Kentia – Howea forsteriana

A kentia é uma palmeira de estipe elegante, com folhagem e frutificação ornamentais, nativa da Ilha de Lord Howe, pertencente à Austrália. Ela se tornou cosmopolita, valorizando projetos paisagísticos e de decoração, por que além de bela, é muito tolerante a diversos climas e se adapta com perfeição a ambientes internos com pouca luminosidade. O caule (estipe) é único, com a base ligeiramente engrossada e, de acordo com a luminosidade, pode ser verde (se crescer à sombra), ou cinzento (se crescer sob sol). Seu diâmetro chega a 15 cm e possui anéis bem marcados, que são cicatrizes resultantes da queda das folhas. Além disso, as plantas que crescem à sombra tem anéis mais separados daquelas que crescem sob o sol. Suas folhas são pinadas e com longos folíolos lineares e pendentes. Floresce anualmente na primavera e verão. As inflorescências se ramificam em espigas, com flores de ambos os sexos, de cor branco-creme. Os frutos que se formam são ovais, inicialmente verdes a alaranjados e gradativamente adquirem a cor vermelho escura. A maturação dos frutos é bastante lenta, podendo levar de três a quatro anos para se completar.

A kentia é a palmeira de escolha para escritórios, halls, lobbies, shoppings, salas de estar, entre outros ambientes que necessitem de uma aura de tropicalidade. Mesmo em climas temperados é possível cultivá-la com sucesso. Sua manutenção é baixíssima, tolerando calefação, ar condicionado, pouca luz e, mesmo que seja negligenciada, ainda é capaz de vegetar com esplendor por muito tempo. Seu crescimento é bastante lento, o que se torna uma qualidade quando pensamos em sua aptidão como planta de interior, evitando assim replantios periódicos. Em contraponto, como demora muitos anos para crescer um metro, seu preço é bastante elevado.

No paisagismo a kentia pode ser utilizada isolada ou em grupos, preferindo locais semi-sombreados. Acrescente elegância e tropicalidade ao utilizá-la como ponto focal ou destaque, em pátios, próximo a piscinas e lagos, etc. Também é interessante seu uso como bordadura ao longo de caminhos e acessos para automóveis.

Deve ser cultivada sob meia sombra ou sol pleno, em qualquer tipo de solo, preferencialmente férteis, drenáveis e enriquecidos com matéria orgânica. Plantas jovens não devem ficar sob sol pleno pelo menos até os cinco anos de idade. A kentia se adapta a diferentes climas, sendo uma das poucas palmeiras que toleram o frio intenso de até -5°C, por algumas horas. No entanto, geadas intensas ou neve danificam irreversivelmente suas folhas e podem matá-la. Depois de adulta e bem estabelecida pode suportar curtos períodos de estiagem, mas prefere regas freqüentes para um ótimo crescimento. Plantas envasadas devem ser irrigadas periodicamente, sem contudo encharcar, o que a torna rapidamente suscetível a podridões e ataques de fungos. Resiste à salinidade de regiões litorâneas, mas convém protegê-la de ventos fortes que podem danificar suas folhas. Fertilize com adubos próprios para palmeiras, preferencialmente os de liberação lenta. Multiplica-se por sementes que devem ser colhidas de frutos totalmente maduros e plantadas imediatamente. A germinação é muito irregular e pode levar de dois meses até três anos para acontecer. A quebra de dormência em água quente melhora as taxas de germinação.

Se este artigo ajudou você. Então compartilhe este artigo e ajude a divulgar essa informação.

One comment on “Kentia – Howea forsteriana

  1. Já lá vão trinta e tal anos quando uma amiga me ofereceu um vaso com uma palmeirinha diferente. Gostei. Ficou na sala, perto da janela, depois de a mudar de vaso…
    As palmas (lindas) cresciam. Mas para desgosto meu ela só tinha três. Quando nascia uma nova, a mais antiga amarelava e morria. Mas as três cresciam bem, de tal maneira que o seu diâmetro já incomodava a passagem. Entretanto tínhamos construído uma vivenda com jardim perto das praias da Costa da Caparica e decidimos transplantar para o jardim a pobre kentia para ver se ela gostaria mais do ar livre. Se gostou? Adorou!! Cresceu imenso, terá actualmente mais de seis metros de altura. Tenho orgulho em ser sua dona e digo-lhe isso muitas vezes. Mas agora acho que me presenteou com uns bagos verdes que nascem numas compridas hastes. Será que se comem? Adorava saber, se me pudesse djzer eu agradecia imenso… gostaria de enviar fotos, mas não consigo…

Conte-nos sua experiência sobre o assunto deste artigo

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *