outros e apresentar diversas cores, como verde, branco, amarelo, vermelho, laranja, preto, marrom ou violeta.

A capsaicina e outros compostos do grupo dos capsaicinóides são os responsáveis pelo sabor picante das pimentas. Esta picância é medida em escala própria, a escala Scoville, que parte do pimentão, como tendo picância 0 e vai aumentando em unidades até chegar às pimentas mais picantes, com 300,000 unidades, conhecidas como habaneros. Na culinária as pimentas são utilizadas em conservas, molhos, saladas, recheadas, etc e seu uso é tão difundido que faz parte das mais diversas culturas orientais e ocidentais.

Apesar de consideradas perenes, as variedades atuais de pimenteiras são selecionadas para frutificarem intensamente em um curto período de tempo. Desta forma, após o primeiro ano, elas perdem a beleza, enfraquecem, produzem menos e se tornam sensíveis a pragas e doenças. Os vasinhos e canteiros devem ser reformados a cada um ou dois anos e, para que as pimenteiras ornamentais sejam mais longevas, o raleio de flores e a colheita permanente dos frutos maduros são recomendados.

Deve ser cultivada sob sol pleno ou meia-sombra, em solo fértil, profundo, leve, enriquecido com matéria orgânica e irrigado regularmente. A pimenteira aprecia adubações semanais durante o crescimento e floração e adubações quinzenais durante a frutificação. Não tolera estiagem, encharcamento, frio ou geadas. Multiplica-se por estaquia e mais comumente por sementes. A colheita inicia-se de 100 a 120 dias após o plantio.

Se este artigo ajudou você. Então compartilhe este artigo e ajude a divulgar essa informação.

Medicinal:

  • Indicações: alterações da coagulação sanguínea, arteriosclerose, colesterol elevado, inflamações, depressão, fraqueza, escorbuto
  • Propriedades: antiinflamatória, rica em vitamina C, antioxidante, dissolve coágulos, eleva o metabolismo, cicatrizante, aperiente, eleva o humor, aumenta a resistência do organismo
  • Partes Utilizadas: frutos

Conte-nos sua experiência sobre o assunto deste artigo

  • armando moreira

    gosto muito todas sao deliciosas,adoro fazer conservas ,principalmente fritando no azeite de oliva.