Estaquia da rosa-do-deserto (com vídeos)

Planta enxertada de Adenium. Foto de Sinval.
Planta enxertada de Adenium. Foto de Sinval.
Após uma poda, podemos aproveitar as estacas para termos uma nova planta, com flores idênticas às da planta mãe que deu origem as estacas. Trata-se da propagação assexuada ou propagação vegetativa, onde a parte retirada da planta tende a se regenerar. Mas é bom lembrar que as adeniuns propagadas por estacas não formam caudex, aquele tronco gordinho na base da planta, porém, podemos trabalhar as raízes e a parte aérea da planta, formando assim formas bastante interessantes, e muitas vezes até um pseudocaudex ou caudex falso.

Além disto, podemos também fazer enxertos e uniões de estacas, gerando assim um planta que irá fornecer flores com diversas cores. Eu fiz um enxerto (fenda) e logo que o enxerto “pegou”, cortei o galho e coloquei para enraizar. Enraizou, plantei num vaso e esta estaca vai produzir flores amarelas (parte enxertada) e vermelha (brotação da estaca).  Enfim, temos diversas opções com as estacas.

Muda evidenciando a formação das raízes após o processo de estaquia. Foto de Sinval.
Muda evidenciando a formação das raízes após o processo de estaquia. Foto de Sinval.
Para enraizar uma estaca de adenium, o melhor substrato que encontrei foi areia grossa de rio. Coloque a areia num copo de refrigerante, e escolha uma estaca de uma planta sadia. Coloque a estaca na areia, e mantenha esta areia úmida. Atente que o excesso de água, ou encharcamento, resulta no apodrecimento da estaca. Já a falta de umidade pode abortar o enraizamento, e logo esta estaca irá desidratar e morrer. Assim, a areia deverá estar sempre levemente úmida, o suficiente para não apodrecer a estaca e estimular seu enraizamento.

Caso pretenda manter a estaca mais tempo no copo, deverá ser acrescentado na areia o composto orgânico ou húmus de minhoca (vermicomposto), na proporção de uma parte de composto ou húmus (vermicomposto) para três partes de areia.

Poderá também ser usado nas estacas o biofertilizante. O biofertilizante possue auxinas, que aceleram o enraizamento. Mas este uso é dispensável. Se você se interessou, veja como produzir seu biofertilizante em casa no artigo: Como fazer seu próprio biofertilizante.

As estacas transformam-se em plantas geneticamente idênticas a mãe, ou seja, são clones. É uma maneira de preservar materiais genéticos, como por exemplo uma planta de flor roxa, ou amarela com listras rosas, etc. Além das flores e da beleza de uma estaca bem conduzida, você terá materiais para uma enxertia numa planta propagada por sementes (propagação sexuada), e também para novas plantas via estaca (propagação assexuada). Num novo artigo falarei sobre enxertia.

Abaixo, seguem os procedimentos demonstrados em uma sequência de 3 vídeos, para você ficar craque no assunto:



Bem, espero que gostem deste artigo e dos vídeos, e que tenham bons proveitos com ele. Afinal as adeniuns são plantas encantadoras.

Se este artigo ajudou você. Então compartilhe este artigo e ajude a divulgar essa informação.

One comment on “Estaquia da rosa-do-deserto (com vídeos)

  1. Moro em s.c e acho que nosso clima nao e muito bom ,,pras Rosas do deserto, ,mesmo assim estou insistindo em cultivalas, ,compro em floricultura ,;ja perdi uma que apodrecer porque deixei na chuva,,mesmo assim antes dela morrer consegui salvar alguns galhinhos,,um está brotando,,agora tenho uma que está perdendo as folhas amareladas,,,outra está linda Verde e viva mas não está com flor,,e acabei de comprar uma vermelha,,a dona da floricultura ja mudou mas eu acho o vaso muito pequeno,,,e ela colocou terra e não substrato,,,vou mudar ,,mas tenho muita pena se ela adoescer!!

Conte-nos sua experiência sobre o assunto deste artigo

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *