Cores Complementares

Disco das Cores
Disco das Cores

Facilmente reconhecemos um jardim mal planejado. Cores mal escolhidas podem ter um efeito desastroso na harmonia de nossos jardins. Assim, conhecer o disco das cores e fazer bom uso dele é fundamental. O disco das cores é composto pelas cores primária, secundária e terciárias.

O azul, o amarelo e o vermelho são as primárias e, a partir delas se formam todas as outras cores. Podemos utilizá-las quando queremos o máximo contraste. As cores secundárias compreendem a mistura de duas primárias, então:

  • (amarelo + azul = verde)
  • (amarelo + vermelho = laranja)
  • (azul + vermelho = violeta)

As cores terciárias principais são a combinação entre uma primária e uma ou mais secundárias. Entre estas podemos citar o rosa, o turquesa, o amarelo-limão, etc.

As cores complementares são as que oferecem as melhores combinações e são obtidas pela observação das cores opostas no disco das cores. Desta maneira sabemos que o vermelho combina bem com o verde. Desta combinações temos resultados vibrantes e alegres.

Devemos sempre utilizar cores complementares com a mesma saturação e intensidade, isto é, o azul forte combina com o amarelo forte e azul forte não combina com o amarelo fraco.

As cores análogas são interessantes no paisagismo, à medida que queremos um ambiente mais suave. Elas são as cores próximas no disco das cores. Ex.: amarelo, laranja e vermelho.

A monocromia é um recurso também muito utilizado. Através dele podemos criar jardins mais tranquilos e contemplativos através da utilização de uma cor e suas diferentes tonalidades.

Resumindo, ao escolher as plantas que irão compor o jardim preste atenção às cores e resista à tentação de misturar tudo. Na dúvida faça maciços de cores únicas, complementares, análogas ou monocromáticas. Dê sempre preferência para misturar cores dentro da mesma espécie, assim a chance de errar a textura também se reduz.

Texto: Raquel Patro

Se este artigo ajudou você. Então compartilhe este artigo e ajude a divulgar essa informação.

Conte-nos sua experiência sobre o assunto deste artigo

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *