Erva-mate – Ilex paraguariensis

 Ilex paraguariensis, Mate, Congonha, Erveira, Erva, Erva-verdadeira, Erva-congonha, Erva-chimarrão, Chá-dos-jesuítas, Chá-das-missões, Congonha-das-missões, Congonheira, Mate-legítimo, Mate-verdadeiro

A erva-mate é uma árvore dióica, perenifólia, de pequeno porte e conhecida principalmente por ser a fonte da erva de chimarrão, chá mate e tereré, bebidas populares no sul da América Latina e que vem ganhando adeptos em diferentes países como Síria, Japão e Estados Unidos, etc. Ela é característica do bioma “Mata de Araucária”, em altitudes acima de 400 metros. Cresce no sub-bosque e beneficia-se do sombreamento das outras árvores, desenvolvendo nessas condições até 15 metros de altura, enquanto que em condições de cultivo e sob sol pleno raramente ultrapassa sete metros de altura. Apresenta tronco ereto, com diâmetro final de 20 a 50 cm e casca pardo-acinzentada, rugosa e com muitas lenticelas. Suas folhas apresentam disposição alterna e são simples, glabras, pecioladas, coriáceas, obovadas, de cor verde escura e com margens serrilhadas. A erva-mate floresce na primavera e início do verão, despontado inflorescências em feixes corimbóides e axilares, com flores pequenas, simples, brancas, que são polinizadas por insetos. Os frutos que se seguem são bagas globulares, pequenas e vermelhas quando maduras, contendo quatro sementes. Eles são avidamente comidos por passarinhos, principalmente os sabiás, seus principais disseminadores.

No paisagismo, a erva-mate é ainda pouco explorada, mas se presta muito bem para a formação de cercas-vivas informais, principalmente em áreas semi-sombreadas onde outros arbustos perecem. Também podem ser utilizadas em bosques em conjunto com outras espécies de árvores, em parques e jardins maiores. Apesar de ela gostar da companhia de outras árvores, nada impede seu plantio isolado e até mesmo em vasos. Seu uso em áreas de reflorestamento é também bastante útil por atrair a avifauna. Apresenta crescimento lento a moderado.

Deve ser cultivada sob sol pleno ou meia sombra, em solo fértil, profundo, permeável, enriquecido com matéria orgânica e irrigado no primeiro ano de implantação. As mudas jovens de erva-mate devem ser sempre protegidas do sol forte. Assim, providencie um sombreamento inicial e vá removendo gradativamente, de acordo com o crescimento da planta. Em cultivos comerciais, recomenda-se podar a planta de forma a mantê-la sempre com menos de 3 metros de altura, facilitando assim a colheita das folhas. A erva-mate não é uma espécie para monocultivos, onde as pragas e doenças rapidamente se instalam. Ela é a cultura perfeita para o uso sustentável, misturada a espécies nativas, madeireiras e ou frutíferas por exemplo, como o pinus e a araucária. Para uso como cerca-viva são necessárias podas de formação, que estimulam o adensamento da planta. Fertilize semestralmente com adubos orgânicos e fertilizantes de liberação lenta. Multiplica-se com dificuldade por estaquia e sementes, que devem ser colhidas de frutos maduros e estratificadas por 5 a 6 meses em areia úmida, antes do plantio.

Se este artigo ajudou você. Então compartilhe este artigo e ajude a divulgar essa informação.

Medicinal:

  • Indicações: Fraqueza, Obesidade, Letargia, Fadiga, Exaustão, Gota, Hipertensão, Dores nos nervos, Cólicas renais, Reumatismo, Insuficiencia urinária, Depressão, Dor de cabeça, Constipação, Escorbuto, Febre do feno, Hemorroidas, Estresse, Anemia, Diabetes
  • Propriedades: Inibidor de apetite, estimulante, diurético, laxante, afrodisíaco, melhora da memória, tônico geral, cardiotônico, digestiva, sudorífera, antioxidante
  • Partes Utilizadas: Folhas e ramos (chá)

Conte-nos sua experiência sobre o assunto deste artigo

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *