Como implantar um gramado

Foto de Marcelo Braga
Foto de Marcelo Braga
Quem nunca sonhou com um tapete de grama verdinho? Pra deitar e rolar, fazer esportes, piqueniques ou simplesmente para contemplar? Pois saiba que isso é possível e cabe em todos os bolsos, basta ter um cuidado especial no plantio e a medida certa de carinho na manutenção. Afinal, tudo que é feito com amor e atenção fica bonito. Este artigo não pretende desvendar todos os segredos para o plantio de gramados perfeitos, daqueles de golf, mas com certeza fornecerá a ajuda inicial para um gramado bonito e sem falhas. Vamos lá?

O primeiro passo para implantar um gramado é a mediçao da área. Não deixe esta tarefa com a gramadora, pois sabendo exatamente quantos metros quadrados há, você poderá economizar uns bons reais. Arme-se de trena e mãos a obra. Nesta hora um ajudante é muito útil para segurar uma das pontas da fita. Para áreas maiores utilize uma corda extensa, marcando os metros com fita adesiva. Em áreas maiores ainda é imprescindível o uso do GPS, que hoje em dia é tão acessível. Em áreas irregulares, vale lembrar as fórmulas de geometria para calcular a área direitinho.

Colete também informações sobre o tipo de solo, o clima e o uso a que estará sujeito o novo gramado, pois cada espécie é mais adaptada a um ou outro tipo de situação e, definir isso antes, evita grandes erros.

É importante ter em mãos o projeto paisagístico, ou pelo menos um rascunho de onde ficarão os canteiros, os caminhos, os arbustos e as arvores. Assim ficará mais fácil excluir estas áreas da metragem total. Não esqueça de levar em conta as áreas que ficarão sombreadas, pois elas precisarão de algum outro tipo de forração que não seja a grama. Plantar grama em áreas sombreadas (e insistir nisso) é um dos erros mais comuns. Gramas gostam de muito sol, mesmo aquelas que toleram áreas semi-sombreadas nunca ficam tão bonitas e fechadas quanto se estivessem sob o sol.

Após medir, faça a coleta de uma amostra para a análise de solo. Muitas pessoas pulam essa parte, o que acaba custando o futuro do gramado. Tenha em mente que a análise de solo fornece informações valiosas sobre o tipo de solo, sua condição física atual, além de dados sobre a fertilidade. É um teste muito barato, simples e que fica pronto rapidamente. Procure o laboratório de análises de solos mais próximo e peça as instruções para a coleta da amostra. Não tem laboratório de solos por perto? Não é desculpa, pois muitas empresas aceitam remessas enviadas pelo correio. Uma busca rápida na internet e você encontrará um punhado delas.

Após a análise fica muito mais fácil corrigir a fertilidade e o pH. Você não desperdiçará recursos e também não faltarão as condições que o seu gramado precisa para se desenvolver pleno e saudável. Não esqueça que a calagem deve ser feita com pelo 3 meses de antecedência, para corrigir adequadamente o pH do solo e não interferir nos fertilizantes aplicados durante o plantio.

Esse é o momento ideal de decidir também se o seu gramado terá irrigação automática ou não. Na dúvida consulte um agrônomo especializado. A implantação de um sistema de irrigação automática pode não ser muito barata, mas é um investimento muito válido, que poupará tempo (e dinheiro gasto em água) na hora de irrigar o gramado futuramente.
Após todas as medições, cálculos e análises feitas, escolha a grama que mais se adapta às suas condições e seu gosto pessoal. Veja no link a seguir os diferentes tipos de gramas utilizados no Brasil:
http://www.jardineiro.net/classe/gramados

Tenha o cuidado também de drenar áreas empoçadas ou muito úmidas do terreno neste momento. As gramas não toleram excesso de umidade e ficam sujeitas a pragas e doenças nestas condições. Além de que, o crescimento do gramado fica desigual com áreas mais secas, intercaladas com áreas mais úmidas. Isso pode ser melhorado por meio de um adequado nivelamento do terreno, o que ajudará também no aspecto uniforme da grama.

Um agrônomo também poderá ajudá-lo a eliminar as ervas daninhas antes da implantação. Áreas pequenas são facilmente controladas com a capina, mas áreas maiores necessitarão de um herbicida não seletivo e de baixo poder residual. Os mais modernos se degradam rapidamente em contato com o solo e assim permitem que o gramado seja plantado no dia posterior à aplicação.

Após o controle das daninhas, prepare o terreno, removendo todo e qualquer entulho e destorroando bem os primeiros 15 cm do solo. Se a matéria orgânica estiver baixa ou se o solo for excessivamente argiloso ou arenoso (a análise dirá isso), adicione terra vegetal de boa procedência, que foi bem compostada, livre de sementes de plantas daninhas. Na dúvida, prepare seu próprio composto e garanta que ele atingiu altas temperaturas antes de utilizá-lo no gramado.

O próximo passo é o plantio propriamente dito. Aguarde em breve: “Como plantar gramados por placas, plugs, mudas ou sementes“.

Dica: Durante o preparo do terreno e a implantação do gramado, utilize placas de madeira para andar sobre o terreno, assim você evita a compactação do solo na área das pisadas.

Se este artigo ajudou você. Então compartilhe este artigo e ajude a divulgar essa informação.

Conte-nos sua experiência sobre o assunto deste artigo

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *