Evônimo – Euonymus japonicus

O evônimo é uma planta arbustiva, geralmente perenifólia, lenhosa e bastante ornamental por sua bela folhagem. Sua altura é variável, sendo que há cultivares anãs, de pouco mais de 30 cm e outras gigantes, que alcançam 3 metros. A ramagem é ereta e ramificada, com enfolhamento denso, compacto. As folhas são elípticas a ovaladas, opostas, cerosas, brilhantes, de margens serrilhadas e de cor verde escura na forma típica, incomum em cultivo. São muito mais conhecidas as cultivares de evônimo com folhas coloridas, entre essas podemos citar:

  • ‘Aureus’, folhas verdes com uma grande mancha central amarela;
  • ‘Albomarginatus’, folhas verdes, com uma estreita margem branca;
  • ‘Bravo’, folhas verdes variegadas de das creme;
  • ‘Kathy’, folhas verdes, largas e variegadas de branco, de pequeno porte;
  • ‘Latifolius albomarginatus’, folhas verdes com ampla margem branca;
  • ‘President Gauthier’, folhas verde-escuras variegadas de branco-creme, ramagem menos compacta;
  • ‘Pierrolino’, folhas jovens variegadas de branco.

As flores do evônimo tem pouca importância ornamental. Elas surgem na primavera e verão e são pequenas, de cor branca-esverdeada. Os frutos que se seguem são rosados, deiscentes, com grandes sementes alaranjadas.

Como planta ornamental, o evônimo conquistou lares e escritórios em todo Brasil e no mundo. Ele é uma planta muito rústica e adaptável a diferentes condições de iluminação. Mesmo sendo mais comum seu uso envasado, o evônimo presta-se também como espécie de jardim, sendo ideal para a formação de cercas vivas e maciços sob sol pleno ou meia sombra. Seu uso é frequente em jardins orientais, onde pode ter formas livres ou formais. Por tolerar muito bem as podas, torna-se uma espécie excelente para trabalhos topiários. É ainda uma planta de eleição para a prática de bonsai, visto que é lenhosa e possui naturalmente folhas pequenas.

Deve ser cultivada sob sol pleno ou meia sombra, em solo fértil, drenável, enriquecido com matéria orgânica e irrigado regularmente. Plantas cultivadas em vasos necessitam de reenvase anual para renovar-lhes o vigor. Cuidado ao colocar evônimos cultivados em ambientes internos sob sol pleno. É importante que este processo seja de forma gradativa, sob pena de queimar seriamente as folhas. Adube quinzenalmente durante o período de crescimento. Sujeita à infecção por oídio e ao ataque de cochonilhas e lagartas. Prefere clima ameno, e é necessário protegê-la do calor ou frio intensos. Tolerante à maresia. Não resiste à estiagem. Multiplica-se por estaquia dos ramos semi-lenhosos ou lenhosos, postos a enraizar em substrato mantido úmido, na primavera.

Se este artigo ajudou você. Então compartilhe este artigo e ajude a divulgar essa informação.

Conte-nos sua experiência sobre o assunto deste artigo