Como cultivar orquídeas

Por serem delicadas e sensíveis, as orquídeas são muito apreciadas. Suas cores e formatos variados inspiram e despertam interesse, tanto no cultivo, quanto na contemplação de cada espécie. As orquídeas pertencem à família Orchidaceae, uma das maiores famílias de vegetais existentes. Família esta com uma diversidade enorme de plantas com flores no mundo, são mais de 25 mil espécies. Estudos indicam que sua origem data do fim da Era dos Dinossauros. Com tantas variedades, seu cultivo também requer variação quanto a cada tipo, levando assim, a diversas formas de substratos e cuidados.

Phalaenopsis x hibridus Foto de Maja Dumat
Phalaenopsis x hibridus Foto de Maja Dumat
Seus substratos podem ser casca de pinus, fibra de coco, carvão ou esfagno, fazendo-se um mix entre eles, ou não. Desde que o xaxim foi substituído pela fibra de coco, devido a seu risco de extinção, substratos alternativos são estudados, mas o que é importante notar, acima de tudo, é que este substrato seja capaz de permitir boa drenagem, reter nutrientes necessários para seu desenvolvimento saudável e ter consistência firme adequada para servir de suporte.

Comumente usado, um mix de fibra de coco, carvão e brita responde bem ao cultivo da Cattleya riffe. Já as Phalaenopsis spp gostam de fibra de coco, as Oncidium spp apreciam, por vezes, somente carvão em seu vaso. A adubação orgânica é bem aceita com farinha de ossos, mas no caso do adubo químico pulverizações com NPK 10-10-10 também tem bom resultado.

Irrigação é um ponto delicado. As orquídeas gostam de água, porém não toleram encharcamentos e ou ficar com água no pratinho do vaso. O vaso de cerâmica seca rápido e não retém umidade. O vaso de plástico, neste caso, leva vantagem por funcionar de modo contrário, e se for transparente, melhor ainda, pois favorece mais luz às raízes. As orquídeas não gostam de passar a noite molhadas, prefira regá-las na parte da manhã, ou no final da tarde. O tipo de água que elas mais gostam é a da chuva. Ao regá-las, sua flores não devem ser molhadas, apenas as folhas e raízes. Da mesma forma, se as folhas estiverem quentes pela incidência de luz solar, esta ação deve ser evitada.

Oncidium spp.Foto de Barbara dieu
Oncidium spp.Foto de Barbara dieu
A iluminação é de suma importância para as orquídeas, porém, com cuidados específicos. As Oncidium suportam bem o sol forte, mas isso não é a regra. No geral elas gostam de locais sombreados, precisam de luz ao menos quatro horas por dia. Se elas tiverem pouca luz suas folhas tendem a ficar de cor verde escura, mas se suas folhas ficarem amareladas, isso é sinal de muita luz, logo, estas observações servem de alerta. Sem o sol as orquídeas não florescem (elas gostam de sol forte) porém com a luminosidade controlada. Se for o caso de permanência sob o sol direto, se possível, que seja antes das 9h e após as 16h.

Quando a orquídea estiver plantada em vaso e for mantida dentro de casa, seu desenvolvimento e adaptação ao local e posição são importantes, pois se elas forem constantemente deslocadas, isso pode afetá-las de maneira negativa.

Em suma as orquídeas são lindas – decoram com harmonia e leveza, perfumam os ambientes e nossos doces – nos inspiram. Exigem cuidados e atenção, atraem colecionadores aficionados e ao contrário do que muitos pensam, apesar de sua aparência delicada e frágil, são resistentes, e podem durar por anos. Por todas essas peculiaridades, as orquídeas são plantas tão diferentes das outras.

Se este artigo ajudou você. Então compartilhe este artigo e ajude a divulgar essa informação.

One comment on “Como cultivar orquídeas

Conte-nos sua experiência sobre o assunto deste artigo

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *