Acácia-pompom – Vachellia seyal

A acácia-pompom é uma árvore ou arvoreta, decídua, ornamental, nativa da savana africana e popularizada pelo renomado paisagista Burle Marx. Ela apresenta uma copa esparsa, em forma de “guarda-chuva”, com ramagem espinhenta, ramificada, horizontal e ascendente, o que lhe confere um aspecto mais largo do que alto. O tronco é ereto a tortuoso, com diâmetro de 20 a 60 cm e casca de cor geralmente vermelha, embora possa ser verde pálida, de acordo com a variedade. Sua casca é pulvurulenta e solta-se em lâminas de bordas onduladas, anualmente. As folhas são bipinadas, alternas, com folíolos pequenos, elípticos e de cor verde acinzentada. Pode florescer mais de uma vez por ano, despontando inflorescências glomerulares, axilares e de cor amarela, com longos estames, que lhes conferem o aspecto de “pompom”. As flores são perfumadas e atrativas para abelhas e borboletas. O fruto é do tipo vagem, achatado, marrom, deiscente, curvado e contém sementes elípticas.

A acácia-pompom é uma arvoreta florífera, interessante para um efeito dramático no jardim. O tronco vermelho, tortuoso, em contraste com a folhagem de textura fina e acinzentada é bastante incomum e ornamental, ideal para jardins contemporâneos ou do tipo xerojardim, de baixa manutenção, com pouca ou nenhuma de irrigação. Plante isolada, como destaque, ou em grupos, formando linhas ou maciços. É uma espécie indicada também para bonsai.

Esta árvore é indicada também para suplementar a alimentação de ruminantes no semi-árido e no cerrado. Tanto as folhas, frutos, como a casca do tronco, tem alto valor proteico e podem ser aproveitadas por vacas, cabras ou ovelhas. Curiosidade: A acácia-pompom é uma fonte importante de goma arábica, embora sua qualidade seja inferior à goma de Senegalia senegal, a principal fonte desta goma.

Deve ser cultivada sob sol pleno, em qualquer tipo de solo, enriquecido com matéria orgânica e irrigado no primeiro ano de implantação. Após bem estabelecida, acácia-pompom torna-se muito resistente a períodos de estiagem ou encharcamento. Não tolera frio intenso ou geadas fortes. Multiplica-se por sementes, estacas ou alporques. As sementes tem baixa taxa de germinação, não passando de 30% na maioria das vezes.

Se este artigo ajudou você. Então compartilhe este artigo e ajude a divulgar essa informação.

Medicinal:

  • Indicações: Disenteria, Infecções da pele, Lepra, Diarréia, Hemorragia, Inflamações dos olhos, Rinite, Artrite, Bronquite , Reumatismo, Queimaduras, Afecções da vesícula biliar, Sífilis
  • Propriedades: Estimulante, afrodisíaco, emoliente, analgésico, antibiótico, adstringente
  • Partes Utilizadas: Casca do tronco, Madeira, Goma

Alerta:

Os altos teores de tanino nesta espécie podem torná-la tóxica aos animais de produção quando em grandes quantidades na dieta. O ideal é não utilizar mais de 20% desta acácia na alimentação de ruminantes.

Conte-nos sua experiência sobre o assunto deste artigo

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *