Campânula – Campanula persicifolia

 Campanula persicifolia,

Foto: Su Neko

A campânula é uma planta perene, herbácea e muito florífera, originária de regiões alpinas da Europa e oeste da Ásia. Apresenta caule ereto, pouco ramificado, disposto em touceiras, pouco densas, a partir do rizoma. As folhas são verde brilhantes, com dentes arredondados nas margens, espatuladas na base e lanceoladas a obovadas e mais estreitas ao longo do caule. Floresce do final da primavera ao verão, despontando inflorescências em rácemos terminais, com flores grandes e em formato de sino aberto, terminando em cinco pontas como uma estrela. Elas podem ser azuis, brancas, liláses ou róseas, de acordo com a cultivar. O fruto que se segue é do tipo cápsula com veios bem aparentes.

Variedade de flores dobradas. Foto de Takashi M.
As campânulas adicionam delicadeza e charme ao jardim. Suas flores azuladas combinam perfeitamente com jardins no estilo inglês “Cottage“, informais e com uma aura campestre e romântica ao mesmo tempo. Para um efeito mais interessante convém plantá-la em grupos, formando maciços ou em bordaduras mistas. Versátil, é comum o seu uso para cobrir o caule desfolhado de arbustos e roseiras. No Brasil, é visto com mais frequência como planta envasada, para decorar a casa por alguns dias, do que no jardim. Os ramos eretos e floridos também são ótimos como flor de corte, na confecção de buquês e arranjos florais.

Deve ser cultivada sob sol pleno ou meia sombra, em solo fértil, drenável, enriquecido com matéria orgânica e irrigado regularmente. Não tolera o calor forte do verão, por este motivo é tratada como anual mesmo nas regiões mais frias do Brasil. Por apreciar o clima frio, é possível cultivar campânulas apenas em locais frescos, de altitude, como nas regiões serranas do sul do país. Após a floração, pode-se cortar fora as flores velhas, estimulando assim um novo florescimento. Multiplica-se por divisão das touceiras, estaquia e por sementes. As sementes germinam entre 14 e 28 dias, necessitam de luz e substrato mantido úmido. Logo após a germinação podem ser cobertas com um fina camada de substrato e devem ser transplantadas para os saquinhos quando tiverem duas folhas verdadeiras. As mudas devem ser beliscadas durante o desenvolvimento, para que produzam touceiras mais densas.

Se este artigo ajudou você. Então compartilhe este artigo e ajude a divulgar essa informação.

Conte-nos sua experiência sobre o assunto deste artigo