Cacto-rabo-de-rato – Disocactus flagelliformis

 Disocactus flagelliformis, Rabo-de-rato

Foto: Scott Zona

O cacto-rabo-de-rato é uma espécie suculenta, muito ornamental e florífera, que em seu habitat comporta-se como epífita ou rupícola. Ele é originário do México e atualmente é um dos cactos mais populares em cultivo no mundo todo. Apresenta ramos inicialmente eretos, que posteriormente se tornam prostrados ou pendentes. Eles são verdes e cilíndricos, com diâmetro de 2 a 3 cm, recobertos de espinhos de cor cinza claro a acastanhados, que em combinação com o caule, conferem à ramagem um tom cinza azulado ou marrom claro. Floresce na primavera, despontando flores zigomorfas (com simetria bilateral), tubulares, grandes, de intensa cor rosa ou vermelha, ao longo dos ramos. As flores são duráveis e o período de florescimento pode durar cerca de dois meses. Os frutos são pequenas bagas ovóides e vermelhas.

Foto de Eric Barbier
Foto de Eric Barbier
O cacto-rabo-de-rato é uma espécie de eleição para o plantio em cestas e jardineiras suspensas, assim como jardins verticais em áreas semisombreadas e até mesmo em arranjos de vasinhos de parede. O importante é valorizar o aspecto pendente e escultórico desta planta. É indicado para áreas onde há pouca disponibilidade de irrigação. Use em jardins rupestres, com inspiração desértica, como um jardim de estilo mexicano por exemplo.

Deve ser cultivado sob meia sombra, pegando o sol da manhã e ou da tardinha. Aprecia substrato bem drenável, arenoso, mas com alguma capacidade de reter umidade, uma receita intermediária de substratos próprios para cactos e epífitas (como orquídeas e bromélias). Irrigue de maneira esparsa, permitindo que o substrato seque bem entre as regas. Este cacto é muito resistente à estiagem e próprio para xerojardins. Não tolera frio intenso, de menos que 5°C, assim como geadas. Durante o inverno frio traga o cacto para um área protegida dentro de casa e reduza as regas. Fertilize no período de crescimento, antes e durante a floração. Suscetível a pulgões e cochonilhas, que devido aos espinhos são impossíveis de remover manualmente, demandando inseticidas. Quando surgirem, mova primeiramente a planta a um local mais ventilado e iluminado. Multiplica-se por sementes, mas mais facilmente por estacas, cortadas ou destacadas, e postas a cicatrizar por alguns dias antes do plantio. Replante bienalmente e remova ramos descoloridos e velhos desde a base para estimular novos crescimentos. Colha as estacas no início do verão, após o florescimento. Mudas bem conduzidas podem florescer entre 2 a 3 anos após o plantio.

Se este artigo ajudou você. Então compartilhe este artigo e ajude a divulgar essa informação.

Alerta:

Espinhos pontiagudos e perigosos. Manuseie com luvas grossas e muito cuidado. Mantenha fora do alcance de crianças pequenas.

Conte-nos sua experiência sobre o assunto deste artigo

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *