Como propagar rosas-do-deserto por sementes

Foto de Dornenwolf
Foto de Dornenwolf
Em um artigo anterior (Estaquia da rosa-do-deserto) mostrei como propago as rosas-do-deserto por estacas (propagação vegetativa ou assexuada). Agora mostrarei como multiplicar essa bela planta, utilizando sementes. Os adeniuns formam sementes através da polinização das flores. A polinização pode ser realizada com flores de uma mesma planta – a autopolinização, ou de plantas diferentes – a polinização cruzada. Em alguns casos de autopolinização podem ocorrer a formação de plantas albinas. Estas não sobrevivem. Observe que as sementes dessa espécie se desenvolvem em frutos do tipo vagem.

Quanto mais frescas forem as sementes, tanto maior seu poder germinativo. Assim, espere o fruto abrir naturalmente para coletar as sementes maduras e plante logo em seguida. Para germinarem, as sementes precisam de calor, umidade e oxigênio – este é o triangulo da germinação. Desta forma, a hidratação é o primeiro passo para uma boa germinação. Antes do plantio, coloque as sementes de molho em água não clorada, por um período de 2 a 3 horas. Como substrato para a germinação, uso 60% de composto orgânico para 40% de carvão moído. Você pode substituir o composto orgânico por húmus (vermicomposto), e o carvão moído por areia grossa. Neste último caso, seu substrato ficará mais pesado. Para um bom aporte inicial de fósforo, nutriente essencial às plantas, adicione ao substrato farinha de ossos ou superfosfato simples.

Fruto da Rosa-do-deserto. Foto de Forest & Kim Starr
Fruto da Rosa-do-deserto. Foto de Forest & Kim Starr
Caso você não queira preparar seu próprio substrato, poderá usar substratos prontos para germinação de sementes de hortaliças. Você pode encontrá-los no comércio, em lojas de insumos agrícolas, e eles já vem prontos para uso. Como recipiente, eu prefiro usar copinhos de café descartáveis (tamanho capuccino) às sementeiras.

Preencha os copinhos com o substrato, colocando apenas uma semente em cada um e cubra com uma camada de 5 milímetros do próprio substrato. Depois, faça uma boa irrigação e coloque os copinhos em uma estufa hermeticamente fechada, que pode ser um pote de cozinha transparente, tipo “tupperware”, ou outra forma que sua criatividade mandar, como um saco plástico ou refratário coberto com filme plástico culinário. É importante que fique hermeticamente fechado, pois isso irá garantir a umidade do substrato durante toda a germinação.

Decorridos entre 3 a 5 dias, as sementes, se forem de uma boa procedência, germinarão. Após a germinação, a tampa ou o filme plástico deverão ser retirados. Logo após germinarem, as mudinhas devem ser colocadas para tomarem o sol da manhã, durante pelo menos umas 2 horas. Esse tempo vai aumentando gradativamente, até ficarem a manhã toda no sol, voltando então para a sombra. Assim que estiverem com 2 pares de folhas, continue aumentando o tempo de exposição solar até que fiquem sob pleno sol.

A irrigação das mudinhas, também tem que ser criteriosa. Inicialmente, molhe para manter o substrato sempre úmido. A medida que as mudinhas forem crescendo, vá diminuindo gradativamente a irrigação, para uma vez ao dia, uma vez a cada dois dias, e assim sucessivamente, até o ponto de irrigá-las só quando o substrato secar.

Mudinhas de rosa-do-deserto em seu pote de germinação. Este pote permanece fechado para manter a umidade. Foto de Sinval
Mudinhas de rosa-do-deserto em seu pote de germinação. Este pote permanece fechado para manter a umidade. Foto de Sinval
Quando as mudinhas estiverem com 3 pares de folhas definitivas e desenvolvidas, é a hora do transplante. O transplante poderá ser feito com o torrão. Neste caso, será apenas transplantá-las e continuar com os tratos culturais normais para as adeniuns. A vantagem dos copinhos individuais está aqui, com a formação de torrões, não é necessário estressar as raízes, como seria se fossem de sementeira. Mas, você também pode transplantar as mudas com as raízes nuas. Neste caso, poderá ser feita uma poda, eliminando a ponta da raiz pivotante. Isto vai estimular a emissão de raízes laterais, dando no futuro um formado diferenciado no caudex da futura planta. Ou poderá não fazer nada, apenas replanta-la. Em qualquer um dos casos, esta planta, podada ou não, mas transplantada com as raízes nuas, deverá ficar uns dias na sombra, para readaptação. Após este processo, coloque-a gradativamente ao pleno sol.

No transplante, em qualquer uma das maneiras, poderá também ser feita uma poda do broto apical, eliminando assim as folhinhas da ponta. Isto vai estimular a emissão de novas brotações laterais, dando a copa um fomato arredondado. Caso isto não seja feito, a planta poderá crescer num único ramo.

Finalmente, um planta originada de semente, que não foi podada e teve bom desenvolvimento, deverá florir com cerca de oito meses. Se sofrer podas de formação, ela levará mais tempo, o que pode ser muito vantajoso, pois terá um formato mais bonito e sua floração será mais intensa.

Espero ter colaborado com o cultivo desta exótica e bela planta.

Se este artigo ajudou você. Então compartilhe este artigo e ajude a divulgar essa informação.

Conte-nos sua experiência sobre o assunto deste artigo

  • Lana Oliveira

    Muito bom as explicações amo essas rosas tenho algumas e adquiri umas sementes germinou todas mas perdi 8 e aqui aprendi muito