Paisagismo Sustentável – Erosão e Prevenção

erosão
A erosão e sedimentação do solo impacta diretamente na poluição da água. Foto de Soil Science
A perda do solo superficial é a consequência local mais significativa da erosão. O solo superficial é biologicamente ativo e contem matéria orgânica e nutrientes. A perda do solo superficial reduz significativamente a capacidade do solo de suportar vida vegetal, regular o fluxo da água e manter a biodiversidade de micróbios e insetos que controlam doenças e pestes. A perda de nutrientes, compactação do solo e redução da biodiversidade podem limitar severamente a vitalidade do paisagismo. Isso leva a outras preocupações gerenciais e ambientais, como maior uso de pesticidas e fertilizantes, irrigação e aumento do escoamento da água da chuva, que se junta à poluição nos corpos hídricos locais. Esse escoamento carrega poluentes, excesso de nutrientes e sedimentos que quebram o equilíbrio dos habitats aquáticos.

eutrofização
A eutrofização provoca depleção do oxigênio e aumento de toxinas que provocam a morte de peixes. Foto de Jennifer L. Graham
Nitrogênio e fósforo do escoamento causam a eutrofização, gerando um crescimento de plantas invasoras no sistema aquático. Esse crescimento pode reduzir o potencial de recriação e diminuir a população de peixes, plantas e animais locais.

A sedimentação também contribui para a degradação dos corpos aquáticos e seus habitats. O aumento de sedimentos nos fluxos aquáticos diminui sua capacidade, causando enchentes e aumentando o nível de turbidez. A turbidez torna a agua “opaca” diminuindo o nível penetração da luz do sol, o que causa redução na produção de fotossíntese, consequentemente, do oxigênio, impactando em diversos tipos de vida aquática.

Medidas de controle da erosão e da sedimentação são requisitos em muitos códigos de ocupação para prevenir gastos maiores com despoluição e retirada de sedimentos. Ai que entra o papel do paisagista. O paisagista identifica possíveis áreas de erosão e estabelece as medidas de estabilização do solo, criando um plano de controle de erosão a ser incluído nas plantas e documentos da obra.

Para ajudar nesse assunto, seguem algumas sugestões:

Estabilização do solo

Problema Solução
Semeadura temporária Gramíneas de crescimento rápido para estabilizar o solo temporariamente. Ex: Grama bermuda, capim vetiver
Semeadura permanente Gramíneas, arvores e arbustos para estabilizar o solo de forma permanente. Ex: vegetação nativa
Coberturas Feno, grama, lascas de madeira, palha, cascalho para segurar o solo superficial
paisagismo mata ciliar
O adequado paisagismo de áreas marginais ou de risco de erosão preserva os corpos de água e toda vida silvestre que há neles. Foto de Jim Linwood

Essa estratégia de prevenção da erosão vai ajudar muito no projeto de paisagismo, já que evita o escoamento do solo superficial, que é tão importante. Assim, garantimos que a implantação do projeto paisagístico ocorra sem agredir o ambiente, e na verdade, é disso que trata nossa atividade, certo?

Um abraço verde.

Artigo anterior: Paisagismo Sustentável – Introdução
Próximo artigo: Paisagismo Sustentável – Recuperação de Ambientes

Se este artigo ajudou você. Então compartilhe este artigo e ajude a divulgar essa informação.

Conte-nos sua experiência sobre o assunto deste artigo