Estragão – Artemisia dracunculus

O estragão é uma planta herbácea, perene e condimentar que, juntamente com o cerefólio, a salsa lisa e a ciboulete compoe as “ervas finas”, uma mistura de ervas que caracteriza muitas preparações clássicas francesas. O estragão apresenta raízes rizomatosas e ramos cilíndricos, muito ramificados, conferindo-lhe o aspecto de pequena “moita”. As folhas são lanceoladas, sésseis, glabras, brilhantes, alternas, carnosas, aromáticas, de cor verde-acinzentada e com margens inteiras. Há duas principais variedades de estragão: uma mais aromática e que não produz sementes férteis, conhecida como estragão-francês e outra mais selvagem, de pouco aroma, que se reproduz com facilidade, conhecida como estragão-russo. As flores, que podem ser brancas, amarelas ou esverdeadas, se formam em pequenos capítulos terminais. Os frutos que se seguem são do tipo aquênio.

O estragão-francês é o melhor para a culinária, por seu aroma mais intenso. Ele é doce e pungente, lembrando o funcho e o manjericão. Além de compor as ervas finas, ele se combina, fresco ou desidratado, com uma infinidade de pratos, que vão desde ovos, frango, peixe, vitela ou cordeiro, manteiga, maionese, sopas, cremes e molhos, bebidas, saladas, vinagres, embutidos, pães, conservas, etc. O estragão encerra os óleos essencias estragol, anethol e eugenol, além de flavonóides, minerais e vitaminas.  É uma planta que não deve faltar na horta doméstica, pois mesmo com pouco uso, é uma excelente planta companheira, repelindo insetos e outras pragas. Por este motivo é também interessante plantá-lo nos canteiros do jardim. Seu formato arredondado, textura e cor são excelentes para formar planos de fundo e enaltecer floríferas por exemplo.

Deve ser cultivado sob sol pleno, em solo drenável, preferencialmente arenoso, enriquecido com matéria orgânica e irrigado de forma regular. As plantas bem estabelecidas são tolerantes a curtos períodos de estiagem. Resiste ao frio, mas entra em dormência durante o inverno e pode perder as folhas, rebrotando na primavera. Nesta ocasião é importante reduzir as regas. A variedade francesa do estragão multiplica-se apenas por formas vegetativas, como divisão das touceiras, estaquia, mergulhia e por divisão do rizoma. Já a variedade russa, pode ser multiplicada por sementes também. Desta forma, para iniciar o cultivo, adquira mudas saudáveis de boa procedência. Inicie a colheita das folhas após 60 a 90 do plantio, quando as plantas já estiverem em pleno desenvolvimento e bem formadas. Você pode também congelar ou desidratar as folhas para usá-las durante o inverno, quando a produção estaciona. Fertilize no plantio e após a colheita. Apesar de perenes, após cerca de 3 anos, as plantas necessitam de nova propagação e plantio para retomarem o vigor e a produtividade.

Se este artigo ajudou você. Então compartilhe este artigo e ajude a divulgar essa informação.

Medicinal:

  • Indicações: Dismenorréia, Artrite, Dor de dente, Meteorismo, Flatulência, Gota, Halitose, Hiperatividade, Insônia, Náuseas, Inaetência, Reumatismo, Soluços, Hemintoses, Escorbuto
  • Propriedades: Aperiente, Carminativa, Diurético, Emenagogo, Depurativo, Digestivo, Estimulante, Estomáquica, Vermífuga, Antiescorbutico, Galactagogo, Hipnótico e Laxante
  • Partes Utilizadas: Folhas

Alerta:

A variedade russa do estragão pode se tornar invasiva em algumas situações.

Conte-nos sua experiência sobre o assunto deste artigo